Substituição parcial do milho pela palma forrageira em dietas para cabras em lactação

Autores

  • Julianne Santiago Silva Goveia Universidade Federal de Sergipe
  • Veronaldo Souza de Oliveira Universidade Federal de Sergipe
  • Gladston Rafael de Arruda Santos Universidade Federal de Sergipe
  • Karla Dias Antunes Melo Universidade Federal de Minas Gerais
  • Aline Guimarães de Oliveira Universidade Federal de Sergipe
  • Marcus Vinicius Andrade Melo Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n2p969

Palavras-chave:

Caprinos, Consumo, Produção de leite, Semiárido.

Resumo

Objetivou-se avaliar a substituição parcial do milho (Zea mays L.) pela palma forrageira miúda (Nopalea cochenillifera- Salm Dyck) em dietas de cabras em lactação sobre o consumo de nutrientes, produção e composição do leite, comportamento ingestivo e o comprometimento da receita com alimentação. Foram utilizadas 5 cabras mestiças de Saanen x Pardo Alpina, com peso corporal de 47 ± 3,3 kg. O delineamento utilizado foi o quadrado latino 5x5, em que os tratamentos consistiram em níveis de 20, 25, 30, 35 e 40% de palma forrageira miúda incluídos na dieta em substituição ao milho que foram de 0, 18, 36, 54 e 72% tendo o feno de gliricídia (Gliricídia sepium (Jacq) Walp) como volumoso em todos os tratamentos. Os tratamentos não influenciaram (P > 0,05) o consumo de matéria seca, proteína, fibra em detergente neutro, fibra em detergente ácido e nutrientes digestíveis totais apresentando médias iguais a 1,64; 0,26; 0,82; 0,54 e 1,17 kg dia-1, respectivamente. Do mesmo modo, não houve influência dos níveis sobre a produção de leite e os teores de gordura, proteína, lactose e sólidos totais do leite apresentando médias iguais a 1,18 kg dia-1; 3,74; 3,34; 5,06 e 13,56%, respectivamente. O comportamento ingestivo também não sofreu influência com a inclusão de palma nas dietas. O tratamento com 35% de palma demonstrou menor comprometimento da receita com alimentação (31%). A substituição parcial do milho pela palma forrageira miúda em dietas para cabras leiteiras pode ser realizada, pois não altera o consumo, a produção de leite e sua composição e o comportamento ingestivo. Recomenda-se substituir em até 54% o milho pela palma por apresentar menor comprometimento da receita do produtor com a alimentação.

Biografia do Autor

Julianne Santiago Silva Goveia, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Zootecnia, Universidade Federal de Sergipe, UFS, São Cristovão, Sergipe, Brasil.

Veronaldo Souza de Oliveira, Universidade Federal de Sergipe

Prof. Dr., Deptº de Zootecnia, UFS, São Cristovão, Sergipe, Brasil.

Gladston Rafael de Arruda Santos, Universidade Federal de Sergipe

Prof. Dr., Deptº de Zootecnia, UFS, São Cristovão, Sergipe, Brasil.

Karla Dias Antunes Melo, Universidade Federal de Minas Gerais

Discente do Curso de Doutorado em Ciência Animal, Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, Pampulha, MG, Brasil.

Aline Guimarães de Oliveira, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Zootecnia, Universidade Federal de Sergipe, UFS, São Cristovão, Sergipe, Brasil.

Marcus Vinicius Andrade Melo, Universidade Federal de Sergipe

Discente do Curso de Graduação em Zootecnia, UFS, São Cristovão, Sergipe, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-04-26

Como Citar

Goveia, J. S. S., Oliveira, V. S. de, Santos, G. R. de A., Melo, K. D. A., Oliveira, A. G. de, & Melo, M. V. A. (2016). Substituição parcial do milho pela palma forrageira em dietas para cabras em lactação. Semina: Ciências Agrárias, 37(2), 969–976. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n2p969

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)