O feminino na psicanálise contemporânea: uma revisão sistemática da literatura nacional

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2022v43n1p139

Palavras-chave:

Psicanálise, Feminino, Feminilidade, Revisão sistemática

Resumo

Esta pesquisa teve como objetivo realizar uma revisão sistemática de literatura sobre as concepções de feminino presentes nas produções nacionais da psicanálise contemporânea. Com a utilização da orientação PRISMA, foram selecionados 46 artigos que, após serem submetidos à análise de conteúdo foram classificados em sete categorias. Os resultados indicam a predominância do referencial teórico lacaniano e freudolacaniano, além da presença de duas tendências contraditórias: a compreensão do feminino enquanto uma modalidade de gozo disponível aos seres inseridos na linguagem e, ao mesmo tempo, a vinculação quase sempre presente entre essa modalidade de gozo e a mulheres, pessoas do gênero feminino. Sugerimos, portanto, a presença de um obscurantismo em torno dos significantes “homem” e “mulher”, bem como a existência de um mecanismo de denegação sobre o tema do feminino na psicanálise.

 

Biografia do Autor

Camila Silva Berto, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp

Mestranda no Programa de Psicologia Clínica da Universidade de São Paulo (USP), São Paulo.

Érico Bruno Viana Campos, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp

Doutorado em psicologia pela Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, São Paulo. Professor na Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho” (UNESP).

Referências

ALMEIDA, A. M. M. Feminilidade: caminho de subjetivação. Estudos de Psicanálise, Belo Horizonte, n. 38, p. 29-44, dez. 2012. Disponível em: https://bit.ly/3IkNhoC. Acesso em: 8 ago. 2020.

AMBRA, P. E. S. Pode a psicanálise pensar o Homem? notas sobre a noção de masculino em Lacan. Revista Espaço Científico Livre, Duque de Caxias, RJ, v. 14, p. 55, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3WFhN0I Acesso em 08 jul. 2020.

ARAN, M. Lacan e o feminino: algumas considerações críticas. Natureza Humana, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 293-327, dez. 2003. Disponível em: https://bit.ly/3GcZ3i7. Acessos em: 8 ago. 2020.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BARRETTA, J. P. F. O complexo de Édipo em Winnicott e Lacan. Psicologia USP, São Paulo, v. 23, n. 1, p. 157-170, Mar. 2012. Disponível em: https://bit.ly/3GyejaC. Acesso em: 8 ago. 2020.

BONFIM, F. G.; VIDAL, P. E. V. A feminilidade na psicanálise: a controvérsia quanto à primazia fálica. Fractal: Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 539-548, dez. 2009. Disponível em: https://bit.ly/3IhbeNh. Acesso em 03 fev. 2020.

CALDAS, H. A fala e a escrita da mulher que não existe. Opção Lacaniana, São Paulo, n. 10, mar. 2013. Disponível em: https://bit.ly/3IAi3JX. Acesso em 9 jan. 2023.

CAMPOS, E. B. V. A pesquisa qualitativa e o método psicanalítico. In: JORNADA INTERNACIONAL DE PESQUISA EM PSICANÁLISE E FENOMENOLOGIA, 2., 2008, Campinas. Anais […]. Campinas: PUC Campinas, 2008. p. 153-160.

CANTO, J. S.; GHAZZI, M.S. Monster High e o modelo de feminilidade na atualidade. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 36, n. 3, p. 625-636, 2016. https://doi.org/10.1590/1982-3703001452014

CARDOSO, M. C.B. A beleza que vela o feminino. Revista aSEPHallus de Orientação Lacaniana, Rio de Janeiro, v. 12, p. 110-118, nov.2016/abr. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3CzhTiu. Acesso em: 09 out. 2022.

COSSI, R. K. A diferença dos sexos: Lacan e o feminismo. 2017. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) - Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2017. doi:10.11606/T.47.2017.tde-25072017-090645.

COSTA VAL, A.; DUARTE FELIX MARINHO, P.; ASSIS FERREIRA, R.; ROSA, M. Anorexia: uma imagem desmascarada. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 20, n. 2, p. 243-259, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3VC9ykt. Acesso em: 24 jul. 2020.

COSTA, A. M. M.; FERRAZ, M. A. L.; RIBEIRO, V. N. F. O amor, o feminino e a escrita. Tempo Psicanalítico, Rio de Janeiro , v. 45, n. 1, p. 29-38, jun. 2013 . Disponível em https://bit.ly/3ZpVqxS. Acesso em 09 jan. 2023.

DEMES, J. R.; CHATELARD, D. S.; CELES, L. A. M. O feminino como metáfora do sujeito na psicanálise. Revista Mal Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 11, n. 2, p. 645-667, 2011. Disponível em: https://bit.ly/3WZs8nY. Acesso em: 03 fev. 2020.

