Efeito da conservação de tecido ovariano em extrato de Morus nigra sobre a morfologia e fragmentação de DNA de folículos pré-antrais ovinos

Autores

  • Agnes Yasmin Pitombeira Cavalcante Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Ricássio de Sousa Barberino Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Bruna Bortoloni Gouveia Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Maria Éllida de Sousa Bezerra Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Vanúzia Gonçalves Menezes Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Grasielly Rocha Souza Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Larissa Araújo Rolim Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Pedro José Rolim-Neto Universidade Federal de Pernambuco
  • Jackson Roberto Guedes da Silva Almeida Universidade Federal do Vale do São Francisco
  • Maria Helena Tavares de Matos Universidade Federal do Vale do São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n4p1973

Palavras-chave:

Ovino, Oócito, Pré-antral, HPLC, Planta Medicinal.

Resumo

Este estudo demonstrou o efeito do extrato das folhas de Morus nigra durante o transporte na sobrevivência e apoptose de folículos pré-antrais in vitro. A CLAE (Cromatografia Líquida de Alta Eficiência) foi usada para determinar a impressão digital cromatográfica do extrato etanólico. Foram coletados 4 pares de ovários de 4 ovelhas. O córtex ovariano foi fragmentado e um dos fragmentos foi fixado em formaldeído tamponado a 10% e destinado à histologia clássica e análise de TUNEL (controle fresco). Os demais fragmentos foram colocados em Meio Essencial Mínimo (MEM - meio controle) ou extrato de M. nigra (0,025, 0,05 ou 0,1 mg/mL) e conservados (simulando transporte) à 4 ºC por 6, 12 ou 24 h. Os fragmentos conservados (6h) também foram destinados à análise histológica e de TUNEL. A análise de CLAE confirmou a presença de compostos antioxidantes (rutina, isoquercetina e canferitrina) no extrato. Houve uma redução (P < 0,05) na percentagem de folículos pré-antrais morfologicamente normais após conservação em todos os tratamentos em comparação com o controle fresco. A percentagem de folículos pré-antrais normais após conservação em M. nigra a 0,05 mg/mL por 6 h foi maior (P < 0,05) do que em MEM ou M. nigra a 0,025 mg/mL e similar (P > 0,05) ao extrato a 0,1 mg/mL. A apoptose aumentou (P < 0,05) após conservação durante 6 horas em todos os tratamentos em comparação com o controle fresco. Além disso, as células TUNEL positivas diminuíram (P < 0,05), após conservação em 0,05 ou 0,1 mg/mL de M. nigra em comparação com MEM ou 0,025 mg/mL de M. nigra. Em conclusão, 0,05 mg/mL de M. nigra pode ser usado como meio de conservação de tecido ovariano ovino a 4 °C durante até 6 h.

Biografia do Autor

Agnes Yasmin Pitombeira Cavalcante, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Discente, Curso de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Semiárido, CPGCVS, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, Universidade Federal do Vale do São Francisco, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Ricássio de Sousa Barberino, Universidade Federal do Vale do São Francisco

M.e em Ciências Veterinárias, Semiárido, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Bruna Bortoloni Gouveia, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Discente, Rede Nordeste de Biotecnologia, RENORBIO, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Maria Éllida de Sousa Bezerra, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Discente, Curso de Pós-Graduação em Ciência Animal, CPGCA, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Vanúzia Gonçalves Menezes, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Discente, Rede Nordeste de Biotecnologia, RENORBIO, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Grasielly Rocha Souza, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Discente, Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, PPGCF, Universidade Federal do Piauí, UFPI, Teresina, PI, Brasil.

Larissa Araújo Rolim, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Profª, Central de Análise de Fármacos, Medicamentos e Alimentos, CAFMA, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Pedro José Rolim-Neto, Universidade Federal de Pernambuco

Prof., Departamento de Ciências Farmacêuticas, Universidade Federal de Pernambuco, UFPE, Recife, PE, Brasil.

Jackson Roberto Guedes da Silva Almeida, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Prof., Núcleo de Estudos e Pesquisas de Plantas Medicinais da UNIVASF, NEPLAME, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Maria Helena Tavares de Matos, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Profª, Núcleo de Biotecnologia Aplicada ao Desenvolvimento de Folículos Ovarianos, BIOFOV, UNIVASF, Petrolina, PE, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-08-04

Como Citar

Cavalcante, A. Y. P., Barberino, R. de S., Gouveia, B. B., Bezerra, M. Éllida de S., Menezes, V. G., Souza, G. R., … Matos, M. H. T. de. (2017). Efeito da conservação de tecido ovariano em extrato de Morus nigra sobre a morfologia e fragmentação de DNA de folículos pré-antrais ovinos. Semina: Ciências Agrárias, 38(4), 1973–1986. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n4p1973

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)