O gênero com órgão de memória em filmes de ficção-científica

Autores

  • Carmen Irene Correia Oliveira Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2013v34n2p173

Palavras-chave:

Remakes, Ficção-científica, Memória de gênero, Filmes, Mikhail Bakhtin.

Resumo

Trabalha o conceito de memória de gênero (Bakhtin), a partir de remakes de ficção-científica. Toma o gênero como uma força dinâmica que trabalha no sentido da permanência e da mudança, articulando os elementos que determinam a intertextualidade. Na corrente de uma longa tradição, uma obra traz as características marcantes de um gênero que funciona como um “órgão de memória” em um sentido relativamente autônomo. Afirma que, no contexto dos filmes analisados, os elementos que se propagam dentro do gênero sofreram algumas variações nas refilmagens, em função do contexto sócio-histórico, ao passo que a permanência é marcada pelos temas recorrentes.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Carmen Irene Correia Oliveira, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

tora em Ciência da Informação pela Universidade Federal Fluminense, em convênio com o IBICT. Profa. Adjunto II da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Departamento de Filosofia e Ciências Sociais. Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação e do Programa de Pós-Graduação em Memória Social.

Downloads

Publicado

24.07.2013

Como Citar

OLIVEIRA, C. I. C. O gênero com órgão de memória em filmes de ficção-científica. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 34, n. 2, p. 173–190, 2013. DOI: 10.5433/1679-0383.2013v34n2p173. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/15126. Acesso em: 20 maio. 2024.

Edição

Seção

Dossiê