Violência urbana em contextos de desigualdade socioeconômica

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0383.2021v42n2p239

Palavras-chave:

Violência urbana, Espaço urbano, Desigualdade social

Resumo

Este estudo objetivou caracterizar e compreender os tipos de violência que estão presentes numa cidade média, localizada em Minas Gerais, tomando como variável as condições de desigualdade socioeconômica e espacial a qual estão expostas as vítimas. Para tanto, o referencial teórico pautou-se na teoria da desorganização social e da atividade de rotina. Em termos metodológicos, foi feita uma pesquisa bibliográfica e documental, utilizando dados da Polícia Militar, do Bolsa Família e do CENSUS (2014). Os resultados evidenciaram que o tipo de violência sofrida e os respectivos números de ocorrências apareceram relacionados às regiões de planejamento, à faixa etária e ao perfil socioeconômico dos indivíduos. Verificou-se também que os jovens de cor negra/parda, residentes nas regiões de maior vulnerabilidade e segregação socioespacial, foram mais vítimas de agressões físicas e homicídios. Já os jovens de cor branca, residentes nas regiões menos segregadas e de menor vulnerabilidade social, foram mais afetados pelos roubos. Concluiu-se que a desigualdade socioeconômica a qual estão expostos os jovens das regiões é o elemento propiciador da vitimização deles. Depreende-se dessa análise que os tipos de violência vivenciados na cidade não atingem a todos da mesma forma, variando conforme a região, idade, sexo, cor e condições socioeconômicas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

André Luis Gomes, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Doutor em Economia Doméstica pela  Universidade Federal de Viçosa. Assistente em Administração da Universidade Federal de Viçosa.

Neide Maria de Almeida Pinto, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Pós-Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade do Minho em Braga, Portugal. Professora da Universidade Federal de Viçosa, MG, Brasil

Ana Louise de Carvalho Fiúza, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Pós-Doutorado em Ciências Sociais pela Universidade do Minho em Braga, Portugal. Professora da Universidade Federal de Viçosa, MG

Geraldo Magela da Cruz Pereira, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Doutorado em Estatística Aplicada e Biometria pela Universidade Federal de Viçosa.  

Referências

ABRAMOVAY, M.; CASTRO, M. G; PINHEIRO, L C.; LIMA, F S.; MARTINELLI, C C. Juventude, violência e vulnerabilidade social na América Latina: desafios para políticas públicas. Brasília: Unesco; 2002.

ANDRESEN, M. A. A spatial analysis of crime in Vancouver, British Columbia: a synthesis of social disorganization and routine activity theory. The Canadian Geographer, New York, v. 50, n. 4, p 487-502, 2006 Disponível em: https://bit.ly/3g4Vz5m. Acesso em: 10 set. 2020.

BARBOSA, X C.; KOKKONEN, R L F.; SOUSA, S. B. “Eu não consigo respirar”: racismo estrutural e os desafios da educação para as relações étnico-raciais na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica-brasil. Educação Profissional e Tecnológica em Revista, João Pessoa, v. 5, p. 29-51, 2021. Número Especial. Disponível em: https://bit.ly/353kAYj. Acesso em: 05 mar. 2021.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 20 .

BASTOS FILHO, R. A.; ALMEIDA PINTO, M. N.; FIÚZA, A. L. C.; REZENDE, D. F. A. The elaboration of a socio-spatial segregation index as a tool for the management and analysis of the urban space of Viçosa, MG. Interações (Campo Grande), v. 20, n. 3, p. 707-723, 2019. Disponível em:.https://bit.ly/2RBtnxq Acesso.em:.10.set. 2020.

BATELLA, V. Centro, Centralidade e cidade média: apontamentos sobre Viçosa-MG. In: SOUSA, D. T.; BATELLA, W. B. Cidades, territórios e direitos. Viçosa: Editora UFV, 2017. p. 155-173.

