Quotas de produção de açúcar: uma análise de causalidade

Autores

  • M. S. Queirós Universidade Estadual de Londrina
  • Hideharu Carlos Ikehara Universidade Estadual de Londrina
  • Sergio Alberto Brandt Universidade Federal de Viçosa
  • Jackson Proença Testa Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.1981v2n7p137

Resumo

 

O objetivo deste ensaio é testar as hipóteses de que (a) a quota de produção de açúcar ê exógena em relação à produção observada de açúcar; (b) os resíduos da relação entre produção observada e quotas de produção não são autocorrelacionados e (c) a variância da mesma relação é homogênea. O modelo proposto é baseado no teste de SIMS, utilizando-se dados de 1952-72, e os resultados obtidos apresentam evidência de que os produtores de açúcar criam expectativas futuras acerca das quotas de produção de açúcar a serem estabelecidas pelo IAA e de que eles ajustam sua produção de acordo com as expectativas formuladas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

M. S. Queirós, Universidade Estadual de Londrina

Professora do Departamento de Economia, Universidade Rural do Rio Grande do Norte, Mestre em Economia Rural pela UFV.

Hideharu Carlos Ikehara, Universidade Estadual de Londrina

 

Professor do Departamento de Economia, Universidade Estadual de Londrina.

 

Sergio Alberto Brandt, Universidade Federal de Viçosa

 

Professor do Departamento de Economia Rural da Universidade Federal de Viçosa, PhD pela Ohio State University.

Jackson Proença Testa, Universidade Estadual de Londrina

Professor de Departamento de Economia da Universidade Estadual de Londrina e Coordenador do Curso de Pós-Graduacão de Economia e Administração Rural da Universidade Estadual de Londrina.

 

Downloads

Publicado

2004-12-15

Como Citar

1.
Queirós MS, Ikehara HC, Brandt SA, Testa JP. Quotas de produção de açúcar: uma análise de causalidade. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 15º de dezembro de 2004 [citado 12º de junho de 2024];2(7):137-9. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/6252

Edição

Seção

Artigos