Análise de crescimento e partição de assimilados em plantas de tomateiro cv. Micro-Tom submetidas ao nitrogênio e piraclostrobina

Autores

  • Emanuela Garbin Martinazzo Universidade Federal de Pelotas
  • Anelise Tessari Perboni Universidade Federal do Oeste do Pará
  • Douglas Antonio Posso Universidade Federal de Pelotas
  • Tiago Zanatta Aumonde Universidade Federal de Pelotas
  • Marcos Antonio Bacarin Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3001

Palavras-chave:

Lycopersicon esculentum, Estrobilurina, Bioativador, Massa seca, Área foliar.

Resumo

Este trabalho objetivou analisar comparativamente o crescimento e a partição de assimilados em plantas de tomateiro cv. Micro-Tom submetidas ao nitrogênio e piraclostrobina. Esta substância favorece o desenvolvimento de cloroplastos e a síntese de clorofila. Plantas de tomateiro foram submetidas aos tratamentos: T1, solução nutritiva completa sem piraclostrobina; T2, solução nutritiva completa + piraclostrobina; T3, solução nutritiva ½ força de N sem piraclostrobina e T4, solução nutritiva ½ força de N + piraclostrobina. As plantas foram coletadas a intervalos regulares de sete dias após o transplante ao longo do ciclo de cultivo, sendo determinados a massa seca e a área foliar. A partir dos dados primários, foi aplicada a análise de crescimento, sendo calculados a massa seca total (Wt), as taxas instantâneas de produção de matéria seca (Ct), crescimento relativo (Rw) e assimilatória líquida (Ea), a área foliar (Af), as taxas de produção (Ca) e de crescimento relativo de área foliar (Ra), as razões de área foliar (Fa) e de massa foliar (Fw), a área foliar específica (Sa), a partição de matéria seca entre órgãos e o número (Nfr) e massa fresca de frutos (Wfr). Plantas de T1 apresentaram maior Wt, Ct e Wfr em relação àquelas dos demais tratamentos. Entretanto, plantas de T2 apresentaram similar Nfr à plantas de T1, sendo superiores às demais. Além disso, alocaram em relação à matéria seca total e ao final do ciclo, maior porcentagem de matéria seca nos frutos comparativamente a plantas de T3 e T4. A associação entre nitrogênio e piraclostrobina altera o crescimento e a partição de assimilados em plantas de tomateiro cv. Micro- Tom, sendo que àquelas submetidas à ½ dose de nitrogênio apresentam maior massa seca total e menor porcentagem final de matéria seca total em frutos, comparativamente, àquelas submetidas à associação ½ dose de nitrogênio e a piraclostrobina.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Emanuela Garbin Martinazzo, Universidade Federal de Pelotas

Profª Drª, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Rio Grande, FURG, Rio Grande, RS.

Anelise Tessari Perboni, Universidade Federal do Oeste do Pará

Profª Drª, Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas, Universidade Federal do Oeste do Pará, UFOPA, Santarém, PA.

Douglas Antonio Posso, Universidade Federal de Pelotas

Discente, Bolsista de Iniciação Científica PIBIC CNPq, Instituto de Biologia, Universidade Federal de Pelotas, UFPel, Pelotas, RS.

Tiago Zanatta Aumonde, Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr., Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Deptº de Fitotecnia, UFPel, Pelotas, RS.

Marcos Antonio Bacarin, Universidade Federal de Pelotas

Prof. Dr., Instituto de Biologia, UFPel, Pelotas, RS.

Downloads

Publicado

2015-10-21

Como Citar

Martinazzo, E. G., Perboni, A. T., Posso, D. A., Aumonde, T. Z., & Bacarin, M. A. (2015). Análise de crescimento e partição de assimilados em plantas de tomateiro cv. Micro-Tom submetidas ao nitrogênio e piraclostrobina. Semina: Ciências Agrárias, 36(5), 3001–3012. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3001

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)