Detecção parasitológica e molecular da Babesia canis vogeli em cães de Recife, Pernambuco e avaliação de fatores de risco associados

Autores

  • Vanessa Carla Lima da Silva Clínica Veterinária Pet Dream
  • Evilda Rodrigues de Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Mirella Bezerra de Melo Colaço Dias Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Fernanda Lúcia Passos Fukahori Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Michelle Suassuna de Azevedo Rego Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • José Wilton Pinheiro Júnior Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Pomy de Cássia Peixoto Kim Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Renata Serpa Cordeiro Sá Leitão Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Rinaldo Aparecido Mota Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Elisa Paula de Oliveira Carieli Médica Veterinária autônoma de Recife

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n1p163

Palavras-chave:

Babesiose, Cães, Diagnóstico molecular, Infecção.

Resumo

 

Objetivou-se determinar a ocorrência da Babesia canis vogeli através da detecção molecular e parasitológica em cães de Recife, Pernambuco e avaliar os fatores de risco associados. Foram atendidos 146 cães de ambos os sexos, variadas raças e idades que apresentaram sinais clínicos sugestivos de babesiose provenientes dos atendimentos clínicos de um Hospital Escola Veterinário. O sangue foi obtido através de venopunção para a realização da pesquisa de hemoparasitas e da reação em cadeia pela polimerase (PCR). O DNA foi extraído de cada amostra a partir de uma alíquota de 200?l de sangue com anticoagulante, utilizando-se o kit comercial. Para a reação da B. canis vogeli, foram utilizados oligonucleotídeos iniciadores que amplificam aproximadamente 590 pares de base. Os primers, BAB1 (5’-GTG AAC CTT ATC ACT TAA AGG-3’) são específicos para uma região conservada do gene 18S rRNA de Babesia spp., e o anti-senso BAB4 (5’-CAA CTC CTC CAC GCA ATC G-3’). O porcentual de infecção foi de 4,8% pela PCR. Na análise estatística descritiva dos dados verificou-se que houve uma maior frequência de cães positivos machos, acima de dois anos, com raça definida, provenientes de área rural, domiciliados e com a presença de carrapatos. Conclui-se que independente do tipo de fator de risco, a babesiose encontra-se disseminada em Recife, Pernambuco e sua prevalência não variou em relação à maioria das regiões do Brasil. A PCR demonstrou ser um exame sensível frente ao parasitológico sanguíneo, devendo ser introduzida na rotina clínica.

Biografia do Autor

Vanessa Carla Lima da Silva, Clínica Veterinária Pet Dream

Drª, Médica Veterinária autônoma, Clínica Veterinária Pet Dream, Olinda, PE, Brasil.

Evilda Rodrigues de Lima, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Profª Titular, Semiologia Veterinária, Deptº de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Mirella Bezerra de Melo Colaço Dias, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Fernanda Lúcia Passos Fukahori, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Michelle Suassuna de Azevedo Rego, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

José Wilton Pinheiro Júnior, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Prof. Adjunto, Doenças Bacterianas dos Animais Domésticos, Deptº de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Pomy de Cássia Peixoto Kim, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal Tropical, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Renata Serpa Cordeiro Sá Leitão, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Me, Médica Veterinária autônoma, Prefeitura de Abreu e Lima, PE, Recife, PE, Brasil.

Rinaldo Aparecido Mota, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Prof. Titular de Doenças Bacterianas dos Animais Domésticos, Deptº de Medicina Veterinária, UFRPE, Recife, PE, Brasil.

Elisa Paula de Oliveira Carieli, Médica Veterinária autônoma de Recife

Médica Veterinária autônoma, Pet Shop Estilo Rural, Olinda, PE, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-02-29

Como Citar

Silva, V. C. L. da, Lima, E. R. de, Dias, M. B. de M. C., Fukahori, F. L. P., Rego, M. S. de A., Pinheiro Júnior, J. W., … Carieli, E. P. de O. (2016). Detecção parasitológica e molecular da Babesia canis vogeli em cães de Recife, Pernambuco e avaliação de fatores de risco associados. Semina: Ciências Agrárias, 37(1), 163–172. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n1p163

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2