Mistérios do Rio de Janeiro: em torno das Memórias de um sargento de milícias e seu público

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2013v6n11p53

Palavras-chave:

Literatura Brasileira – Século XIX, Romance, Memórias de um sargento de milícias, Leitores

Resumo

A representação fiel dos costumes no Brasil imperial é, em geral, a principal característica atribuída a este romance pelos estudiosos. Considerando a hipótese de um horizonte de expectativas comum a uma grande parcela de leitores do Rio de Janeiro de meados do século XIX, este artigo sugere a existência de outros significados relacionados ao romance e partilhados por seus primeiros leitores. Além da reprodução realista de personagens e situações típicas, a narrativa ofereceu também uma representação apaziguada da vida social, distante das tensões e contradições que deram sentido à experiência política de seus leitores.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jefferson Cano, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Doutor em História pela Universidade Estadual de Campinas. Professor da Universidade Estadual de Campinas.

Referências

ANDRADE, Mário de. Memórias de um sargento de milícias (1940). In: ANDRADE, Mário de. Aspectos da literatura brasileira. São Paulo: Martins, 1974.

BLAKE, A. V. A. Sacramento. Diccionario bibliographico brazileiro. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1898.

CANDIDO, Antonio. Dialética da malandragem (Caracterização das Memórias de um sargento de milícias). Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 8, p. 67-89, 1970.

CANO, Jefferson. A política da lusofobia: partidos e identidades políticas no Rio de Janeiro (1848-1849). Lócus: Revista de História, Juiz de Fora, v.13, n. 1, jan./jun. 2007.

Correio Mercantil, 1848 -1853

Jornal do Commercio, 1849

MANÇANO, Regiane. Livros à venda: presença de romances em anúncios de jornais. 2010. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

MAZADE, Charles de. De la mémocratie em littérature. Revue dês Deux Mondes, Paris, t. 5, 1850.

O Grito Nacional, 1852

ROCHA, Débora Cristina Bondance. Bibliotheca Nacional e Pública do Rio de Janeiro: um ambiente para leitores e leituras de romance (1833-1856). 2011. Dissertação (Mestrado em Teoria e História Literária) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SAINTE-BEUVE, Charles-Augustin. De la littérature industrielle. Revue des Deux Mondes, Paris, t. 19, 1839.

UM BRASILEIRO. Memórias de um sargento de milícias. Rio de Janeiro: Typographia Brasiliense de Maximiano Gomes Ribeiro, 1855. Tomo II.

VERÍSSIMO, José. Um velho romance brasileiro. In: ALMEIDA, Manuel Antonio de. Memórias de um sargento de milícias. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1978. p. 1-24.

Downloads

Publicado

01-06-2013

Como Citar

CANO, J. Mistérios do Rio de Janeiro: em torno das Memórias de um sargento de milícias e seu público. Antíteses, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 53–75, 2013. DOI: 10.5433/1984-3356.2013v6n11p53. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/15576. Acesso em: 19 jun. 2024.