Condições de Vida no Estado do Paraná: Análise Ecológica com Base em Variáveis do Censo Demográfico de 2000

Autores

  • Selma Maffei de Andrade Universidade Estadual de Londrina
  • Tiemi Matsuo Universidade Estadual de Londrina
  • Darli Antonio Soares Universidade Estadual de Londrina
  • Regina Kazue Tanno de Souza Universidade Estadual de Maringá
  • Thais Aidar de Freitas Mathias Universidade Estadual de Maringá
  • Maria Luiza Hiromi Iwakura Autarquia Municipal de Saúde de Londrina
  • Maria Angelina Zequim Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2004v25n1p73

Palavras-chave:

Condições de vida, Iniqüidade social, Desenvolvimento da comunidade.

Resumo

As condições de vida e as desigualdades sociais exercem poderosa influência nos níveis de saúde das populações. Neste sentido, este estudo, como parte de uma pesquisa que visa a analisar a relação entre condições de vida e mortalidade, apresenta uma proposta de categorização dos municípios do Paraná segundo condições de vida, com base em variáveis do Censo Demográfico de 2000, e analisa o poder discriminatório dos estratos definidos neste trabalho tendo por referência o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M). Foram utilizadas dez variáveis do Censo Demográfico de 2000 e, após a análise de componentes principais e análise de cluster pelo método k-means, construídos cinco estratos (clusters) de municípios segundo condições de vida. Comparando os estratos, por meio de análise de variância (ANOVA) e teste de Tukey post-hoc, observaram-se desigualdades relativas à infra-estrutura urbana dos municípios (abastecimento de água e coleta de lixo) e de inserção social de seus residentes (renda e escolaridade). Na comparação com o IDH-M, observou-se que os clusters seguem um padrão semelhante, com classificação dos clusters em níveis mais altos de condições de vida à medida que houve aumento do IDH-M, com diferenças estatisticamente significativas, exceto para o componente “longevidade” do IDH-M. Os resultados indicam que os estratos construídos apresentaram poder discriminatório em relação às condições de vida, tendo como base as variáveis analisadas.

 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Selma Maffei de Andrade, Universidade Estadual de Londrina

Enfermeira, doutora em Saúde Pública, docente do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Londrina.

Tiemi Matsuo, Universidade Estadual de Londrina

Bacharel em Matemática, doutora em Estatística, docente do Departamento de Matemática Aplicada da Universidade Estadual de Londrina.

Darli Antonio Soares, Universidade Estadual de Londrina

Médico, doutor em Medicina, docente do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Estadual de Londrina.

Regina Kazue Tanno de Souza, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira, doutora em Saúde Pública, docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá.

Thais Aidar de Freitas Mathias, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira, doutora em Saúde Pública, docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá.

Maria Luiza Hiromi Iwakura, Autarquia Municipal de Saúde de Londrina

Odontóloga, mestre em Saúde Coletiva, coordenadora da Diretoria de Processamento e Análise de Dados em Saúde da Autarquia Municipal de Saúde de Londrina.

Maria Angelina Zequim, Universidade Estadual de Londrina

Geógrafa, mestranda em Geografia da Universidade Estadual de Londrina, Diretoria de Processamento e Análise de Dados em Saúde da Autarquia Municipal de Saúde de Londrina.

Downloads

Publicado

2004-07-15

Como Citar

1.
Andrade SM de, Matsuo T, Soares DA, Souza RKT de, Mathias TA de F, Iwakura MLH, Zequim MA. Condições de Vida no Estado do Paraná: Análise Ecológica com Base em Variáveis do Censo Demográfico de 2000. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 15º de julho de 2004 [citado 13º de junho de 2024];25(1):73-80. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/3628

Edição

Seção

Artigos