Videoanimação Lava: GDV e capacidades de linguagem no estudo de um gênero multimodal digital

Autores

  • Marta Cristina da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF
  • Jaciluz Dias Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

DOI:

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2020v23n3p149

Palavras-chave:

gênero videoanimação, capacidades de linguagem, Gramática do Design Visual (GDV).

Resumo

 Considerando a presença cada vez mais constante de gêneros multimodais digitais no cotidiano e a necessidade de contribuir para formação de alunos que sejam leitores mais críticos, este artigo tem como objetivo apresentar uma proposta de trabalho com o gênero videoanimação, por meio do desenvolvimento das capacidades de linguagem, especialmente as multissemióticas (LENHARO, 2016). Recorremos, para tanto, ao referencial teórico da Gramática do Design Visual – GDV (KRESS; VAN LEEUWEN, 2006) como metodologia de análise, além das considerações relacionadas às capacidades de linguagem (SCHNEUWLY; DOLZ, 2004; BEATO-CANATO; STUTZ; CRISTOVÃO, 2019), conforme o enquadre do Interacionismo Sociodiscursivo – ISD (BRONCKART, 2012). Em seguida, apresentamos a videoanimação Lava (2015), propondo uma descrição analítica desse curta, por meio da GDV, como forma de demonstrar as possíveis leituras decorrentes da relação entre as linguagens verbal e visual utilizadas. Chegamos, então, às considerações de que a GDV permite a análise da videoanimação, potencializando, em articulação com o ISD, o desenvolvimento de capacidades de linguagem que possibilitam a compreensão crítica desse gênero.


Biografia do Autor

Marta Cristina da Silva, Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF

Doutora em Letras/Estudos Linguísticos pela UFF (2004). Mestre em Letras pela UFJF (1995). Licenciada em Letras – Português e Inglês pela UFJF (1986). Atua no Programa de Pós-Graduação em Linguística e na graduação em Letras (Língua Inglesa). Principais áreas de interesse: teorias de letramento, teorias de gênero e ensino de língua.

Jaciluz Dias, Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF

Doutoranda em Linguística pela UFJF (2018). Mestra em Educação pela UFLA (2017). Licenciada em Letras - Língua Portuguesa pela PUC/MG / CES/JF (2011). Bacharela em Comunicação Social pela UFJF (2009). Assistente em Administração na UFLA (desde 2014). Integrante do grupo de estudos e pesquisa Textualiza/UFLA. Atuação: Formação Docente; Linguística; TDIC.

Referências

ANDRÉ, M. Etnografia da prática escolar. 17. ed. Campinas: Papirus, 2011.

BEATO-CANATO, A. P.; STUTZ, L.; CRISTOVÃO, V. L. L. As capacidades de linguagem e os letramentos críticos: um caminho para análises e produção de materiais didáticos. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE GÊNEROS TEXTUAIS/DISCURSIVOS (SIGET), 10., 2019, Córdoba, Argentina. Minicurso. Córdoba, AR: SIGET, 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Língua Portuguesa – terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: https://bit.ly/3wMWzRE. Acesso em: 20 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada. Caderno comunicação e uso de mídias. Brasília: MEC, 2009. (Série Mais Educação). Disponível em: https://bit.ly/3vKKdYN. Acesso em: 14 jun. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em: https://bit.ly/2UftWhj. Acesso em: 14 jun. 2020.

BRITO, R. C. L.; PIMENTA, S. M. de O. A gramática do design visual. In: LIMA, C. H. P.; PIMENTA, S. M. de O.; AZEVEDO, A. M. T. de (org.). Incursões semióticas: teoria e prática de Gramática Sistêmico-Funcional, Multimodalidade, Semiótica Social e Análise Crítica do Discurso. Rio de Janeiro: Livre Expressão, 2009. p. 87-117.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sociodiscursivo. 2. ed. Tradução Anna Rachel Machado. São Paulo: Educ, 2012.

CACILHO, M. A. Gêneros digitais no ensino de língua portuguesa: análise de material apostilado. 2016. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Estadual do Centro-Oeste, Guarapuava, 2016.

CRISTOVÃO, V. L. L. Para uma expansão do conceito de capacidades de linguagem. In: BUENO, L.; LOPES, M. A. P. T.; CRISTOVÃO, V. L. L. (org.). Gêneros textuais e formação inicial: uma homenagem a Malu Matencio. Campinas: Mercado de Letras, 2013. p. 357-383.

