Aspectos Lexicais da Fala Rural em Dados Geolinguísticos Coletados na Bahia, em Sergipe e no Paraná

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2022v25n1p66

Palavras-chave:

léxico, atlas linguísticos, rural, urbano

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir dados geolinguísticos relativos à nomeação dos dentes  caninos e molares, coletados em duas amostras: (i) a primeira, composta pelas variantes do  interior da Bahia, de Sergipe e do Paraná, registradas nos atlas linguísticos desses estados,  mediante a fala de informantes de procedência rural e com limitado acesso à educação formal;  e (ii) a segunda, formada pelas variantes coletadas junto aos informantes, supostamente  urbanos, que compõem o corpus do Atlas Linguístico do Brasil - ALiB. Pelo fato de o Atlas  Prévio dos Falares Baianos (ROSSI, 1963) ser monodimensional (natureza diatópica) e o Atlas  Lingüístico de Sergipe (FERREIRA et al., 1987) e o Atlas Lingüístico do Paraná (AGUILERA,  1994) serem bidimensionais, os dados serão tratados, prioritariamente, na perspectiva da  Geolinguística Tradicional, embora se possa, eventualmente, fazer referência à influência da  variável sexo. No segundo momento, busca-se comparar esses dados rurais registrados nos  atlas regionais com os coletados na área urbana pelo ALiB (corpus inédito) para verificar os  acervos lexicais quanto à (des)semelhança – se são semelhantes ou se apresentam diferenças  que podem ser atribuídas ao registro de tempo – quanto à distância cronológica que separa  os corpora estudados; ou ao meio – rural ou urbano, de onde provêm os dados.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vanderci de Andrade Aguilera, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Doutorado em Letras pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - Unesp - Campus de Assis. Professora na Universidade Estadual de Londrina - UEL. Contato: vanderci@uel.br

Fabiane Cristina Altino, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Pós-doutorado na Université Paris 13 - França. Professora da Universidade Estadual de Londrina - UEL. Contato: fabiane.altino@uel.br

Referências

AGUILERA, Vanderci de Andrade. Atlas Lingüístico do Paraná – ALPR. Curitiba: Imprensa Oficial do Estado, 1994.

AGUILERA, Vanderci de Andrade. Léxico regional, léxico rural ou vocabulário de curiosidade? In: ALMEIDA, Manoel Mourivaldo Santiago; COX, Maria Inês Pagliarini (Orgs.). Vozes cuiabanas: estudos linguísticos em Mato Grosso. Cuiabá: Cathedral Publicações, 2005, p. 115-136.

AGUILERA, Vanderci de Andrade. Um caminho para a história do português brasileiro: cruzando os brinquedos infantis com a história social. In: GÄRTNER, Eberhard; SCHöNBERGER, Axel. (Orgs.). Estudos sobre o Português Brasileiro. Frankfurt: Valentia, 2009, p. 133-152.

ALTINO, Fabiane Cristina. Atlas Lingüístico do Paraná – II. 2007. 380 p. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2007.

ALTINO, Fabiane Cristina; YIDA, Vanessa. Curau/canjica: o que contam os dados das capitais. In: MOTA, Jacyra Andrade; RIBEIRO, Silvana Soares Costa; PAIM, Marcela Moura Torres (Orgs.) Documentos 5. Projeto Atlas Linguístico do Brasil, avaliações e perspectivas. Salvador: Quarteto, 2015, p. 201-217.

ALTINO, Fabiane Cristina; YIDA, Vanessa. O milho na culinária nacional: o que dizem os dados do ALiB. In: AGUILERA, Vanderci de Andrade; DOIRON, Maranúbia Pereira Barbosa (Orgs.) Estudos geossociolinguísticos brasileiros e europeus: uma homenagem a Michel Contini. 1 ed. Cascavel-PR/Londrina-PR: EDUNIOESTE / EDUEL, 2016, p. 189-207.