FEJGELMAN, B. B.; KNUDSEN, P. P. P. S. A psicanálise apesar de Freud: uma releitura feminista ainda necessária. Labrys, [s.l.], v. 26, n. jul./dez, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/125094. Acesso em: 08 jul. 2020.

FERREIRA, R. W. G.; RIVERA, T. Alternância e desejo na feminilidade e na obra de Frida Kahlo. Psicologia USP, São Paulo, v. 19, n. 2, p. 235-257, jun. 2008. Disponível em https://bit.ly/3ZkzHHH. Acesso em: 09 jan. 2023.

FINGERMANN, Dominique Touchon. Encontro com o feminino: Hilda Hilst e outras. Revista Brasileira de Psicanálise, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 85-92, dez. 2008. Disponível em https://bit.ly/3WVLvyE. Acesso em: 09 out. 2022.

FONTENELLE, A. S. Os amores de Frida Kahlo. Revista aSEPHallus de Orientação Lacaniana, Rio de Janeiro, n. 11, p. 88-101, nov. 2015/abr. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3IvzqM9. Acesso em: 09 jan 2023

FORTES, Isabel. Marguerite Duras e a escritura do feminino. Psyche (São Paulo), São Paulo, v. 11, n. 21, p. 161-174, dez. 2007. Disponível em: https://bit.ly/3GtL3QV. Acesso em 09 jan. 2023.

FREUD, S. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade. In: FREUD, S. Três ensaios sobre a teoria da sexualidade, análise fragmentária de uma histeria (“o caso Dora”) e outros textos (1901-1905). São Paulo: Companhia das letras, 2016. (Obras completas; v. 6). Originalmente publicado em 1905.

FREUD, S. A Organização genital infantil. In: FREUD, S. O eu e o id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925). São Paulo: Companhia das letras, 2011. (Obras completas; v. 16). Originalmente publicado em 1923.

FREUD, S. O Fetichismo. In: FREUD, S. Inibição, sintoma e angústia, O futuro de uma ilusão e outros textos (1926-1929). São Paulo: Companhia das Letras, 2014. (Obras Completas; v. 17) Originalmente publicado em 1927.

FREUD, S. O problema econômico do masoquismo. In: FREUD, S. O eu e o id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925). São Paulo: Companhia das letras, 2011. (Obras completas; v. 16). Originalmente publicado em 1924a.

FREUD, S. A dissolução do complexo de Édipo. In: FREUD, S. O eu e o id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925). São Paulo: Companhia das letras, 2011. (Obras completas; v. 16). Originalmente publicado em 1924b.

FREUD, S. Algumas consequências psíquicas da diferença anatômica entre os sexos. In: FREUD, S. O eu e o id, “autobiografia” e outros textos (1923-1925). São Paulo: Companhia das letras, 2011. (Obras completas; v. 16). Originalmente publicado em 1925.

FREUD, S. Sobre a sexualidade feminina. In: FREUD, S. O mal-estar na civilização, novas conferências introdutórias à psicanálise e outros textos (1930-1936). São Paulo: Companhia das letras, 2010. (Obras completas; v. 18). Originalmente publicado em 1931.

FREUD, S. Análise terminável e interminável. In: FREUD, S. Moisés e o monoteísmo, compêndio de psicanálise e outros texto (1937-1939). São Paulo: Companhia das letras, 2018. (Obras completas; v. 19). Originalmente publicado em 1937.

FURTADO, M. S. A. Os Caminhos da Feminilidade em Preciosidade, de Clarice Lispector. Rev. Mal-Estar Subj., Fortaleza, v. 9, n. 3, p. 983-1004, set. 2009. Disponível em: https://bit.ly/3iwdFB7. Acesso em: 09 out. 2022.

GALVÃO, T. F.; PANSANI, T. S. A.; HARRAD, D. Principais itens para relatar revisões sistemáticas e Meta-análises: a recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 24, n. 2, p. 335-342, jun. 2015.Doi: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000200017

HIRCHZON, C. L. M.; FONSECA, M. C. S. S.; AMIRALIAN, M. L. de T. M. Os elementos masculino puro e feminino puro na clínica: a história de Vítor. Natureza Humana, São Paulo, v. 5, n. 2, p. 443-457, dez. 2003. Disponível em: https://bit.ly/3IIT0o2. Acesso em: 09 out. 2022.

KEHL, Maria Rita. Deslocamentos do Feminino. 2. ed. São Paulo: Boitempo, 2016.

LATTANZIO, F. F.; RIBEIRO P. de C. Transexualidade, psicose e feminilidade originária: entre psicanálise e teoria feminista. Psicologia USP, São Paulo, v. 28, n. 1, pp. 72-82, 2017. Doi: https://doi.org/10.1590/0103-656420140085

LOPES, R. G. É inevitável que as mulheres amem demais? Trivium, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 73-83, dez. 2011. Disponível em: https://bit.ly/3XgIaK5. Acesso em: 09 out. 2022.

