Estudo genético dos fatores de virulência de Escherichia coli aviária

Autores

  • Marilda Carlos Vidotto Universidade Estadual de Londrina
  • Diógenes Santiago Santos Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.1992v13n1p61

Palavras-chave:

Escherichia coli, Fatores de virulência, Plasmídios, Conjugação.

Resumo

Dez amostras de E. coli patogênicas para aves foram analisadas quanto a associação entre os plasmídios R e Col e a patogenicidade. Foram encontradas amostras com determinantes de resistência a drogas e produção de colicina em um único plasmídio conjugativo e amostras que transportavam plasmídios Col V e R. Estes plasmídios (R e/ou Col) eram desreprimidos, apresentando altas freqüências de transferência (10-1 a 10-6) e não determinavam resistência ao soro, nem virulência em amostras receptoras de E. coli K12 e de flora normal de galinha. Assim, foi verificado que nas amostras estudadas, a resistência ao soro não é codificada por plasmídios e que os determinantes para virulência podem estar em genes cromossomais ou dependem de genes cromossomais para sua expressão.

 

 

 

Biografia do Autor

Marilda Carlos Vidotto, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Patologia Geral, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, Paraná, Brasil.

Diógenes Santiago Santos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Centro de Biotecnologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, Brasil

Downloads

Publicado

1992-01-13

Como Citar

Vidotto, M. C., & Santos, D. S. (1992). Estudo genético dos fatores de virulência de Escherichia coli aviária. Semina: Ciências Agrárias, 13(1), 61–66. https://doi.org/10.5433/1679-0359.1992v13n1p61

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)