Caulim e óxido crômico sob diferentes formas de administração em estudo de consumo e digestibilidade

Autores

  • Caroline Bertholini Ribeiro Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Luiz Orcirio Fialho de Oliveira Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
  • Maria da Graça Morais Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Henrique Jorge Fernandes Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • Mayara Mitiko Yoshihara Carneiro Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Raizza Fátima Abadia Tulux Rocha Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Débora Tiburcio Rocha Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n6p2607

Palavras-chave:

Alumínio, Fezes, Indicador, Produção fecal.

Resumo

A nutrição animal necessita de metodologias simples que possam ser aplicadas em condições de campo, que sejam capazes de fornecer estimativas válidas de consumo e digestibilidade e que possam ser utilizadas tanto pelos produtores rurais quanto pela indústria produtora de insumos para animais. Assim a busca por novas substâncias, fornecidas de forma prática, quantificadas por metodologias analíticas simples e de baixo custo em substituição aos indicadores externos (óxido crômico usado como referência) seriam bem aceitas pela comunidade científica. Neste contexto objetivou-se avaliar o fornecimento do óxido crômico via esofágica ou misturado na ração, e o uso do caulim como indicador, sob as mesmas formas de fornecimento, para estimar a produção fecal e digestibilidade, utilizando quatro bovinos machos castrados da raça Holandesa. Foram testados quatro tratamentos, distribuídos aos animais segundo um delineamento quadrado latino 4x4, sendo o primeiro aquele em que os animais foram submetidos ao fornecimento de óxido crômico fornecido via esofágica (OCesof), no segundo tratamento os animais receberam o caulim via esofágica (Caulesof), no terceiro o fornecimento do óxido crômico aos animais foi misturado à ração (OCrac) e no quarto tratamento o caulim foi administrado misturado à ração (Caulrac), em quatro períodos experimentais de 12 dias, com intervalos de seis dias entre os períodos. O tratamento Caulrac permitiu obter estimativas de produção fecal semelhante ao tratamento OCesof. O tratamento OCrac não diferiu do tratamento OCesof (p > 0,05) em nenhum dos parâmetros avaliados, evidenciando que o indicador óxido crômico pode ser fornecido misturado diretamente na ração sem prejudicar as estimativas de produção fecal e digestibilidade.

Biografia do Autor

Caroline Bertholini Ribeiro, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Discente, Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, FAMEZ, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Luiz Orcirio Fialho de Oliveira, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Pesquisador, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA Gado de Corte, Campo Grande, MS, Brasil.

Maria da Graça Morais, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Profª Drª, Departamento de Zootecnia, FAMEZ, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil

Henrique Jorge Fernandes, Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul

Prof. Dr., Departamento de Zootecnia, UEMS, Aquidauana, MS, Brasil.

Mayara Mitiko Yoshihara Carneiro, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, , Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Discente, Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, FAMEZ, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Raizza Fátima Abadia Tulux Rocha, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Discente, Curso de Mestrado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, FAMEZ, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Débora Tiburcio Rocha, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Discente, Curso de Graduação em Zootecnia, FAMEZ, UFMS, Campo Grande, MS, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-11-30

Como Citar

Ribeiro, C. B., Oliveira, L. O. F. de, Morais, M. da G., Fernandes, H. J., Carneiro, M. M. Y., Rocha, R. F. A. T., & Rocha, D. T. (2018). Caulim e óxido crômico sob diferentes formas de administração em estudo de consumo e digestibilidade. Semina: Ciências Agrárias, 39(6), 2607–2620. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n6p2607

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>