BEATO FILHO, C .C .Crime e cidades.
@Metrópolis: Revista Eletrônica de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro, ano 3, n. 9,
p. 59-61, 2012.

BEATO, C.; PEIXOTO, B. T.; ANDRADE, M. V Crime, oportunidade e vitimização Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 19, n. 55, p. 73-89, 2004. Disponível em: https://bit.ly/3ivgPCI. Acesso em: 12 set. 2020. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-69092004000200005

BITTENCOURT, T. A.; FARIA, J. R. V. Distribuição de investimentos públicos, infraestrutura urbana e desigualdade socioespacial em Curitiba. urbe: Revista Brasileira de Gestão Urbana, Curitiba, n. 13, p. 1-20, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3g7fqRl. Acesso em: 10 mar. 2021. Doi: https://doi.org/10.1590/2175-3369.013.e20190300

BORGES, D. Vitimização e sentimento de insegurança no Brasil em 2010: teoria, análise e contexto. Mediações: Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 18, n. 1, p. 141-163, 2013. Disponível em: https://bit.ly/3g79W9j. Acesso em: 14 set. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2013v18n1p141

BRANDÃO, T. S.; COSTA, J. H. Um olhar sobre a violência homicida em Mossoró/RN/Brasil e sua relação com o turismo de eventos. Revista Turydes: Turismo y Desarrollo, Málaga, v. 8, n. 18, 2015. Disponível.em:.https://bit.ly/3cvUNMn Acesso em: set. 2020.

BRASIL. Lei nº 12.852, de 5 de agosto de 2013. Institui o Estatuto da Juventude e dispõe sobre os direitos dos jovens. Diário Oficial da União, Brasília, 6 ago. 2013. Seção 1, p. 1. Disponível em: https://bit.ly/3ivEpiH. Acesso em: 10 set. 2020.

BRASIL, Ministério da Saúde. DATASUS: Informações de Saúde (TABNET) Brasília, 2020a. Disponível em: https://bit.ly/3cz3Ts2. Acesso em: 15 mar. 2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Bolsa Família. Brasília, 2020b. Disponível em: https://bit.ly/3gk5Uck. Acesso em: 10 set. 2020.

CALDEIRA, T. P. R. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2008.

CÁMARA DE COMERCIO DE BOGOTÁ. Protocolo de Bogotá: sobre calidad de datos de homicidio en América Latina y el Caribe. Bogotá, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3x9TD17. Acesso em: 16 set. 2020.

CANO, I. Análise espacial da violência no município do Rio de Janeiro. In: NAJAR, A. L.; MARQUES, E. C. (Org.). Saúde e espaço: estudos metodológicos e técnicas de análise. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1998. Cap. 12, p. 239-273. Disponível em: https://bit.ly/3gpR4Bl. Acesso em: 10 set. 2020

CARRIÓN, F Violencia urbana: un asunto de ciudad. EURE (Santiago), v. 34, n. 103, p. 1-130, 2008. Disponível em: https://bit.ly/3xaCCUE. Acesso em: 10 set. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.
4067/S0250-71612008000300006

CAVALCANTI, R. C. As dinâmicas da violência urbana na América Latina. Século XXI: Revista de Ciências Sociais, Santa Maria, v. 7, n. 2, p. 226-251, 2017. Disponível em: https://bit.ly/3zpvWE2. Acesso em: 15 set. 2020. Doi: https://doi.org/10.5902/2236672531915

CECCATO, V. Public space and the situational conditions of crime and fear. International Criminal Justice Review, London, v. 26, n. 2, p. 69-79, 2016. Disponível em: https://bit.ly/354FS84. Acesso em: 10 set. 2020. Doi: https://doi.org/10. 77/1057567716639099

CERQUEIRA, D. R. D. C., LOBÃO, W. J. A.; CARVALHO, A. X. Y. D. O jogo dos sete mitos e a miséria da segurança pública no Brasil. IPEA,

Rio de Janeiro, n. 44, p. 1-30, 2005. Disponível em:.http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/ 058/1778/1/TD_ 44.pdf Acesso.em:.10.set. 2020.