ALVES, Flamarion Dutra. Ruralidade e as cidades pequenas no Sul de Minas Gerais. In: ALVES, Flamarion Dutra; AZEVEDO, Sandra de Castro de. Análises geográficas sobre o território brasileiro dilemas estruturais à COVID-19. Alfenas, MG: Editora da Universidade Federal de Alfenas, 2020.

ALVES, Flamarion Dutra. Temas e pressupostos metodológicos da ruralidade em geografia rural. In: MARAFON, G.J.; CHELOTTI, M.C; PESSÔA, V.L.S. (Org.). Temas em Geografia Rural. 1 ed. Rio de Janeiro: EDUERJ, 2019.

ALVES, Flamarion Dutra; VALE, Ana Rute. A relação campo-cidade e suas leituras no espaço. ACTA Geográfica, Boa Vista: Ed. Esp. Geografia Agrária, 2013. p. 33-41. DOI: https://doi.org/10.5654/actageo2013.0003.0002

AMARAL, Amadeu. O dialeto caipira. São Paulo: HUCITEC/Secretaria da Cultura, Ciência e Tecnologia. 3. ed. 1976.

BALBI, Adrien. Introduction a l’ Atlas Ethnographique du Globe. Paris: Chez Rey et Gravier, Libraires, 1826.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino da Silva; MOTA, Jacyra Andrade; AGUILERA, Vanderci de Andrade; ARAGÃO, Maria do Socorro Silva de; ISQUERDO, Aparecida Negri; RAZKY, Abdelhak; MARGOTTI, Felício Wessling; ALTENHOFEN, Cléo Vílson. Atlas Linguístico do Brasil: volume 1 - Introdução. Londrina: EDUEL, 2014a.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino da Silva; MOTA, Jacyra Andrade; AGUILERA, Vanderci de Andrade; ARAGÃO, Maria do Socorro Silva de; ISQUERDO, Aparecida Negri; RAZKY, Abdelhak; MARGOTTI, Felício Wessling. Atlas Linguístico do Brasil: volume 2 – Cartas Linguísticas I. Londrina: EDUEL, 2014b.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino. Um passeio pelo léxico rural da Bahia. In: COSTA, Daniel de Souza Silva; BENÇAL, Dayme Rosane (Orgs.). Nos caminhos do léxico. Campo Grande-MS: Ed. UFMS, 2016, p. 215-230.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino. Atlas Lingüístico de Sergipe - II. Salvador: Edufba, 2 v. 2005.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino. Língua e Cultura: sobre empréstimos documentados nos falares rurais. In: Miscelânea de estudos linguísticos, filológicos e literários in Memoriam Celso Cunha (PEREIRA, Cilene da Cunha; PEREIRA, Paulo Roberto Dias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1995, p. 71-77.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; FERREIRA, Carlota da Silveira. O léxico rural. Salvador: Universidade Federal da Bahia, 2000.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; MOTA, Jacyra Andrade. Variantes lexicais e estratificação social no português brasileiros: uma visão com base nos dados do Projeto Atlas Linguístico do Brasil. In: SILVA, Augusto; TORRES, Amadeu; GONÇALVES, Miguel (Orgs.). Línguas pluricêntricas. Variação e Dimensões sociocognitivas. Braga: ALETHEIA, 2011, p. 327-337.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; ROLLEMBERG, Vera. E a (nossa) terra continua sarolha?In: RIBEIRO, Silvana Soares Costa; BORBA COSTA, Sônia; CARDOSO, Suzana Alice Marcelino (Orgs.). Dos sons às palavras: nas trilhas da língua portuguesa. Homenagem a Jacyra Andrade Mota pela contribuição aos estudos dialetais. Salvador: EDUFBA, 2009, p. 263-281.

CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; ROLLEMBERG, Vera. A vitalidade de sarolha nos falares baianos. In: FERREIRA, Carlota da Silveira; MOTA, Jacyra Andrade; SILVA, Myrian; ANDRADE, Nadja; MATOS E SILVA, ROSA Virgínia; CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; ROLLEMBERG, Vera; FREITAS, Judith. Diversidade do Português do Brasil-estudos de dialectologia rural e outros. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA, 1988.

