Análise taxonômica dos tipos de quadros de acordo com profissionais de histórias em quadrinhos

Autores

  • Ricardo Preter Lengler Universidade do Vale do Itajaí (Univali)
  • Rafael Marques de Albuquerque Universidade do Vale do Itajaí

DOI:

https://doi.org/10.5433/2236-2207.2022v13n2p209

Palavras-chave:

Linguagem visual, quadrinhos, taxonomia.

Resumo

A linguagem visual dos quadrinhos é algo que vem sendo pesquisado ao longo do tempo por diversos autores desde que se tornou um objeto de estudo. Entretanto, o processo de produção de cada autor se baseia na maior parte nas suas experiências lendo e produzindo quadrinhos. A falta de um estudo maior pode ocasionar em uma confusão na hora de produzir, principalmente para quadrinistas iniciantes que não têm tanta experiência e procuram conteúdo para seu auxílio. Este artigo tem como objetivo utilizar uma proposta taxonômica sobre os tipos de quadros e entrevistar diversos(as) quadrinistas de diferentes áreas para entender como é o processo de cada um(a), e como eles(as) entendem esses tipos de quadros, e se podem ser úteis para seu trabalho. Neste artigo sugere que uma proposta taxonômica que sistematize o modo de pensar os quadrinhos pode ajudar quadrinistas, sem excluir o fato de que grande parte da decisão de como são os quadros decorre de um processo intuitivo e sensível, que utiliza mais do repertório do(a) quadrinista e contexto do quadro do que regras fixas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ricardo Preter Lengler, Universidade do Vale do Itajaí (Univali)

Bacharel em Design pela Universidade do Vale do Itajaí

Rafael Marques de Albuquerque, Universidade do Vale do Itajaí

Professor da Universidade do Vale do Itajaí. PhD em educação pela Universidade de Nottingham (2016)

Referências

BONI, Valdete; QUARESMA, Sílvia Jurema. Aprendendo a entrevistas: como fazer entrevistas em Ciencias Sociais. Revista Eletrônica dos Pos-Graduandos em Sociologia Politica da UFSC, 2005.

COHN, Neil. Visual Language Theory and the scientific study of comics. Tilburg University, 2018.

DELANEY, Connor. Seeing the Big Picture: The use of Composition in Comics. The Hood Utilitarian, 2012. Disponível em https://www.hoodedutilitarian.com/2012/06/seeing-the-big-picture-the-use-of-composition-in-comics-2/#:~:text=The%20composition%20is%20the%20perspective.and%20reaction%20throughout520a%20comic.

EISNER, Will. Comics and Sequential Art. Poorhouse Press, 1985.

(AVALIAÇÃO CEGA)

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia cientifica. Editora Atlas, 2003.

MCCLOUD, Scott. Understanding Comics. Harper Perennial, 1993.

ROBINZON, Dave. Creating Comics: Visual and Verbal Thinking in the Ultimate Show and Tell. Colllege of Willian and Mary, 2003.

SELLTIZ, Claire et al. Métodos de pesquisa nas relações sociais. Traduçao de Maria Martha Hubner de Oliveira. São Paulo: EPU, 1987.

SCHODT, Frederik L. Manga! Manga! The World of Japanese Comics. New York: Kodansha America Inc, 1983.

WALLESTAD, Thomas J. Developing the Visual Language of Comics: The Interactive Potential of Japan’s Contributions. Marian University, 2009

Downloads

Publicado

2022-09-30

Como Citar

Lengler, R. P., & Albuquerque, R. M. de. (2022). Análise taxonômica dos tipos de quadros de acordo com profissionais de histórias em quadrinhos. Projetica, 13(2), 209–222. https://doi.org/10.5433/2236-2207.2022v13n2p209

Edição

Seção

Design Grafico: Imagem e Mídia

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)