Influência do estádio de maturação na longevidade de frutos de tomate cereja armazenados sob temperatura ambiente e controlada

Autores

  • Cristiana Maia de Oliveira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Leandro Martins Ferreira Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Margarida Gorete Ferreira do Carmo Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
  • Regina Celi Cavestre Coneglian Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n6p4027

Palavras-chave:

Solanum lycopersicum, Estádio de maturação, Pós-colheita.

Resumo

O estádio de maturação do fruto influencia diretamente na sua vida pós-colheita e na escolha por parte do consumidor, por isso o entendimento do processo de maturação e de suas características de qualidade para o armazenamento são fatores fundamentais para a comercialização. Diante disso, este trabalho teve por objetivo determinar o tempo de prateleira e alterações dos índices físicos e químicos em frutos de tomate do grupo cereja, colhidos em quatro estádios de maturação e armazenados sob temperatura ambiente e controlada. Para isso, foram utilizados frutos nos estádios de maturação: de vez, rosado, vermelho e maduro, submetidos às temperaturas: ambiente (25 ± 2 °C) e controlada (12 °C e UR de 90%) e avaliados os índices de perda de massa fresca, acidez titulável, pH, sólidos solúveis e ácido ascórbico ao longo do tempo. O delineamento experimental foi inteiramente casualisado em um fatorial 2x4x7 para temperatura ambiente e 2x4x8 para temperatura controlada. Em temperatura ambiente, longevidade de até 20 dias foi observada para frutos de Perinha Água branca (PAB) e Mascot colhidos nos estádios de maturação de vez e rosado e de 15 dias para os estádios vermelho e maduro em PAB e de 15 e 11 dias, respectivamente, para vermelho e maduro em Mascot. Em temperatura controlada, frutos de PAB apresentaram longevidade de 24 dias quando colhidos de vez e rosado e de 20 e 7 dias, respectivamente, quando vermelho e maduro. Longevidade de até 27 dias foi observada para Mascot quando colhidos no estádio de vez e de 24 dias para os demais estádios. Frutos colhidos no estádio de maturação de vez e rosado associado ao armazenamento em condições controladas apresentam maior longevidade e manutenção dos índices físicos e químicos de qualidade.

 

Biografia do Autor

Cristiana Maia de Oliveira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Fitotecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ, Seropédica, RJ, Brasil.

Leandro Martins Ferreira, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Solos, UFRRJ, Seropédica, RJ, Brasil.

Margarida Gorete Ferreira do Carmo, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Profa, Departamento de Fitotecnia, UFRRJ, Seropédica, RJ, Brasil.

Regina Celi Cavestre Coneglian, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Profa, Departamento de Fitotecnia, UFRRJ, Seropédica, RJ, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-12-14

Como Citar

Oliveira, C. M. de, Ferreira, L. M., Carmo, M. G. F. do, & Coneglian, R. C. C. (2016). Influência do estádio de maturação na longevidade de frutos de tomate cereja armazenados sob temperatura ambiente e controlada. Semina: Ciências Agrárias, 37(6), 4027–4038. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n6p4027

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)