Deslocamento e inserção social: vivências de migração e refúgio

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-4842.2022v25n2p439

Palavras-chave:

Migração, Refúgio, Direitos humanos, `Políticas públicas

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo analisar as vivências de pessoas em situação de migração e refúgio frente ao processo de deslocamento e inserção social no Brasil.  Com um delineamento exploratório descritivo de metodologia mista, participaram 71 pessoas da região do Vale dos Sinos, no Rio Grande do Sul. A coleta de dados deu-se através de um questionário biosociodemográfico e em uma entrevista semiestruturada, analisados através de estatística simples e análise de conteúdo. Os resultados apontaram que as vivências de sofrimento dos participantes, atreladas ao aprendizado do idioma, à inserção no mercado de trabalho e aos diferentes modos de violência, estão diretamente associadas à ausência de políticas públicas de acolhimento e de proteção social aos migrantes e refugiados da região. Necessitando políticas protetivas de acolhimento e de garantia de direitos no contexto migratório.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Camila Sbeghen, Universidade Feevale

Graduada em Psicologia, Universidade Feevale

Andressa Wendling, Universidade Feevale

Graduada em Psicologia, Universidade Feevale

Vilma Arnold, Universidade Feevale

Graduada em Psicologia, Universidade Feevale

Jaqueline Michaelsen Macedo, Universidade Feevale

Graduada em Psicologia, Universidade Feevale

Carmem Regina Giongo, Universidade Feevale

Doutora em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS. Professora no curso de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Feevale.

 

Referências

ACNUR - Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Brasil torna-se o país com maior número de refugiados venezuelanos reconhecidos na América Latina. Brasília, DF: ACNUR Brasil, 2020a. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues /2020/01/31/brasil-torna-se-o-pais-com-maior-numero-de-refugiados-venezuelanos-reconhecidos-na-america-latina/. Acesso em: 10 ago. 2020.

ACNUR - ALTO COMISSARIADO DAS NAÇÕES UNIDAS PARA OS REFUGIADOS. Dados sobre refúgio no Brasil. Brasília, DF: ACNUR Brasil, 2020b. Disponível em: https://www.acnur.org/portuguesdadossobrerefugio/dadossobrerefugionobrasil/. Acesso em: 10 ago. 2020.

ACNUR - Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Perguntas e respostas. Brasília, DF: ACNUR Brasil, 2019a. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues /dados-sobre-refugio/perguntas-e-respostas/. Acesso em: 6 mar. 2019.

ACNUR - Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados. Resumo executivo: perfil socioeconômico dos refugiados no Brasil: subsídios para elaboração de políticas. Brasília, DF: ACNUR: CSVM, 2019b. Disponível em: https://www.acnur.org/portugues/wpcontent/uploads/2019/ 06/Resumo-ExecutivoVersa% CC%83o-Final-Alterada.pdf. Acesso em: 10 set. 2019.

ALVES, Giovanni. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. 2. ed. Londrina: Práxis, 2007.

ARAÚJO, Romilda Ramos; SACHUK, Maria Iolanda. Os sentidos do trabalho e suas implicações na formação dos indivíduos inseridos nas organizações contemporâneas. Revista de Gestão, São Paulo, SP, v. 14, n. 1, p. 53-66, 2007. Disponível em: http://www.spell.org.br/documentos/ver/27572/ossentidos-do-trabalho-e-suas-implicacoes-na-formacao-dos-individuos-inseridos-nas-organizacoes-contemporaneas/i/pt-br. Acesso em: 5 dez. 2020.

BALDIN, Nelma; MUNHOZ, Elzira M. Snowball (bola de neve): uma técnica metodológica para pesquisa em educação ambiental comunitária. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 10., 2011, Curitiba, PR. Anais [...]. Curitiba: PUC Paraná, 2011. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/4398_2342.pdf. Acesso em: 22 abr. 2020.

BARBOSA, Raul Felix. Reassentamento solidário e políticas públicas para refugiados no Brasil. Universitas: Relações Internacionais, Brasília, DF, v. 73, n. 2, p. 17-23, 2017. Disponível em: https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/relacoesinternacionais/ article/view/3398. Acesso em: 7 dez. 2020.

BECKER, Ana Paula Sesti; BORGES, Lucienne Martins. O impacto das redes sociais no processo de migração familiar. Ayvu: Revista de Psicologia, Niterói, RJ, v. 2, n. 1, p. 161-185, 2015. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Ana_Paula_Sesti_Becker/publication/328818667_O_impacto_das_redes_sociais_no_processo_de_migracao_familiar/links/5e397115299bf1cdb90b7260/O-impacto-das-redes-sociais-no-processo-de-migracao-familiar.pdf. Acesso em: 5 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.22409/ayvu.v2i1.22195

BÓGUS, Lucia Maria M.; FABIANO, Maria Lucia Alves. O Brasil como destino das migrações internacionais recentes: novas relações, possibilidades e desafios. Ponto-e-Vírgula: Revista de Ciências Sociais, São Paulo, n. 18, 2015. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/pontoevirgula/article /view/29806. Acesso em: 14 mar. 2019.