CRISTOVÃO, V. L. L.; STUTZ, L. Sequências didáticas: semelhanças e especificidades no contexto francófono como L1 e no contexto brasileiro como LE. In: SZUNDY, P. T. C.; ARAÚJO, J. C.; NICOLAIDES, C. S.; SILVA, C. A. da. (org.). Linguística Aplicada e sociedade: ensino e aprendizagem de línguas no contexto brasileiro. Campinas: Pontes, 2011. p. 17-40.

DIONÍSIO, A. P. Multimodalidade discursiva na atividade falada e escrita. In: MARCUSCHI, L. A.; DIONÍSIO, A. P. Fala e escrita. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 177-196.

DOLZ, J. Forma ensinada, objeto ensinado e formas sociais de trabalho do professor. In: BUENO, L.; LOPES, M. A. P. T.; CRISTOVÃO, V. L. L. (org.). Gêneros textuais e formação inicial: uma homenagem a Malu Matencio. Campinas: Mercado de Letras, 2013. p. 181-194.

FERRÀ, F. Lava – Lava (versão Português – Brasil). 2015. Disponível em: https://bit.ly/3zGXULt. 14 jun. 2020.

FERREIRA, H; ALMEIDA, P. V.; DIAS, J. Mecanismos enunciativos constitutivos da tessitura de textos multissemióticos: uma proposta de análise. Veredas, Juiz de Fora, v. 21, n. 3, p. 194-215, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2TPgsJ0. Acesso em: 01 maio 2020.

FERREIRA, H. M.; DIAS, J.; VILLARTA-NEDER, M. A. (org.). O trabalho com videoanimação em sala de aula: múltiplos olhares. São Carlos: Pedro & João, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3cVKSA3. Acesso em: 14 maio 2020.

HALLIDAY, M. A. K. An introduction to Functional Grammar. 2nd. ed. London: Arnold, 1994.

KRESS, G.; VAN LEEUWEN, T. Reading images: the grammar of visual design. 5th. ed. London; New York: Routledge, 2006.

LAVA. Direção: James Ford Murphy. Produção: Andrea Warren. Realização: Walt Disney Animation Studio. Intérpretes: Kuana Torres Kahele; Napua Greig. Música: Lava. Emeryville: Pixar Animation Studios, 2015. 1 disco DVD (7 min 10 seg), sonoro, color.

LEAL, A. A. A organização textual do gênero cartoon: aspectos linguísticos e condicionamentos não linguísticos. 2011. Tese (Doutorado em Linguística) – Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011. Disponível em: https://bit.ly/2UkL4Cx. Acesso em: 2 jan. 2020.

LENHARO, R. I. Participação social por meio da música e da aprendizagem de língua inglesa em um contexto de vulnerabilidade social. 2016. Dissertação (Mestrado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2016.

MURPHY, J. F. Lava - I Lava You. 2015. Disponível em: https://bit.ly/3iVNrFX. Acesso em: 14 jun. 2020.

ROJO, R. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

ROJO, R.; MOURA, E. (org.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola, 2012.

ROJO, R.; MOURA, E. Letramentos, mídias, linguagens. São Paulo: Parábola, 2019.

SCHNEUWLY, B.; DOLZ, J. Gêneros orais e escritos na escola. Tradução e organização Roxane Rojo e Glaís Cordeiro. Campinas: Mercado das Letras, 2004.

STUTZ, L. As capacidades de linguagem como ferramentas na formação do docente de línguas. In: CANAL Jacqueline Vignoli. YouTube, 2020. (Aula Pública). Disponível em: https://bit.ly/3wIIHb3. Acesso em: 01 jul. 2020.

YOUTUBE (org.). O que é uso aceitável? Disponível em: https://bit.ly/3zQoEJI. Acesso em: 14 jun. 2020.

Publicado

2021-06-29

Como Citar

DA SILVA, Marta Cristina; DIAS, Jaciluz. Videoanimação Lava: GDV e capacidades de linguagem no estudo de um gênero multimodal digital. Signum: Estudos da Linguagem, [S. l.], v. 23, n. 3, p. 149–167, 2021. DOI: 10.5433/2237-4876.2020v23n3p149. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/40751. Acesso em: 23 jun. 2024.