Povoações indígenas e roças do comum na fronteira entre o Pará e o Maranhão (1790-1833)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2021v14n27p84

Palavras-chave:

Fronteira, Pará, Maranhão, Povoações indígenas, Conflitos

Resumo

O artigo busca discutir faces da organização, produção agrícola e conflitos ocorridos no interior de povoações indígenas localizadas nas proximidades do rio Turiaçu, na fronteira entre o Pará e o Maranhão na última década do século XVIII, e os motivos e interesses que levaram o  governador da capitania do Pará Francisco de Souza Coutinho a propor um novo projeto de civilização das populações indígenas que viviam nas povoações e as medidas tomadas a partir da publicação da Carta Régia promulgada em 1798 que prévia o auto governo das populações indígenas e pôs fim aos espaços e bens indígenas previstos pelo Diretório. Assim como perceber os desdobramentos da aplicação da Carta Régia no início do século XIX que deram novos direcionamentos e sentidos as povoações indígenas e seus bens comuns. 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Sueny Diana Oliveira de Souza, Universidade Federal do Pará

Professora da Faculdade de História da Universidade Federal do Pará/ Campus Ananindeua.

Referências

ALMEIDA, Maria Regina Celestino de Almeida. Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2003.

ANGELO-MENEZES, Maria de Nazaré. O sistema agrário do vale do Tocantins colonial: agricultura para consumo e para exportação. Projeto História, São Paulo, n. 18, p. 237-259, 1999.

ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO. Ofício do [governador e capitão general do Estado do Pará e Rio Negro], D. Francisco [Maurício] de Sousa Coutinho, para o [secretário de estado da Marinha e Ultramar], D. Rodrigo de Sousa Coutinho, remetendo memórias sobre o sistema mais próprio para a civilização dos índios daquele Estado. Lisboa: AHU, 1797. AHU_ACL_CU_013, Cx. 109, D. 8610.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ. Correspondência de diversos com o governo (1793-1800). Belém: APEP, [1793-1800]. Cód. 345.

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DO PARÁ. Correspondência de diversos com o governo (1793-1810). Belém: APEP, [1793-1810]. Cód. 466.

BAENA, Antônio Ladislau Monteiro. Ensaio corográfico sobre a província do Pará. Brasília, DF: Senado Federal, 2004.

BARRIGA, Letícia Pereira. Entre leis e baionetas: independência e cabanagem no médio Amazonas (1808-1840). 2014. 209 f. Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2014.

COELHO, Mauro Cézar. Do sertão para o mar: um estudo sobre a experiência portuguesa na América, a partir da Colônia: o caso do Diretório dos índios (1751-1798). 2005. 233 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

COELHO, Mauro Cézar. Índios, negócios e comércio no contexto do Diretório dos Índios – Vale Amazônico (1575-1798). In: FIGUEIREDO, Aldrin; ALVES, Moema (org.). Tesouros da memória: história e patrimônio no Grão-Pará. Belém: Museu de Arte de Belém, 2009. p. 45-58.

GARCIA, Elisa Frühauf. Identidades e políticas coloniais:
guaranis, índios infiéis, portugueses e espanhóis no Rio da Prata, c.1750-1800. Anos 90, Porto Alegre, v. 18, n. 34, p. 55-76, dez. 2011.

MACHADO, André Roberto Arruda. A quebra da mola real das sociedades: a crise política do Antigo Regime Português na província do Grão-Pará (1821-1825). 2006. 358 f. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

MACHADO, André Roberto Arruda. O conselho geral da província do Pará e a definição da política indigenista no Império do Brasil (1829-31). Almanack, Guarulhos, n. 10, p. 409-464, ago. 2015.

MARQUES, Augusto César. Apontamentos para o dicionário histórico, geográfico, topográfico e estatístico da Província do Maranhão. [S. l.]: José Maria Correa de Frias Editor, 1864.

MOREIRA NETO, Carlos de Araújo. Índios da Amazônia: de maioria a minoria (1750- 1850). Petrópolis: Vozes, 1988.

NOGUEIRA, Shirley Maria. A “Soldadesca desenfreada”: politização militar no Grão-Pará da Era da Independência (1790-1850). 2009. 341 f. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

PUBLICADOR MARANHENSE. São Luís: Typographia de I. J. Ferreira, 10 Jul. 1844.

RAIOL, Domingos Antonio. Motins políticos ou história dos principais acontecimentos políticos da Província do Pará. Rio de Janeiro: Typ. Hamburgueza do Lobão, 1883. v. 3.
SALLES, Vicente. Memorial da cabanagem. Belém: CEJUP, 1992. (Coleção Amazônia).

SAMPAIO, Patrícia Melo. Espelhos partidos: etnia, legislação e desigualdade na colônia. Manaus: EDUA, 2011.

SILVA, Ignacio Accioli de Cerqueira e. Descripção física, histórica e política da Província do Gram-Pará. Salvador: Typographia do Diário, 1833.

SOUZA, Sueny Diana O. de; RICCI, Magda. Distantes de todos, vivendo por si: uma história das estradas, viagens e dos moradores na fronteira sul da Amazônia entre 1750 e 1850. Revista Diálogos, Brasília, v. 18, n. 3, p. 1213-1233, 2014.

SOUZA, Sueny Diana Oliveira de. Um rio e suas gentes: ocupação e conflitos nas margens do rio Turiaçu na fronteira entre Pará e Maranhão (1790-1824). 2012. 124 f. Dissertação (Mestrado em História Social da Amazônia) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2012.

SOUZA, Sueny Diana Oliveira de. Usos da fronteira: terras, contrabando e relações sociais no Turiaçu (Pará - Maranhão, 1790-1852). Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Pará, Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Belém, 2016.

SOUZA JUNIOR, José Alves. Tramas do cotidiano: religião, política, guerra e negócios no Grão-Pará do setecentos. Um estudo sobre a Companhia de Jesus e a Política Pombalina. 2009. Tese (Doutorado em História Social) – Pontíficia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

SPIX, Johnn Baptist von; MARTIUS, Carl Friedrich von. Viagens pelo Brasil (1817-1820). Belo Horizonte: Itatiaia; São Paulo: EDUSP, 1981.

THOMPSON, E. P. A formação da classe operária inglesa - a Maldição de Adão. Vol. II. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

Downloads

Publicado

13-08-2021

Como Citar

OLIVEIRA DE SOUZA, S. D. Povoações indígenas e roças do comum na fronteira entre o Pará e o Maranhão (1790-1833). Antíteses, [S. l.], v. 14, n. 27, p. 84–111, 2021. DOI: 10.5433/1984-3356.2021v14n27p84. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/41013. Acesso em: 22 fev. 2024.