Profissionalização política: social background, carreiras e trajetórias

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2021v42n2p171

Palavras-chave:

Profissionalização política, Carreiras políticas, Trajetórias políticas, Social background, Sociologia política

Resumo

Debatendo as definições utilizadas em estudos de casos focados no Congresso Nacional, objetiva-se lapidar e propor definições precisas aos conceitos de social background e carreira e trajetória políticas, para levantamentos vindouros nesse frutífero segmento de estudos da Ciência Política. As análises do recrutamento de elites políticas sofrem pela imprecisão desses conceitos-chave, tratados como sinônimos, por vezes utilizados e classificados de acordo com cada autoria, dados seus critérios abertos. O presente artigo apresenta uma demarcação para estudos de carreiras, trajetórias e posição socio-ocupacional, com enfoque no caso brasileiro, revisando parte significativa e importante da literatura nacional e internacional do tema, delineando o social background como titulação escolar, origem regional e profissão prévia à carreira política; elencando a trajetória política como passagem por postos e cargos em associações e entidades não público-burocráticas; e, por fim, a carreira política como os mandatos eletivos e nomeativos ocupados até a eleição para outra posição política.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alison Ribeiro Centeno, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUC-RS

Doutorando em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS)

Referências

ALLEN, N.; MAGNI, G.; SEARING, D.; WARNCKE, P. What is a career politician? Theories, concepts, and measures. European Political Science Review, Cambridge, v. 12, n. 2, p. 199-217, 2020. Doi: https://doi:10.1017/S1755773920000077. Disponível em: https://bit.ly/3otW5hV. Acesso em: 9 ago. 2021.

ARAÚJO, P. M. Recrutamento parlamentar para o Senado e o perfil dos senadores brasileiros, 1989- 2006. Revista Política Hoje, Recife, v. 20, n. 2, p. 550-580,.2011. Disponível.em:.https://bit.ly/3a5BKag. Acesso em: 16 set. 2017.

BLACK, G. S. A Theory of political ambition: career choices and the role of structural incentives. The American Political Science Review, New York, v. 66, n. 1, p. 144-159, 1972. Doi: https://doi.org/10.2307/1959283. Disponível em: https://bit.ly/3A9rMiz. Acesso em: 8 ago. 2021.

BOHN, S. Mulheres e qualidade das candidaturas nas eleições para o Senado: Brasil e Estados Unidos em contraste. In: LEMOS, L. B. (org.). O Senado Federal brasileiro no pós-constituinte Brasília: UniLegis - Senado Federal, 2008. p. 151-202.

BOURDIEU, P. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

CARLOMAGNO, M; CODATO, A. Profissão, sexo e dinheiro: mensuração da acumulação de desigualdades na competição eleitoral brasileira. Colombia Internacional, Bogotá, n. 95, p. 79-107, jul. 2018. https://doi.org/10.7440/colombiaint95. 2018.04. Disponível.em:.https://bit.ly/3mkhIyx. Acesso em: 08 ago. 2021.

CENTENO, A. R. Os maestros da elite: carreiras e trajetórias dos líderes no Senado Federal entre 1999 e 2006. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018.

CERVI, E. U.; COSTA, L. D.; CODATO, A.; PERISSINOTTO, R. Dinheiro, profissão e partido: a vitória na eleição para deputado federal no Brasil em 2010. Sociedade e Estado, Brasília, v. 30, n. 1, p. 189-205, abr. 2015. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69922015000100011. Disponível em: https://bit.ly/3owXaW0. Acesso em: 28 mar. 2016.

CODATO, A.; COSTA, L. D.; MASSIMO, L. Clas¬sificando ocupações prévias à entrada na política: uma discussão metodológica e um teste empírico. Opinião Pública, Campinas, v. 20, n. 3, p. 346-362, dez. 2014. Doi: https://dx.doi.org/10.1590/1807-01912014203346

CORADINI, O. L. Categorias sócio-profissionais, titulação escolar e disputas eleitorais. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 20, n. 41, p. 109-122, fev. 2012. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782012000100008. Disponível em: https://bit.ly/3DbxHFW. Acesso em: 12 mar. 2016.

CORADINI, O. L. Engajamento associativo-sindical e recrutamento de elites políticas. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 28, p. 181-203,.jun. 2007. Doi: https://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782007000100012. Disponível.em: https://bit.ly/3D9QjWF. Acesso em: 13 abr. 2016.

COSTA, L. D.; CODATO, A. Profissionalização ou popularização da classe política brasileira? Um perfil dos senadores da República. Textos para Discussão, Curitiba, n. 2, p. 1-28, abr. 2012. Dis¬ponível em: https://bit.ly/3B9XMEJ. Acesso em: 18 set. 2017.

COSTA, P. R. N.; COSTA, L. D.; NUNES, W. Os senadores-empresários: recrutamento, carreira e partidos políticos dos empresários no Senado brasileiro (1986-2010). Revista Brasileira de Ciên-cia Política, Brasília, n. 14, p. 227-253, maio/ago.2014. Disponível em: https://bit.ly/3l6pFHX. Aces-so em: 16 set. 2017.

DAHL, R. Poliarquia: participação e oposição. São Paulo: EdUSP, 1997.