CERQUEIRA, D (Coord.) Atlas da violência 2018. Brasília: Ipea; FBSP, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3cuMoJ0. Acesso em: 10 mar. 2021.

CERQUEIRA, D (Coord.) Atlas da violência 2019. Brasília: Ipea; FBSP, 2019. Disponível em: https://bit.ly/3zbDtpM. Acesso em: set. 2020.

CERQUEIRA, D (Coord.) Atlas da violência 2020. Brasília: Ipea; FBSP, 2020. Disponível em: https://bit.ly/3g3oJ4J. Acesso em: 10 mar. 2021.

COHEN, L. E.; FELSON, M. Social change and crime rate trends: a routine activity approach. American Sociological Review, Menasha, v. 44, n. 4, p. 588-608, 1979. Disponível em: https://bit.ly/354pXXc. Acesso em: 10 set. 2020. Doi: http://dx.doi.org/10.2307/2094589

COULON, A. A Escola de Chicago: introdução e origens. São Paulo: Editora Papirus, 1995.

CENSUS - Centro de Promoção do Desenvol-vimento Sustentável Retrato social de Viçosa. Viçosa, MG: Census, 2014.


FARRELLY, C. M.; SCHWARTZ, S. J.; AMODEO, A. L.; FEASTER, D. J.; STEINLEY, D. L.; MECA, A.; PICARIELLO, S. The analysis of bridging constructs with hierarchical clustering methods: an application to identity. Journal of Research in Personality, San Diego, v. 70, p. 93-106, 2017. Disponível.em:.https://bit.ly/2TTV2dT Acesso em: 10 set. 2020. Doi: https://doi.org/10.1016/j.jrp.2017.06.005

FERREIRA, I. F. C. B.; PENNA, N. A. Território da violência: um olhar geográfico sobre a violência urbana. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), v. 9, n. 1, p. 155-168, 2005. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/73979/77638. Acesso em: 10 set 2020 Doi: https://doi.org/10. 606/issn.2179-0892.geousp.2005.7397

FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Índice mineiro de responsabilidade social. Belo Horizonte: Fundação João Pinheiro, 2019.

GADEA, C. A.; SILON, J.; ROSA, F.; CEZAR, M. S.; DICK, H. Trajetórias de jovens em situação de vulnerabilidade social: sobre a realidade juvenil, violência intersubjetiva e políticas para jovens em Porto Alegre RS. Sociologias, Porto Alegre, v. 19, n. 45, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3x9yxA2. Acesso em: 10 set. 2020. Doi: https://doi.org/10.1590/15174522-019004512

GODOY, A. S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 3, p. 2-29, 1995. Disponível em: https://bit.ly/2TPDvU1. Acesso em: 10 set. 2020. Doi:.https://doi.org/10.1590/S0034-75901995000300004

GOMES, P. C. C. A condição urbana: ensaios de geopolítica da cidade. Bertrand Brasil, 2002.

HERMES, I.; ALVES, C.; BRANDÃO, T. Rastros de pólvora: metadados 2015. Natal: Edição dos Autores, 2015.

HIDALGO, D.; SILVEIRA, F.; PADILHA, D.; BASSANI, A. F.; NASCIMENTO, I. Violencia urbana y políticas de seguridad: análisis en cuatro ciudades latinoamericanas. EURE: Revista de Estudios Urbano Regionales, Santiago de Chile, v. 47, n. 141, p. 165-182, 2021. Disponível em: https://bit.ly/3pDBoPd. Acesso em: 10 jun. 2021

IBGE. Censo Brasileiro de 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

IBGE. Cidades - Viçosa, 2020. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

IBGE. Bases cartográficas 2001. Rio de Janeiro: IBGE, 2020.

JANOWITZ, M. Sociological theory and social control. American Journal of Sociology, Chicago, v. 81, n. 1, p. 82-108, Jul. 1975. Disponível em: https://bit.ly/2Tj3dAg. Acesso em: 10 set. 2020.