LIMA, M. C. P. A escrita adolescente como cena dos impasses do feminino. Revista Mal Estar e Subjetividade, Fortaleza, v. 7, n. 1, p. 29-43, mar. 2007. Disponível em https://bit.ly/3Xdba5y. Acesso em: 09 out. 2022.

LIMA, N. L. de.; SANTIAGO, A. L. B. A escrita íntima na puberdade: a tessitura de um véu no encontro com o feminino. Revista aSEPHallus de Orientação Lacaniana, Rio de Janeiro, v. 4, p. 69-87, maio/out. 2009. Disponível em https://bit.ly/3k1tpwC. Acesso em: 09 out. 2022.

LOPES, A. J. Transexualidades: desafio à psicanálise do século XXI. Estudos Psicanalíticos, Belo Horizonte, n. 48, p. 107-126, dez. 2017. Disponível em https://bit.ly/3WXgD0F. Acesso em: 09 out. 2022.

MASSARA, I. H. M. Feminilidade: um detalhe. Fractal: Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 25, n. 3, pp. 497-514, 2013. Doi: https://doi.org/10.1590/S1984-02922013000300006.

MELO, R. Z. de. Em busca do tempo sensível: os ruídos paradoxais da sexualidade na ampliação da escuta da identidade de gênero. Estudos Psicanalíticos, Belo Horizonte, n. 47, p. 111-128, jul. 2017. Disponível em: https://bit.ly/3Xk6omD. Acesso em: 09 out. 2022.

MOREIRA, A. C. G.; VIEIRA, M. M. C. D.; CECCARELLI, P. R. Sexualidade e ideal de feminilidade: contribuições para o debate. Estudos Psicanalíticos, Belo Horizonte, n. 49, p. 45-53, jul. 2018. Disponível em: https://bit.ly/3XiAqHG. Acesso em 09 jan. 2023.

PACHECO, A. L. P. O feminino e as drogas na atualidade: The feminine and the drugs in contemporary. Mental, Barbacena, v. 5, n. 9, p. 47-61, nov. 2007. Disponível em: https://bit.ly/3Qqiqsu. Acesso em: 09 out. 2022.

PAIM FILHO, I. A.; QUADROS, V. A guerra e o repúdio ao feminino: Tróia como paradigma. Revista Brasileira de Psicanálise, São Paulo, v. 42, n. 4, p. 99-109, dez 2008. Disponível em https://bit.ly/3Cva7pJ. Acesso em: 09 out. 2022.

PATRASSO, R.; GRANT, W H. O feminino, a literatura e a sexuação. Psicologia Clínica, Rio de Janeiro, v. 19, n. 2, p. 133-151, 2007. Doi: https://doi.org/10.1590/S0103-56652007000200010.

PENCAK, S.; BASTOS, A. Anorexia mental e feminilidade. Ágora, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 347-363, 2009. Disponível em: https://bit.ly/3ZbeKiy. Acesso em: 24 jul. 2020.

RIBEIRO, A. M. Cindy Sherman: sobre o feminino. Psyche (Sao Paulo), São Paulo, v. 12, n. 22, p. 35-54, jun. 2008. Disponível em: https://bit.ly/3k4zmc8. Acesso em: 09 out. 2022.

SILVA, H. C. da.; REY, S. A beleza e a feminilidade: um olhar psicanalítico. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 31, n. 3, p. 554-567, 2011. Doi: https://doi.org/10.1590/S1414-98932011000300009.

TANGUY, C.; MARTINS, M. Três destinos do feminino à luz do "caso" Adèle Hugo. Tempo Psicanalítico, Rio de Janeiro, v. 46, n. 2, p. 238-252, dez. 2014. Disponível em: https://bit.ly/3WYGtBc. Acessos em: 09 jan. 2023.

UTCHITEL, A. M. Considerações sobre uma escuta que nunca é desavisada: sobre a relação entre as concepções psicanalíticas acerca da feminilidade e o fazer clínico do analista. Estudos Psicanalíticos, Belo Horizonte, n. 28, p. 15-26, set. 2005. Disponível em: https://bit.ly/3VVnrdN. Acesso em: 09 out. 2022.

VERCEZE, F. A.; CORDEIRO, S. N. Feminilidade não toda: uma revisão sistemática de literatura. Tempo psicanalítico, Rio de Janeiro, v. 51, n. 2, p. 140-165, dez. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3Xk2quC. Acesso em: 09 out. 2022.

Downloads

Publicado

11.08.2022

Como Citar

BERTO, C. S.; CAMPOS, Érico B. V. O feminino na psicanálise contemporânea: uma revisão sistemática da literatura nacional. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 43, n. 1, p. 139–154, 2022. DOI: 10.5433/1679-0383.2022v43n1p139. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/45821. Acesso em: 29 maio. 2023.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)