BRASIL. Lei Nº 13.445, de 24 de maio de 2017. Institui a lei da Migração. Brasília, DF: Presidência da República, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/L13445.htm. Acesso em: 12 mar. 2019.

BRASIL. Lei nº 9.474, de 22 de julho de 1997. Define mecanismos para a implementação do Estatuto dos Refugiados de 1951, e determina outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1997. Disponível em: https://goo.gl/TtihUr. Acesso em: 12 mar. 2019.

BRASIL. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Brasil registra mais de 700 mil migrantes entre 2010 e 2018. Ministério da Justiça e Segurança Pública. Brasília: Ministério da Justiça e Segurança Pública, 2019. Disponível em: https://www.justica.gov.br/ news/collective-nitf-content-1566502830.29. Acesso em: 17 dez. 2019.

CARRASQUEIRA, Flora Allain; BARBARINI, Neuzi. Psicodinâmica do trabalho: uma reflexão acerca do sofrimento mental nas organizações. Jornada de Saúde Mental e Psicanálise da PUCPR, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 1-19, 2010. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/index.php/ jm?dd1=4375&dd99=view. Acesso em: 5 dez. 2020.

CUNHA, Tânia Batista da; VIEIRA, Sarita Brazão. Entre o bordado e a renda: condições de trabalho e saúde das labirinteiras de Juarez Távora/Paraíba. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, DF, v. 29, n. 2, p. 258-275, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1414989320090002 00005&script=sci_abstract https://doi.org/10.1590/S1414-98932009000200005. Acesso em: 10 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S1414-98932009000200005

DE SÁ, Patrícia Rodrigues Costa; SILVA, Filipe Rezende. Desafios à inclusão dos imigrantes haitianos na sociedade brasileira. In: SEMINÁRIO MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS, REFÚGIO E POLÍTICAS, 2016, São Paulo, SP. Anais [...]. Campinas: Nepo Unicamp, 2016. Disponível em: https://www.nepo.unicamp.br/publi cacoes /anais/arquivos/27_PRCS.pdf. Acesso em: 5 dez. 2020.

FELLET, João. Em comunicado a diplomatas, governo Bolsonaro confirma saída de pacto de migração da ONU. BBC News Brasil, São Paulo, 8 jan. 2019. Disponível em: https://www. bbc.com/ portuguese/brasil-46802258. Acesso em: 24 abr. 2019.

FONTES, Ivo Emanuel Meira Tito. Imigração e integração social: a integração social de imigrantes no distrito de Santarém. 2010. 119 f. Dissertação (Mestrado em Sociologia) – Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Coimbra, 2010. Disponível em: https://estudo geral.sib.uc.pt/handle/10316/14584. Acesso em: 6 dez. 2020.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GRANADA, Daniel; CARRENO, Ioná; RAMOS, Natália; RAMOS, Maria da Conceição Pereira. Discutir saúde e imigração no contexto atual de intensa mobilidade humana. Interface, Botucatu, SP, v. 21, n. 61, p. 285-296, abr./jun. 2017. Disponível em: https://www.scielosp.org/article/icse/2017. /285-296/pt/. Acesso em: 14 mar. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/1807-57622016.0626

GRIGORIEFF, Alexandra Garcia; MACEDO, Mônica Medeiros Kother. Singulares deslocamentos na experiência psíquica de migrar. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 30, n. 3, p. 471-492, 2018. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-566520180003 00005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 9 dez. 2020.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA-IPEA. Migrantes, apátridas e refugiados: subsídios para o aperfeiçoamento de acesso a serviços, direitos e políticas públicas no Brasil. Brasília: Ministério da Justiça, Secretaria de Assuntos Legislativos: IPEA, 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/interiorizacao-e-a-nossa-esperanca-por-melhores-oportunidades-diz-venezuelano-no-brasil/. Acesso em: 23 mar. 2019.

KALLEBERG, Arne L. O crescimento do trabalho precário: um desafio global. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, SP, v. 24, n. 69, p. 21-30, 2009. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/242693505_O_crescimento_do_trabalho_precario_um_desafio_global. Acesso em: 27 nov. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-69092009000100002

LUSSI, Carmem. Políticas públicas e desigualdades na migração e refúgio. Psicologia USP, São Paulo, SP, v. 26, n. 2, p. 136-144, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S0103-65642015000200136&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 25 abr. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-6564D20140014

MALLARD, Suzana Duarte Santos; CREMASCO, Maria Virginia Filomena; METRAUX, Jean Claude. Estrangeiridade e vulnerabilidade psíquica: algumas contribuições psicanalíticas. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, DF, v. 31, n. 1, p. 125-132, mar. 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext &pid=S0102-37722015000100125&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 9 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-37722015011786125132

MARTIN, Denise; GOLDBERG, Alejandro; SILVEIRA, Cássio. Imigração, refúgio e saúde: perspectivas de análise sociocultural. Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 27, p. 26-36, jan. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-12902018000100026 &lng=en&nrm=iso. Acesso em: 11 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/s0104-12902018170870