JIBAT, N.; NIGUSSIE, B. Criminality and Vic-timization in Oromia, Ethiopia: Analysis of 20 / 2012 Police Data. SAGE Open, New York, v. 5, n. 1, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3waLXf1. Acesso em: 12 mar. 2020. Doi: https://doi.org/10. 77%2F2158244014565335

KOLDE, R. Pheatmap: Pretty heatmaps [Software]. R package version 1.0. 8. 2015. Disponível em: https://bit.ly/3pKpgfi. Acesso em: 10 set. 2020.

KUBRIN, C. E; WEITZER, R. New directions in social disorganization theory. Journal of Research in Crime and Delinquency, New York, v. 40, n. 4, p 374-402, 2003 Disponível em: https://bit.ly/3pKpgfi. Acesso em: 10 set. 2020. Doi: https://doi.org/10. 77/0022427803256238

LEMGRUBER, J.; MUSUMECI, L.; RAMOS, S. Por que é tão difícil implementar uma política de segurança. Observatório da Cidadania, São Paulo, v. 6, p. 46-54, 2002.

LOUDERBACK, E. R.; SEN ROY, S. Integrating social disorganization and routine activity theories and testing the effectiveness of Neighbourhood crime watch programs: Case study of Miami-Dade County, 2007-15. The British Journal of Criminology, London, v. 58, n. 4, p. 968-992, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3g4nFxE. Acesso em: 10 set 2020 Doi: https://doi.org/10.1093/bjc/azx062

MAGRINI, M. A. O. Interações entre violência e cidades: em busca de uma definição de violência urbana Caderno Prudentino de Geografia, Presidente Prudente, v. 1, n. 36, p. 83-98, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3g9Lrbi. Acesso em: 10 set. 2020.

MARIA, A. C. S. A produção do espaço urbano da zona sul de Viçosa-MG: empreendimentos horizontais na bacia do ribeirão São Bartolomeu. 2016. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2016.

MISSE, M. Malandros, marginais e vagabundos: a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. 1999. Tese (Doutorado em Sociologia) - Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

MORIARTY, L. J.; WILLIAMS, J. E. Examining the relationship between routine activities theory and social disorganization: an analysis of property crime victimization. American Journal of Criminal Justice, New York, v. 21, p. 43-59, 1996. Disponível em: https://bit.ly/2SnXB7p Acesso.em:.16.set. 2020.

NASCIMENTO, E.; SANTANA, L. Quando nenhum lugar é seguro: a violência contra corpos negros em Alagoas. Revista Argumentos, Montes Claros, v. 18, n. 1, p. 75-93, jan./jun. 2021. Disponível em: https://bit.ly/3xexL4P. Acesso em: 16 mar. 2021. Doi: https://doi.org/10.32887/issn.2527-2551v18n1p.75-93

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS 97ª Companhia Especial de Polícia Militar de Minas Gerais. Boletins de ocorrência: 2013/2018. Belo Horizonte, 2020.

PORTES, A. Social capital: Its origins and appli-cations in modern sociology. Annual Review of Sociology, Palo Alto, v. 24, n. 1, p. 1-24, 1998. Disponível em: https://bit.ly/2TfIvks. Acesso em: 16 set. 2020.

PUTNAM, R. 2000: Bowling alone: the collapse and revival of American community. New York: Simon and Schuster. 2000.

RIBEIRO FILHO, G. B. A formação do espaço construído: cidade e legislação urbanística em Viçosa, MG 1997 Dissertação (Mestrado em Urbanismo) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1997.

SAMPSON, R. J.; GROVES, W. B. Community structure and crime: Testing social-disorganization theory. American journal of sociology, Chicago, v. 94, n. 4, p. 774-802, 1989. Disponível em: https://bit.ly/3waVAdp. Acesso em: 12 set. 2020.

