Efeito da vacinação no rebaixamento da prevalência da brucelose bovina no Estado de Mato Grosso, Brasil

Autores

  • Janice Elena Ioris Barddal Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  • Jociane Cristina Quixabeira-Santos Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso
  • Isabela Ferreira Lopes Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso
  • José Soares Ferreira Neto Universidade de São Paulo
  • Fernando Ferreira Universidade de São Paulo
  • Marcos Amaku Universidade de São Paulo
  • Ricardo Augusto Dias Universidade de São Paulo
  • Evelise Oliveira Telles Universidade de São Paulo
  • José Henrique Hildebrand Grisi-Filho Universidade de São Paulo
  • Marcos Bryan Heinemann Universidade de São Paulo
  • Vitor Salvador Picão Gonçalves Universidade de Brasília
  • Daniel Moura Aguiar Universidade Federal do Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n5Supl2p3479

Palavras-chave:

Brucelose bovina, Vacinação, Prevalência, Fatores de risco, Mato Grosso, Brasil.

Resumo

O estudo foi realizado para se verificar a eficácia do programa de vacinação contra brucelose bovina implementado pelo estado de Mato Grosso, utilizando-se a prevalência como indicador. O Estado foi dividido em quatro regiões: Pantanal, Leite, Engorda e Cria. Para cada região, um número preestabelecido de propriedades foi selecionado e em cada uma delas foram colhidas amostras de sangue de fêmeas com idade igual ou superior a 24 meses, aleatoriamente escolhidas. Os soros dos animais foram submetidos a um protocolo de testes em série, com triagem pelo teste com Antígeno Acidificado Tamponado e confirmação pela Fixação do Complemento. Em cada propriedade foi aplicado um questionário para individualizar os fatores de riscos associados à doença. No estado, a prevalência de focos foi 24,0% [21,3; 26,8] e a de animais 5,1% [3,5; 7,2]. As prevalências de focos e de animais nas regiões foram 21,2% e 6,4% no Pantanal, 17,2% e 3,7% na região Leite, 34,0% e 7,2% na região de Engorda e 24,3% e 4,4% na região de Cria. A brucelose bovina no estado está associada à introdução de reprodutores, ao tamanho do rebanho, ao compartilhamento de pastagem e ao tipo de exploração corte e mista. Propõe-se assim que o estado de Mato Grosso intensifique seu programa profilático principalmente a estratégia de vacinação, buscando maior eficácia do controle da brucelose bovina. Houve redução na prevalência de focos desde 2002, entretanto, ainda são altas as prevalências de focos e de animais em todo o estado. Adicionalmente a utilização da vacina não indutora de anticorpos, especialmente no Pantanal deve ser estimulada, onde o manejo dos animais é dificultado pelo ciclo de cheia e vazante. Além disso, o estado deve realizar maiores esforços no sentido de conscientizar os produtores para que avaliem os animais de reprodução para brucelose antes de introduzi-los nas propriedades e evitem o compartilhamento de pastagens entre rebanhos de condição sanitária desconhecida.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Janice Elena Ioris Barddal, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Auditora Fiscal Federal Agropecuário, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, MAPA, Cuiabá, MT, Brasil.

Jociane Cristina Quixabeira-Santos, Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso

Médico Veterinário, Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, INDEA, Cuiabá, MT, Brasil.

Isabela Ferreira Lopes, Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso

Médico Veterinário, Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso, INDEA, Cuiabá, MT, Brasil.

José Soares Ferreira Neto, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Fernando Ferreira, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Marcos Amaku, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Ricardo Augusto Dias, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Evelise Oliveira Telles, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

José Henrique Hildebrand Grisi-Filho, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Marcos Bryan Heinemann, Universidade de São Paulo

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, USP, São Paulo, SP, Brasil.

Vitor Salvador Picão Gonçalves, Universidade de Brasília

Prof., Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, UNB, Brasília, DF, Brasil.

Daniel Moura Aguiar, Universidade Federal do Mato Grosso

Prof., Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal do Mato Grosso, UFMT, Cuiabá, MT, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-11-09

Como Citar

Barddal, J. E. I., Quixabeira-Santos, J. C., Lopes, I. F., Ferreira Neto, J. S., Ferreira, F., Amaku, M., Dias, R. A., Telles, E. O., Grisi-Filho, J. H. H., Heinemann, M. B., Gonçalves, V. S. P., & Aguiar, D. M. (2016). Efeito da vacinação no rebaixamento da prevalência da brucelose bovina no Estado de Mato Grosso, Brasil. Semina: Ciências Agrárias, 37(5Supl2), 3479–3492. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n5Supl2p3479

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 > >>