CARUSO, Pedro. Atlas Linguístico do Estado de São Paulo: questionário. Assis: Instituto de Letras, História e Psicologia da UNESPE; Prefeitura Municipal de Assis, 1983.

CASTRO, Cynthia Delmônaco de. O vocabulário da cultura do café. Dissertação de Mestrado em Letras. Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2000.

COMITÊ NACIONAL DO ALiB. Projeto do Atlas Lingüístico do Brasil – Questionários. Londrina: EDUEL, 2001.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário Aurélio da língua portuguesa. 3 ed. Curitiba: Positivo, 2004.

FERREIRA, Carlota da Silveira; MOTA, Jacyra Andrade; SILVA, Myrian; ANDRADE, Nadja; MATOS E SILVA, ROSA Virgínia; CARDOSO, Suzana Alice Marcelino; ROLLEMBERG, Vera; FREITAS, Judith. Diversidade do Português do Brasil-estudos de dialectologia rural e outros. Salvador: Centro Editorial e Didático da UFBA, 1988.

FERREIRA, Carlota da Silveira; MOTA, Jacyra Andrade; FREITAS, Judith Mendes de Aguiar; ANDRADE, Nadja Maria Cruz de; ROLLEMBERG, Vera Lúcia Sampaio; ROSSI, Nelson. Atlas Lingüístico de Sergipe – ALS. Salvador: UFBA; Aracaju/FUNDESC, 1987.

GIRARDI, Eduardo Paulon. Proposição teórico-metodológica de uma cartografia geográfica crítica e sua aplicação no desenvolvimento do atlas da questão agrária brasileira. Presidente Prudente. 347 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, 2008.

HOUAISS, Antônio. Dicionário Eletrônico Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

IBGE. Censo 2010. Disponível em: https://censo2010.ibge.gov.br/. Acesso em 03 de fevereiro de 2022.

IBGE. Classificação dos municípios por Tipologia Rural-Urbana. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/esus/classificacao_municipios_tipologia_rural.pdf. Acesso em 03 de fevereiro de 2022.

IBGE. Classificação e caracterização dos espaços rurais e urbanos do Brasil: uma primeira aproximação / IBGE, Coordenação de Geografia. – Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em https://biblioteca.ibge.gov.br›. Acesso em 02 de fevereiro de 2022.

IBGE. Conheça o Brasil – População Rural e Urbana. Disponível em: https://educa.ibge.gov.br/jovens/conheca-o brasil/populacao/18313-populacao-rural-e-urbana.html (2015). Acesso em 03 de fevereiro de 2022.

IBGE. Tendências demográficas: uma análise dos resultados do universo do censo demográfico 2000. In: IBGE, Departamento de População e Indicadores Sociais. - Rio de Janeiro: IBGE, 2002.

ISQUERDO, Aparecida Negri; TELES, Ana Regina Torres Ferreira; ZÁGARI, Mário Roberto. A rede de pontos. In: CARDOSO, Suzana Alice Marcelino da Silva; et al. Atlas Linguístico do Brasil: volume 1 - Introdução. Londrina: EDUEL, 2014, p. 37-79.

LAMBACH, Jane Bernadete. O léxico da cachaça em Morretes: resgate e memória. Dissertação de Mestrado em Letras, Londrina: Universidade Estadual de Londrina, 2002.

LEÃO, Rejane Maria Szkudlarek. A linguagem dos trapicheiros. Dissertação de Mestrado em Letras. Assis-SP: Universidade Estadual Paulista, 1988.

MARROQUIM, Mário. A língua do Nordeste: Alagoas e Pernambuco. 3. ED. Curitiba: HD Livros, 1996.

