Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil

Autores

  • Fernanda Lise Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
  • Flávio Roberto Mello Garcia Centro Universitário La Salle

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2007v28n2p93

Palavras-chave:

Loxoscelismo, Aranhas, Epidemiologia.

Resumo

Este estudo, de caráter descritivo e exploratório, foi realizado com o objetivo de verificar a incidência e caracterizar dos acidentes com aranhas de 1995 a 2002 no município de Chapecó, Santa Catarina, bem como caracterizar esses acidentes. Para tanto, verificaram-se os registros das notificações realizadas pela Vigilância Epidemiológica de Chapecó entre os anos e calculou-se a freqüência das mesmas. Em Chapecó, ocorreram 131 acidentes com aranhas durante o período estudado, e a incidência de araneísmo foi de 0,8% em 1995; 0,0% em 1996; 2,2% em 1997; 8,7% em 1998; 11,9% em 1999; 18,4% em 2000; 17,5% em 2001 e de 29,8% em 2002. Dentre eles, 62,6% foram ocasionados por aranhas do gênero Loxosceles. A maioria ocorreu com mulheres e adultos entre 21 e 60 anos (54,9%). Cerca de 80% dos acidentes ocorreram na área urbana, visto que quase 80% das vítimas residiam nesta área. As partes do corpo mais picadas pelas aranhas foram coxas/pernas, pé/artelhos e mão/dedos. As principais alterações clínicas apresentadas pelos pacientes foram dor, edema e eritema. A estação de maior ocorrência de acidentes foi a primavera, e as vítimas em mais de 40% encontravam-se em atividades no interior das residências. Conclui-se que o número de acidentes vem aumentando significativamente nos últimos anos, e isso demonstra a necessidade de políticas públicas de saúde para a prevenção destes.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Fernanda Lise, Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Enfermeira, Especialista em Enfermagem Pediátrica. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Escola de Enfermagem. Rua: São Manoel 963, Porto Alegre, RS - CEP. 90620-110.

Flávio Roberto Mello Garcia, Centro Universitário La Salle

Biólogo, Prof. Dr. do UNILASALLE, e do Programa de Mestrado em Ciências Ambientais da UNOCHAPECÓ. Coordenação de Pós-graduação Strictu sensu e Pesquisa; Av. Victor Barreto, 2288, CEP 92010-000, Canoas, RS. Fone: (51) 3476-8624.

Downloads

Publicado

2007-12-15

Como Citar

1.
Lise F, Garcia FRM. Epidemiologia do araneísmo no município de Chapecó, Santa Catarina, Brasil. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 15º de dezembro de 2007 [citado 17º de junho de 2024];28(2):93-8. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/3473

Edição

Seção

Artigos