MARIA, A. C. S. A produção do espaço urbano da zona sul de Viçosa-MG: empreendimentos horizontais na bacia do ribeirão São Bartolomeu. 2016. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2016.

MISSE, M. Malandros, marginais e vagabundos: a acumulação social da violência no Rio de Janeiro. 1999. Tese (Doutorado em Sociologia) - Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.

MORIARTY, L. J.; WILLIAMS, J. E. Examining the relationship between routine activities theory and social disorganization: an analysis of property crime victimization. American Journal of Criminal Justice, New York, v. 21, p. 43-59, 1996. Disponível em: https://bit.ly/2SnXB7p Acesso.em:.16.set. 2020.

NASCIMENTO, E.; SANTANA, L. Quando ne-nhum lugar é seguro: a violência contra corpos negros em Alagoas. Revista Argumentos, Montes Claros, v. 18, n. 1, p. 75-93, jan./jun. 2021. Disponível em: https://bit.ly/3xexL4P. Acesso em: 16 mar. 2021. Doi: https://doi.org/10.32887/issn.2527-2551v18n1p.75-93

POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS 97ª Companhia Especial de Polícia Militar de Minas Gerais. Boletins de ocorrência: 2013/2018. Belo Horionte, 2020.

PORTES, A. Social capital: Its origins and appli-cations in modern sociology. Annual Review of Sociology, Palo Alto, v. 24, n. 1, p. 1-24, 1998. Disponível em: https://bit.ly/2TfIvks. Acesso em: 16 set. 2020.

PUTNAM, R. 2000: Bowling alone: the collapse and revival of American community. New York: Simon and Schuster. 2000.

RIBEIRO FILHO, G. B. A formação do espaço construído: cidade e legislação urbanística em Viçosa, MG 1997 Dissertação (Mestrado em Urbanismo) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1997.

SAMPSON, R. J.; GROVES, W. B. Community structure and crime: Testing social-disorganization theory. American journal of sociology, Chicago, v. 94, n. 4, p. 774-802, 1989. Disponível em: https://bit.ly/3waVAdp. Acesso em: 12 set. 2020.


SAMPSON, R. J.; MORENOFF, J. D.; GANNON-ROWLEY, T. Assessing “neighborhood effects”: Social processes and new directions in research. Annual Review of Sociology, Palo Alto, v. 28, n. 1,
p 443-478, 2002 Disponível em: https://bit.ly/3gdmKLv. Acesso em: 16 set. 2020.

SAMPSON, R. J.; WOOLDREDGE, J. D. Linking the micro- and macro-level dimensions of lifestyle-routine activity and opportunity models of predatory victimization. Journal of Quantitative Criminology, Dordrecht, v. 3, n. 4, p. 371-393, 1987. Disponível em: https://bit.ly/3gq706q. Acesso em: 16 set. 2020.

SANTOS, A. M.; SILVA, A. Violência urbana e suas representações sociais. Brazilian Journal of Development, Curitiba, v. 6, n. 7, p. 47370-47384, 2020 Disponível em: https://bit.ly/3x1D8UO. Acesso em: 16 mar. 2021.

SANTOS, J. V. T. Violências e dilemas do controle social nas sociedades da “modernidade tardia”. São Paulo em perspectiva, São Paulo, v 18, n. 1, p. 3-12, 2004. Disponível em: https://bit.ly/3g6DQuk. Acesso em: 15 set. 2020. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-88392004000100002

SANTOS, M. A urbanização brasileira. São Paulo: Edusp, 1993.

SCHVASBERG, B. Tendências e problemas da urbanização contemporânea no Brasil. In: CASTRIOTA, L. B. (Org.). Urbanização brasileira: redescobertas. Belo Horizonte: C/ Arte, 2003. p. 43-63.

SHAW, C. R.; McKAY, H. D. Juvenile delinquency and urban areas: a study of delinquency in relation to differential characteristics of local communities in American cities. Chicago: University of Chicago Press, 1969.

