Manejo de ordenha como fator de risco na ocorrência de microorganismos em leite cru

Autores

  • Tony Picoli Universidade Federal de Pelotas
  • João Luíz Zani Universidade Federal de Pelotas
  • Fernando da Silva Bandeira Universidade Federal de Pelotas
  • Victor Fernando Büttow Roll Universidade Federal de Pelotas
  • Maria Edi Rocha Ribeiro Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
  • Gilberto D'Ávila Vargas Universidade Federal de Pelotas
  • Sílvia Oliveira Hübner Universidade Federal de Pelotas
  • Marcelo de Lima Universidade Federal de Pelotas
  • Mário Carlos Araújo Meireles Universidade Federal de Pelotas
  • Geferson Fischer Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n4Suplp2471

Palavras-chave:

Qualidade microbiológica, Leite, Staphylococcus, Streptococcus.

Resumo

O leite é um alimento natural e rico em nutrientes, porém a forma como muitas vezes é obtido interfere na sua qualidade microbiológica e nutricional. E a qualidade dos produtos é uma exigência cada vez maior do mercado consumidor. Assim, objetivou-se identificar micro-organismos presentes no leite de tanques resfriadores, na região sul do Rio Grande do Sul, e estabelecer uma correlação entre o manejo dos animais e sua presença no tanque. Foram coletadas amostras de leite em propriedades de seis municípios e realizadas análises microbiológicas para identificação microbiana. As médias das contagens foram: Staphylococcus sp. 5,32x106 UFC/mL, S. aureus 1,33x105 UFC/mL, enterobactérias 1,82x107 UFC/ mL. Houve presença de Escherichia coli (27,8% das propriedades), Streptococcus agalactiae (6,2%), S. dysgalactiae (37,2%), S. uberis (16,8%), Candida sp. (15,7%), Aspergillus sp. (5,8%), Trichosporum sp. (3,6%) e Cryptococcus sp. (1,5%). Identificou-se uma Odds Ratio de 3,2 para S. agalactiae com relação à ordenha manual e de 3,1 quando um único pano era usado para secagem dos tetos. Para S. dysgalactiae houve 55,8% de probabilidade da ocorrência em caso de não secagem dos tetos. Para S. bovis, uma Odds Ratio de 2,8 em propriedades que ordenham seus animais em estábulos de madeira. Houve aumento significativo (p=0,003) na contagem de células somáticas (CCS) de propriedades que realizam ordenha manual em relação àquelas mecanizadas. A ordenha manual aumentou as contagens de S. aureus (p=0,04). A realização de pré-dipping contribuiu para a redução da contagem de Staphylococcus sp. e houve diferença significativa em relação ao grupo que não realizava esta prática (p=0,04). Conclui-se que as técnicas de manejo mais precárias influenciam negativamente na qualidade microbiológica do leite, aumentando os riscos de ocorrência de agentes infecciosos e elevando as contagens de micro-organismos.

Biografia do Autor

Tony Picoli, Universidade Federal de Pelotas

Discente de Doutorado em Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, UFPel, Pelotas, RS.

João Luíz Zani, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Fernando da Silva Bandeira, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Victor Fernando Büttow Roll, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº Zootecnia, UFPel, Pelotas, RS.

Maria Edi Rocha Ribeiro, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Pesquisador, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA, Clima Temperado, Pelotas, RS.

Gilberto D'Ávila Vargas, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Sílvia Oliveira Hübner, Universidade Federal de Pelotas

Profª do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Marcelo de Lima, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Mário Carlos Araújo Meireles, Universidade Federal de Pelotas

Prof. do Deptº de Veterinária Preventiva, UFPel, Pelotas, RS.

Geferson Fischer, Universidade Federal de Pelotas

Professor Adjunto do Departamento de Veterinária Preventiva, Universidade Federal de Pelotas. Laboratório de Virologia e Imunologia Animal

Downloads

Publicado

2014-09-04

Como Citar

Picoli, T., Zani, J. L., Bandeira, F. da S., Roll, V. F. B., Ribeiro, M. E. R., Vargas, G. D., … Fischer, G. (2014). Manejo de ordenha como fator de risco na ocorrência de microorganismos em leite cru. Semina: Ciências Agrárias, 35(4Supl), 2471–2480. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2014v35n4Suplp2471

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>