Novas estratégias políticas no pós-1930: a prefeitura de Pedro Ernesto Baptista no Rio de Janeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2010v3n5p439

Palavras-chave:

Pedro Ernesto Baptista, Po-pulismo, Trabalhismo, União, Universidade do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Brasil

Resumo

Esse artigo trata do projeto político inovador de Pedro Ernesto Baptista, inicialmente interventor e posteriormente primeiro prefeito eleito da cidade do Rio de Janeiro, então Distrito Federal. Ele foi o responsável pela criação da União Trabalhista do Distrito Federal, da Universidade do Distrito Federal, além de pioneiro na liberação dos cassinos e na oficialização do samba; tornou-se ainda o idealizador de importantes projetos, como por exemplo, a Escola de Polícia. Ele foi aos poucos aprofundando suas relações com os trabalhadores e conquistou ampla popularidade, o que causou o descontentamento de diversos grupos políticos. O grande opositor do Prefeito viria a ser o presidente da República e os homens do governo federal, que viam Pedro Ernesto como uma força política que crescia nacionalmente e que poderia se tornar um concorrente em potencial para Vargas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Thiago Cavaliere Mourelle, Arquivo Nacional - AN

Mestre em História Política pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Historiador do Arquivo Nacional.

Referências

BARROS, Orlando de. Preconceito e educação no Governo Vargas (1930-45). Capanema: um episódio de intolerância no Colégio Pedro II. Rio de Janeiro: Colégio Pedro II, 1987.

______. O anarquista das letras. In: DEMINICIS Rafael; REIS FILHO, Daniel Aarão (org.). História do Anarquismo no Brasil. 1 v. Niterói / Rio de Janeiro, EdUFF / Mauad, 2006.

CONNIFF, Michael L. Política urbana no Brasil: a ascensão do populismo 1925-1945. Tradução de Myriam Campello. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2006.

DICIONÁRIO HISTÓRICO BIOGRÁFICO BRASILEIRO. CPDOC – FGV.

FREYRE, Américo. República, cidade e capital: o poder central e as forças políticas do Rio de Janeiro no contexto da implantação republicana. IN: FERREIRA, Marieta de Moraes (Coord.). Rio de Janeiro: Uma cidade na História. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

GAWRYSZEWSK, Alberto. A administração Pedro Ernesto 1931-1936. Dissertação de Mestrado. Niterói: UFF, 1988.
GOMES, Ângela Maria de Castro. A invenção do trabalhismo. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

LEMME, Antonio César. Rompendo o Silêncio: educação, cidadania na administração Pedro Ernesto. Rio de Janeiro: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, Secretaria das Culturas, s/d.

NUNES, João Roberto Oliveira. A administração Pedro Ernesto e a Questão Educacional. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro: UERJ, 2001.

PEDREIRA, Mário Bulhões. Razões de Defesa do Dr. Pedro Ernesto Baptista, 1937.

SARMENTO, Carlos Eduardo. O Rio de Janeiro na Era Pedro Ernesto. Rio de Janeiro: FGV, 2001.

SOUZA, Vanderlei Sebastião de. A ‘eugenia negativa’ nos trópicos: a política biológica e a construção da nacionalidade na trajetória de Renato Kehl (1928-1932). IN: XII Encontro de História Regional. Rio de Janeiro, 2006.

TILLY, Charles. Coerção, Capital e Estados Europeus. 990-1992. São Paulo: EDUSP, 1996.

Downloads

Publicado

10-03-2010

Como Citar

MOURELLE, T. C. Novas estratégias políticas no pós-1930: a prefeitura de Pedro Ernesto Baptista no Rio de Janeiro. Antíteses, [S. l.], v. 3, n. 5, p. 439–461, 2010. DOI: 10.5433/1984-3356.2010v3n5p439. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/3669. Acesso em: 18 maio. 2024.