SILVA, M. L. Expansão da cidade de Viçosa (MG): a dinâmica centro-periférica 2016 Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2016.

SILVA, M. P.; SANTANA, L. L. S.; ALVES, L. S.; CHAGAS, C. A. N. Análise socioespacial da violência na 12ª AISP: o uso do território, geoinformação e influências da violência urbana em Belém-PA Revista GeoAmazônia, Belém, v 2, n. 4, p. 190-205, 2014. Disponível em: https://bit.ly/3wa8oAW. Acesso em: 16 set. 2020.

SIMCHA-FAGAN, O. M.; SCHWARTZ, J. E. Neighborhood and delinquency: an assessment of contextual effects. Criminology, Columbus, v. 24, n. 4, p. 667-699, 1986. Disponível em: https://bit.ly/3v9u6Uv. Acesso em: 17 set. 2020.

SINHORETTO, J. Mapa do encarceramento: os jovens do Brasil. Brasília: Secretaria Nacional da Juventude, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2SnjW59. Acesso em: 10 set. 2020.

SMITH, W. R.; FRAZEE, S. G.; DAVISON, E. L. Furthering the integration of routine activity and social disorganization theories: small units of analysis and the study of street robbery as a diffusion process. Criminology, Columbus, v. 38, n. 2, p. 489-524, 2000. Disponível em: https://bit.ly/2RDSRKz. Acesso em: 16 set. 2020.

STARK, R. Deviant places: a theory of the ecology of crime. Criminology, Columbus, v. 25, n. 4, p. 893-910, 1987 Disponível em: https://bit.ly/2SmfxiV. Acesso em: 12 set. 2020. Doi: https://doi.org/10. /j.1745-9125.1987.tb00824.x

THOMAS, W.; ZNANIECKI, Florian. The concept of social disorganization. In: TRAUB, S. H.; LITTLE, C. B. Theories of deviance. Itasca: F. E. Peacock, 1999. p. 67-70.

VELHO, G. Individualismo, anonimato e violência na.metrópole Horizontes. Antropológicos, Porto Alegre, v. 6, n. 13, p. 15-29, 2000. Disponível em: https://bit.ly/3pDnc8y. Acesso em: 12 set. 2020.

VIEIRA, D. C. M.; BORGES, R. H. M.; SANTOS, C. S.; CHAGAS, C. A. N. Território criminalidade e violência: uma análise dos homicídios na 4ª e.5ª.AISP, Belém-Pará. Boletim Amazônico.de Geografia, Belém, v. 3, n. 5, p. 152-174, jan. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3gaB7jD. Acesso em: 12.set 2020 Doi:10.17552/2358-7040/bag.v3n5p152-174

VIÇOSA. Prefeitura Municipal. Programa bolsa família. Viçosa: Secretaria de Assist. Social, 2020.

VILLAÇA, F. Reflexões sobre as cidades brasileiras. Studio Nobel, 2012.

WAISELFSZ, J J Mapa da violência 2016: homicídios por armas de fogo no Brasil. Rio de Janeiro: FLACSO Brasil, 2016. Disponível em: https://bit.ly/3zj1k6T. Acesso em: 12 set. 2020.


ZALUAR, A; RIBEIRO, A. P. A. Teoria da eficácia coletiva e violência: o paradoxo do subúrbio cari-oca. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo, n. 84, p 175-196, 2009 Disponível em: https://bit.ly/2SmCL8A. Acesso em: 12 set. 2020.

Downloads

Publicado

06.12.2021

Como Citar

GOMES, A. L.; PINTO, N. M. de A.; FIÚZA, A. L. de C.; PEREIRA, G. M. da C. Violência urbana em contextos de desigualdade socioeconômica. Semina: Ciências Sociais e Humanas, [S. l.], v. 42, n. 2, p. 239–266, 2021. DOI: 10.5433/1679-0383.2021v42n2p239. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminasoc/article/view/41838. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos Seção Livre

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)