MORAES SILVA, Antônio. de. Diccionario da lingua portugueza. 7.ed. Lisboa: Typographia de Joaquim Germano de Sousa Neves, 1878. Disponível em: http://docvirt.com/docreader.net/DocReader.asp. Acesso em 10 de fevereiro de 2022.

MOTA, Jacyra Andrade. Percursos metodológicos: questionários e informantes. In: CARDOSO, Suzana Alice Marcelino et al. Atlas Linguístico do Brasil: volume 1 - Introdução. Londrina: EDUEL, 2014a, p. 79-95.

NASCENTES, Antenor. Bases para a elaboração do Atlas Lingüístico do Brasil: questionário. Rio de Janeiro: MEC/Casa de Rui Barbosa, 1958.

NOGUEIRA, Albana Xavier. A linguagem do homem pantaneiro. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 1989.

PEREIRA, Maria das Neves. O léxico da carnaubeira no vale do Açu/RN. 1990. Dissertação (Mestrado em Letras). Pontifícia Universidade Católica do Tio de Janeiro, rio de Janeiro, 1990.

PROJETO DE LEI DO SENADO N.º 316, DE 2009. Agência Senado. http://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=2964018&disposition=inline. Acesso em 02 de fevereiro de 2022.

RAMOS, Conceição de Maria Araújo; BEZERRA, José de Ribamar Mendes. Elementos da fauna e dos jogos e brincadeiras infantis no português falado no Maranhão: estudo lexical com base no corpus do ALiB. In: MOTA, Jacyra Andrade; RIBEIRO, Silvana Soares Costa; PAIM, Marcela Moura Torres (Orgs.) Documentos 5. Projeto Atlas Linguístico do Brasil, avaliações e perspectivas. Salvador: Quarteto, 2015, p. 255-271.

RAZKY, Abdelhak; GUEDES, Regis; COSTA, Eliane Oliveira. Variação dos itens lexicais aguardente e bodega. In: MOTA, Jacyra Andrade; RIBEIRO, Silvana Soares Costa; PAIM, Marcela Moura Torres (Orgs.) Documentos 5. Projeto Atlas Linguístico do Brasil, avaliações e perspectivas. Salvador: Quarteto, 2015, p. 70-89.

ROSSI, Nelson; FERREIRA, Carlota.; ISENSEE, Dinah. Atlas Prévio dos Falares Baianos – APFB. Rio de Janeiro: INL/MEC, 1963.

SILVA NETO, Serafim. da. Guia para estudos dialectológicos. 2. ed. Belém: Conselho Nacional de Pesquisa/Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, 1957.

SOZIM, Miriam Martins. A linguagem do oleiro: uma abordagem lexical e fonética nas regiões de Piraí do Sul, Castro, Ponta Grossa, Imbituva e Prudentópolis. 2 v. Tese de Doutorado em Letras. Assis-SP: Universidade Estadual Paulista, 1995.

SOZIM, Miriam Martins. A linguagem do apicultor nas regiões de Ponta Grossa e Prudentópolis: aspectos lexicais e fonéticos. Dissertação (Mestrado em Letras). Assis-SP: Universidade Estadual Paulista, 1991.

TEIXEIRA, José. Aparecido. Estudos de dialectologia portuguesa: linguagem de Goiás. São Paulo: Ed. Anchieta, 1944.

TODA MATÉRIA. Site. Disponível em: https://www.todamateria.com.br/zona-rural-e-zona-urbana. Acesso em 03 de fevereiro de 2022.

TRINDADE, Aldema Menine. O léxico do cavalo. Letras de Hoje, n. 41, setembro de 1980, ano 13, p. 7-39.

Publicado

2022-04-30

Como Citar

AGUILERA, V. de A.; ALTINO, F. C. Aspectos Lexicais da Fala Rural em Dados Geolinguísticos Coletados na Bahia, em Sergipe e no Paraná. Signum: Estudos da Linguagem, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 66–81, 2022. DOI: 10.5433/2237-4876.2022v25n1p66. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/45566. Acesso em: 21 abr. 2024.