A Variação da Concordância Verbal na Fala dos Norte-paranaenses

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2022v25n1p52

Palavras-chave:

concordância verbal, língua falada, Sociolinguística Variacionista

Resumo

As gramáticas normativas, quase invariavelmente, afirmam que a concordância verbal ocorre  quando o verbo se flexiona e se conforma ao número e à pessoa do sujeito. Na fala, porém,  verifica-se que esse fenômeno linguístico não se realiza de forma homogênea e apenas em  conformidade com as regras prescritas por essas gramáticas (conforme CASTILHO, 2016;  SCHERRE; NARO, 1998; VIEIRA, 2013). A marcação ou não da concordância verbal pode  ocorrer motivada por fatores que vão além do linguístico. O presente trabalho, baseado na  metodologia da Sociolinguística Variacionista, examinou a variação da concordância verbal na  fala de norte-paranaenses. Para a análise, observaram-se, como possíveis condicionadores do  fenômeno em estudo, os fatores extralinguísticos sexo, faixa etária e grau de escolaridade, e os  fatores linguísticos grau de saliência fônica e posição do sujeito em relação ao verbo. O corpus da pesquisa constitui-se de 16 entrevistas de informantes norte-paranaenses pertencentes  ao banco de dados de entrevistas gravadas e transcritas por Botassini (2013). Após a análise,  verificou-se que o fator linguístico posição do sujeito em relação ao verbo e os fatores  extralinguísticos sexo e grau de escolaridade foram os mais determinantes para a marcação  ou não da concordância verbal.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jacqueline Ortelan Maia Botassini, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutorado em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina - UEL. Professora Doutora Adjunta D na Universidade Estadual de Maringá - UEM. Contato: jombotassini@uem.br

Laura Bellanda Galuch, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Mestrado em Letras pela Universidade Estadual de Maringá - UEM. Professora Mestre do Colégio Axia. Contato: lauragaluch@gmail.com

Referências

ALKMIM, Tânia Maria. Sociolinguística. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (org.). Introdução à linguística: domínios e fronteiras. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2007. v. 1, p. 21-47.

AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2013.

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática brasileira. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

BOTASSINI, Jacqueline Ortelan Maia. Crenças e atitudes linguísticas: um estudo dos róticos em coda silábica do norte do Paraná. 2013. 219 f. Tese (Doutorado em Estudos da Linguagem) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2013.

CAMACHO, Roberto Gomes. Aspectos funcionais e estruturais da concordância verbal no português falado. Alfa, São Paulo, v. 37, p. 101-116, 1993. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/268047679_Aspectos_funcionais_e_estruturais_da_concordancia_verbal_no_portugues_falado. Acesso em: 30 dez. 2018.

CAMACHO, Roberto Gomes. Sociolinguística: parte II. In: MUSSALIM, Fernanda; BENTES, Anna Christina. (org.). Introdução à linguística: domínios e fronteiras. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2007. v. 1, p. 49-75.

CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2016.

CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. 48. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2008.

COULTHARD, Malcolm. Linguagem e sexo. Tradução de Carmem Rosa Caldas-Coulthard. São Paulo: Ática, 1991.

CUNHA, Celso Ferreira da; CINTRA, Luís Filipe Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. 7. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2017.

DUARTE, Maria Eugênia Lamoglia. Sujeito nulo/pleno e marcas de concordância. In: VOTRE, Sebastião Josué; RONCARATI, Cláudia (org.). Antohy Julius Naro e a linguística no Brasil: uma homenagem acadêmica. Rio de Janeiro: 7letras, 2008. p. 265-277.

GALVES, Charlotte C. O enfraquecimento da concordância no português brasileiro. In: ROBERTS, Ian; KATO, Mary A. (org.). Português brasileiro: uma viagem diacrônica. Campinas: Ed. da Unicamp, 1993. p. 387-408.

MOLLICA, Maria Cecília. Fundamentação teórica: conceituação e delimitação. In: MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luíza (org.). Introdução à sociolinguística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2008. p. 9-14.

PAIVA, Maria da Conceição de. A variável gênero/sexo. In: MOLLICA, Maria Cecília; BRAGA, Maria Luíza (org.). Introdução à sociolingüística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 33-42.

SCHERRE, Maria Marta Pereira; NARO, Anthony Julius. Sobre a concordância de número no português falado do Brasil. In: CONGRESSO INTERNAZIONALE DI LINGUISTICA E FILOLOGIA ROMANZA, 21., 1998. Palermo, Italy. Tübingen: Max Niemeyer Verlag, 1998. v. 5, p. 509-523. Tema: Dialettologia, geolinguistica, sociolinguistica. DOI: https://doi.org/10.1515/9783110934038.509

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolinguística. 7. ed. São Paulo: Ática, 2002.

VIEIRA, Silvia Rodrigues. Concordância verbal. In: VIEIRA, Silvia Rodrigues; BRANDÃO, Silvia Figueiredo F. (org.). Ensino de gramática: descrição e uso. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 85-102.

VOTRE, Sebastião Josué. Relevância da variável escolaridade. In: MOLLICA, Maria Cecilia; BRAGA, Maria Luíza (org.). Introdução à sociolingüística: o tratamento da variação. São Paulo: Contexto, 2003. p. 51-57.

Publicado

2022-04-30

Como Citar

BOTASSINI, J. O. M.; GALUCH, L. B. A Variação da Concordância Verbal na Fala dos Norte-paranaenses. Signum: Estudos da Linguagem, [S. l.], v. 25, n. 1, p. 52–65, 2022. DOI: 10.5433/2237-4876.2022v25n1p52. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/signum/article/view/45536. Acesso em: 20 maio. 2024.