Desempenho fisiológico de sementes de cagaita (Eugenia dysenterica DC.) Submetidas à secagem

Autores

  • Lílian Abadia da Silva Instituto Federal de Educação
  • Juliana de Fátima Sales Instituto Federal de Educação
  • Heloísa Oliveira dos Santos Universidade Federal de Lavras
  • Juliana Montazola Martins Instituto Federal de Educação
  • Valéria Hanny Costa Universidade Federal de Lavras
  • Fabiano Guimarães Silva Instituto Federal de Educação

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n1p19

Palavras-chave:

Frutífera nativa, Myrtaceae, Secagem, Recalcitrante, Teste de raios X.

Resumo

Objetivou-se com este trabalho determinar as relações entre níveis de absorção de água e a germinação, bem como, avaliar os efeitos da redução do teor de água no vigor de sementes de cagaita (Eugenia dysenterica DC.). Para tanto, foram realizados três ensaios: No ensaio 1 determinou-se a curva de embebição e germinação das sementes. No ensaio 2 as sementes foram submetidas a secagem em estufa e em sílica gel por até 72 horas e submetidas a avaliações do teor de água e do vigor. No ensaio 3 as sementes foram submetidas a secagem até determinados teores de água e avaliadas por meio da análise de imagens radiográficas. Houve um rápido ganho de massa nas primeiras 60 horas de embebição, com protrusão radicular chegando a 94,4% após 192 horas de embebição. As sementes de cagaita não toleraram secagem por períodos superiores a 24 horas, reafirmando o comportamento recalcitrante das sementes da espécie. A partir da análise de imagens radiográficas, obtidas pelo teste de Raios X, foi possível estabelecer relação direta entre o aumento da área de espaço livre no interior da semente, e a diminuição da emergência de plântulas.

Biografia do Autor

Lílian Abadia da Silva, Instituto Federal de Educação

Discente, Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, PPGCA-Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, IFGoiano, Rio Verde, GO, Brasil.

Juliana de Fátima Sales, Instituto Federal de Educação

Prof., Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, PPGCA-Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, IFGoiano, Rio Verde, GO, Brasil.

Heloísa Oliveira dos Santos, Universidade Federal de Lavras

Profª, Departamento de Agricultura, Setor de Sementes, Universidade Federal de Lavras, UFLA, Lavras, MG, Brasil.

Juliana Montazola Martins, Instituto Federal de Educação

Discente, Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, PPGCA-Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, IFGoiano, Rio Verde, GO, Brasil.

Valéria Hanny Costa, Universidade Federal de Lavras

Discente, Curso de Agronomia, Departamento de Agricultura, Setor de Sementes, Universidade Federal de Lavras, UFLA, Lavras, MG, Brasil.

Fabiano Guimarães Silva, Instituto Federal de Educação

Prof., Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias, PPGCA-Agronomia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano, IFGoiano, Rio Verde, GO, Brasil.

Downloads

Publicado

2017-03-02

Como Citar

Silva, L. A. da, Sales, J. de F., Santos, H. O. dos, Martins, J. M., Costa, V. H., & Silva, F. G. (2017). Desempenho fisiológico de sementes de cagaita (Eugenia dysenterica DC.) Submetidas à secagem. Semina: Ciências Agrárias, 38(1), 19–34. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2017v38n1p19

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)