FREIRE, A. A profissionalização política dos de-putados portugueses. Sociologia: Revista da Fa-culdade de Letras da Universidade do Porto, Porto, v. 12, p. 27-56, 2002. Disponível em: https://bit.ly/3l8ndB2. Acesso em: 8 ago. 2017.

GAXIE, D. As lógicas do recrutamento político. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 8, p. 165-208, ago. 2012. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-33522012000200007. Disponível em: https://bit.ly/3A8ueGb. Acesso em: 25 ago. 2017.

HERRERA, J. S. La élite parlamentaria de Ca¬narias. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 23, p. 141-153, nov. 2004. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782004000200013. Disponível em: https://bit.ly/2YijYOt. Acesso em: 28 mar. 2016.

LEMOS, L. B. S; RANINCHESKI, S. Carreiras políticas no Senado brasileiro: um estudo das composições do Plenário e da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania na década de 90. In: LEMOS, L. B (org.). O Senado Federal brasileiro no pós-constituinte. Brasília: UniLegis - Senado Federal, 2008. p. 87-121.

LLANOS, M.; SÁNCHEZ, F. Conselho de anciãos? O Senado e seus parlamentares no Cone Sul. In: LEMOS, L. B (org.). O Senado Federal brasileiro no pós-constituinte. Brasília: UniLegis - Senado Federal, 2008. p. 87-121.

MANIN, B. As metamorfoses do governo repre¬sentativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 10, n. 29, p. 5-34, 1995. Disponível em: https://bit.ly/2YohDSn. Acesso em: 20 out. 2016.

MICHELS, R. Os partidos políticos. São Paulo: Senzala, 1970.

MIGUEL, L. F. Capital político e carreira eleitoral: algumas variáveis na eleição para o Congresso brasileiro. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, n. 20, p. 115-134, jun. 2003. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-44782003000100010. Disponível em: https://bit.ly/3iv5aDp. Acesso em 26 ago. 2017.

MIGUEL, L. F.; MARQUES, D.; MACHADO, C. Capital familiar e carreira política no Brasil: gênero partido e região nas trajetórias para a Câmara dos Deputados. Dados, Rio de Janeiro, v. 58, n. 3, jul./set. 2015. Doi: https://doi.org/10.1590/00115258201557. Disponível em: https://bit.ly/3AdLaej. Acesso em: 15 mar. 2016.

MILLS, C. W. A elite do poder. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1981.

MILLS, C. W. Poder e política. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1965.

NEIVA, P. R. P. Coesão e disciplina partidária no Senado Federal. Dados, Rio de Janeiro, v. 54, n. 1, p. 289-318, 2011. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52582011000200003. Disponível.em: https://bit.ly/3a5IQeU. Acesso em: 15 mar. 2016.

NEIVA, P.; IZUMI, M. Perfil profissional e distribuição regional dos senadores brasileiros em dois séculos de história. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 29, n. 84, p. 165-188,.fev. 2014. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092014000100011. Disponível.em: https://bit.ly/3mEDMEj. Acesso em: 16 set. 2017.

PANEBIANCO, A. Modelos de partido: organização e poder nos partidos políticos. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

PERISSINOTTO, R.; VEIGA, L. F. Profissionalização política, processo seletivo e recursos partidários: uma análise da percepção dos candidatos do PT, PMDB, PSDB e DEM nas eleições para Deputado Federal de 2010. Opinião Pública, Campinas, v. 20, n. 1, p. 49-66, abr. 2014. Doi:http://dx.doi.org/10.1590/S0104-62762014000100003

PERISSINOTTO, R.; MIRÍADE, A. Caminhos para o parlamento: candidatos e eleitos nas eleições para deputado federal em 2006. Dados, Rio de Janeiro, v. 52, n. 2, p. 301-333, jun. 2009. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0011-52582009000200002. Disponível em: https://bit.ly/3FgQukZ. Acesso em: 15 mar. 2016.

PERISSINOTTO, R.; COSTA, L. D.; TRIBESS, C. Origem social dos parlamentares paranaenses (1995-2006): alguns achados e algumas questões de pesquisa. Sociologias, Porto Alegre, v. 11, n. 22, p. 280-313, jul./dez. 2009. Doi: https://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222009000200011. Disponível em: https://bit.ly/3DeUDEj. Acesso em: 13 abr. 2016.

RODRIGUES, L. M. Mudanças na classe política brasileira. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2009. Disponível em: https://bit.ly/3la2OLM. Acesso em: 20 set. 2017.

RODRIGUES, L. M. Partidos, ideologia e composição social. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 17, n. 48, p. 31-47, fev. 2002. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-69092002000100004

SARTORI, G. A teoria da democracia revisitada: o debate contemporâneo. São Paulo: Ática, 1994. v. 1

SCHUMPETER, J. Capitalismo, socialismo e democracia. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

VERCESI, M. Approaches and lessons in political career research: Babel or pieces of a patchwork? Revista Española de Ciencia Política, n. 48, p. 183-206, nov. 2018. Doi: https://doi.org/10.21308/recp.48.07

WEBER, M. A Política como vocação. In: WEBER, M. Ciência e política: duas vocações. São Paulo: Cultrix, 2015.

Downloads

Publicado

06.12.2021

Como Citar

CENTENO, A. R. Profissionalização política: social background, carreiras e trajetórias. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 42, n. 2, p. 171–182, 2021. DOI: 10.5433/1679-0383.2021v42n2p171. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/42478. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre