PCR e qPCR para detecção de Circovírus Suíno tipo 2 (PCV2) em catetos (Pecari tajacu) e queixadas (Tayassu pecari) de cativeiro do Sul do Brasil

Autores

  • Leila Sabrina Ullmann Universidade Estadual Paulista
  • Mara Lucia Gravinatti Universidade Federal do Paraná
  • Ricardo Seiti Yamatogi Universidade Estadual Paulista
  • Leonilda Correa dos Santos Programa de Ciências Veterinárias
  • Taís Fukuta da Cruz Universidade Estadual Paulista
  • Wanderlei de Moraes Programa de Ciências Veterinárias
  • Zalmir Silvino Cubas Santuário Biológico Bela Vista
  • Ivan Roque de Barros Filho Departamento de Medicina Veterinária
  • Odilon Vidotto Universidade Estadual de Londrina
  • João Pessoa Araújo Junior Universidade Estadual Paulista
  • Rafael Felipe da Costa Vieira Departamento de Medicina Veterinária
  • Alexander Welker Biondo Departamento de Medicina Veterinária

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n6p4167

Palavras-chave:

Pecaris, Pecari, PCV2.

Resumo

O circovírus suíno tipo 2 (PCV2) é um vírus emergente encontrado em granjas comerciais de suínos que pode causar infecção clínica ou subclínica. Os catetos (Pecari tajacu) e as queixadas (Tayassu pecari), também podem se infectar com PCV2. Deste modo, o objetivo deste estudo foi identificar o PCV2 em amostras de sangue total de pecaris de cativeiro (16catetos e seis queixadas) por PCR convencional e quantitativo (qPCR). Embora o gene constitutivo (c-myc) tenha sido amplificado com sucesso, todas as 22 amostras de pecaris avaliadas foram negativas para PCV2 em ambos os métodos moleculares. Em conclusão, embora o PCV2 seja endêmico em suínos selvagens de vida livre do Centro e Norte do Brasil, a ausência de evidência sorológica e molecular de PCV2 (em sangue total) de ambos pecaris de cativeiro e de vida livre no Sul do Brasil podem indicar baixo risco de doença no Sul do Brasil.

Biografia do Autor

Leila Sabrina Ullmann, Universidade Estadual Paulista

Dr. em Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.

Mara Lucia Gravinatti, Universidade Federal do Paraná

Discente do Curso de Mestrado, Programa de Ciências Veterinárias, Universidade Federal do Paraná, UFPR, Curitiba, PR, Brasil.

Ricardo Seiti Yamatogi, Universidade Estadual Paulista

Dr. em Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.

Leonilda Correa dos Santos, Programa de Ciências Veterinárias

Discente do Curso de Doutorado, Programa de Ciências Veterinárias, Curitiba, PR, Brasil.

Taís Fukuta da Cruz, Universidade Estadual Paulista

Dr. em Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Microbiologia e Imunologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.

Wanderlei de Moraes, Programa de Ciências Veterinárias

Discente do Curso de Doutorado, Programa de Ciências Veterinárias, Curitiba, PR, Brasil.

Zalmir Silvino Cubas, Santuário Biológico Bela Vista

Médico Veterinário, Santuário Biológico Bela Vista, Itaipu Binacional, Foz do Iguaçu, PR, Brasil.

Ivan Roque de Barros Filho, Departamento de Medicina Veterinária

Prof. Dr., Departamento de Medicina Veterinária, UFPR, Curitiba, PR, Brasil.

Odilon Vidotto, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr., Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

João Pessoa Araújo Junior, Universidade Estadual Paulista

Prof. Dr., Departamento de Microbiologia e Imunologia, Instituto de Biociências, Universidade Estadual Paulista, UNESP, Botucatu, SP, Brasil.

Rafael Felipe da Costa Vieira, Departamento de Medicina Veterinária

Prof. Dr., Departamento de Medicina Veterinária, UFPR, Curitiba, PR, Brasil.

Alexander Welker Biondo, Departamento de Medicina Veterinária

Prof. Dr., Departamento de Medicina Veterinária, UFPR, Curitiba, PR, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-12-14

Como Citar

Ullmann, L. S., Gravinatti, M. L., Yamatogi, R. S., Santos, L. C. dos, Cruz, T. F. da, Moraes, W. de, … Biondo, A. W. (2016). PCR e qPCR para detecção de Circovírus Suíno tipo 2 (PCV2) em catetos (Pecari tajacu) e queixadas (Tayassu pecari) de cativeiro do Sul do Brasil. Semina: Ciências Agrárias, 37(6), 4167–4170. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n6p4167

Edição

Seção

Comunicações

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 > >>