MARTINS-BORGES, Lucienne. Migração involuntária como fator de risco à saúde mental. REMHU: Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, Brasília, v. 21, n. 40, p. 151-162, jun. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1980-85852013000100009&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S1980-85852013000100009

MELO, Jéssica Ortiz de; ROMANI, Patrícia Fasolo. Resiliência de imigrantes haitianos frente ao processo de adaptação no novo país: impactos na saúde mental. Psicologia Argumento, Curitiba, v. 37, n. 96, p. 184-206, jan./ mar. 2019. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/psicologiaargumento /article/view/25578/pdf. Acesso em: 5 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.7213/psicolargum.37.96.AO03

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Apresentação. In: GOMES, Romeu. Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Instituto Sírio Libanês de Ensino e Pesquisa, 2014. p. 5-7.

OLIVEIRA, Ana Maria. Processamento da linguagem num contexto migratório e de integração. In: GROSSO, Maria José dos Reis (org.). Educação em português e migrações. Lisboa: Lidel, 2010. p. 24-39. Disponível em: https://repositorio.ipv.pt /bitstream/10400.19/993/3/Processamento%20da%20Informa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 1 dez. 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS-ONU. ONU lança campanha de combate à xenofobia contra venezuelanos no Peru. Brasília: Nações Unidas Brasil, 2018. Disponível em: https://nacoesunidas.org/onu-lanca-campanha-de-combate-a-xenofobia-contra-venezuelanos-no-peru/. Acesso em: 23 abr. 2019.

PRADO, Marco Aurélio Máximo; ARAÚJO, Suzana Almeida. Políticas de atendimento a migrantes e refugiados no Brasil e aproximações da psicologia. Revista Psicologia Política, São Paulo, v. 19, n. 46, p. 570-583, dez. 2019. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S1519-549X2019000300014&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 14 dez. 2020.

SÃO PAULO (Município). Decreto Nº 56.353, de 24 de agosto de 2015. São Paulo: Casa Civil, 2015. Institui o comitê intersetorial da política municipal para a população imigrante. Disponível em: https://leismunicipais. com.br /a/sp/s/sao-paulo/decreto/2015/5636/56353/decreto-n-56353-2015-institui. Acesso em: 10 abr. 2020.

SCHÜTZE, Fritz. Pressure and guilt: war experiences of a young German soldier and their biographical implication. International Sociology, London, v. 7, n. 2, p. 187-208, 1992. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/abs/10.1177/026858092007003006. Acesso em: 4 maio 2020. DOI: https://doi.org/10.1177/026858092007002005

SILVA, João Carlos Jarochinski; BÓGUS, Lucia Maria Machado; SILVA, Stéfanie Angélica Gimenez Jarochinski. Os fluxos migratórios mistos e os entraves à proteção aos refugiados. Revista Brasileira de Estudos de População, Campinas, SP, v.34, n. 1, p. 15-30, abr. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010230982017 000100015&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 28 dez. 2020. DOI: https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0003

SILVA, Sidney Antônio da. Imigração e redes de acolhimento: o caso dos haitianos no Brasil. Revista Brasileira de Estudos de População, Campinas, SP, v. 34, n. 1, p. 99-117, jan./abr. 2017. Disponível em: https://www. scielo.br/pdf/rbepop/v34n1/0102-3098-rbepop-34-01-00099.pdf. Acesso em: 16 mar. 2019. DOI: https://doi.org/10.20947/S0102-3098a0009

VIEIRA CÁ, Vanito Ianium; MENDES, Jussara Maria Rosa. Desafios e dificuldades enfrentadas pelos imigrantes senegaleses no processo de integração social na sociedade brasileira. Humanidades & inovação, Palmas, v. 7, n. 2, p. 76-85, jan. 2020. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/ humanidadeseinovacao/article/view/2383. Acesso em: 15 dez. 2020.

VILLEN, Patrícia. O trabalho forçadamente indocumentado e institucionalmente silenciado: a imigração dos ‘periféricos emergenciais’ para o Brasil. Revista da ABET, João Pessoa, v. 14, n. 2, p. 186-198, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br /index.php/abet/article/view/27949. Acesso em: 25 nov. 2020.

WEIB, Anja. Tornar-se refugiado: uma abordagem de trajetória de vida para a migração sob coação. Sociologias, Porto Alegre, v. 20, n. 49, p. 110-141, dez. 2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S151745222018000300110&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 10 dez. 2020.

Downloads

Publicado

31-12-2022

Como Citar

SBEGHEN, C.; WENDLING, A.; ARNOLD, V.; MICHAELSEN MACEDO, J.; GIONGO, C. R. Deslocamento e inserção social: vivências de migração e refúgio. Serviço Social em Revista, [S. l.], v. 25, n. 2, p. 439–459, 2022. DOI: 10.5433/1679-4842.2022v25n2p439. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/ssrevista/article/view/45788. Acesso em: 22 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos