Determinação da dose ótima de cloridrato de benzocaína na anestesia de tilápias (Oreochromis niloticus)

Autores

  • Marco Antonio da Rocha Universidade Estadual de Londrina
  • Carmen Esther Santos Grumadas Universidade Estadual de Londrina
  • Edson Luis de Azambuja Ribeiro Universidade Estadual de Londrina
  • Ivone Yurika Mizubuti Universidade Estadual de Londrina
  • Agostinho Ludovico Universidade Norte do Paraná
  • Camila Constatino Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n6p2403

Palavras-chave:

Alometria, Peixes, Tempo de indução.

Resumo

A anestesia em peixes é indicada para auxiliar a realização de diversos procedimentos como: captura, biometria, marcação, transporte, exame físico, procedimentos cirúrgicos e manejo reprodutivo. Neste experimento, determinou-se a dose de cloridrato de benzocaína na anestesia de tilápias (Oreochromis niloticus), com a realização de seis etapas com 240 peixes, sendo 40 peixes em cada etapa, em intervalo de dois meses. O peso médio e o (fator de condição alométrico) das tilápias em cada etapa foram de: 25,64 (2,5635); 167,58 (2,8776); 286,12 (2,5719); 388,24 (2,4955); 518,19 (2,8933); 592,71 (2,6750), respectivamente. O fator de condição alométrico mostrou que os animais utilizados no experimento estavam em boas condições (P > 0,05). Em cada etapa, os peixes foram capturados e colocados em quatro recipientes contendo 5 litros de água com benzocaína diluída em 20 ml de etanol, nas concentrações de 100, 140, 180 e 220 mg/litro de água. O tempo de indução em segundos (TI) foi registrado para cada peixe, e após a indução anestésica foi realizada a biometria no tempo fixo de 10 minutos. Após, os peixes foram transferidos para recipientes contendo 20 litros de água com renovação constante para avaliar o tempo de recuperação em segundos (TR). Em cada etapa, foi calculada a dose mínima de benzocaína através do LRP (Linear Response Plateu) em um modelo que incluiu a dose de benzocaína (mg/l) e tempo de indução em segundos. Os valores do LRP foram respectivamente: 146,60 e 67,45; 155,95 e 76,33; 160,45 e 87,42; 167,00 e 108,14; 165,87 e 174,03; 164,00 e 139,80. A dose ótima foi relacionada com o peso médio em cada fase resultando na equação: Dose = 149,65 + 0,03183 x peso, (r² = 0,73). Esta equação mostra que um aumento em 1g no peso corporal corresponde a 0,032 mg/l na dose de benzocaína.

 

Biografia do Autor

Marco Antonio da Rocha, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr. Aposentado do Deptº de Zootecnia, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR.

Carmen Esther Santos Grumadas, Universidade Estadual de Londrina

Profª. Drª. do Deptº de Clínicas Veterinárias, UEL, Londrina, PR.

Edson Luis de Azambuja Ribeiro, Universidade Estadual de Londrina

Prof. Dr. do Deptº de Zootecnia, UEL, Londrina, PR. Bolsista de Produtividade do CNPq.

Ivone Yurika Mizubuti, Universidade Estadual de Londrina

Profª. Drª. do Deptº de Zootecnia, UEL, Londrina, PR. Bolsista de Produtividade do CNPq.

Agostinho Ludovico, Universidade Norte do Paraná

Prof. Dr. do Curso de Medicina Veterinária, Universidade do Norte do Paraná, UNOPAR, Arapongas, PR.

Camila Constatino, Universidade Estadual de Londrina

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, UEL, Londrina, PR.

Downloads

Publicado

2012-12-05

Como Citar

Rocha, M. A. da, Grumadas, C. E. S., Ribeiro, E. L. de A., Mizubuti, I. Y., Ludovico, A., & Constatino, C. (2012). Determinação da dose ótima de cloridrato de benzocaína na anestesia de tilápias (Oreochromis niloticus). Semina: Ciências Agrárias, 33(6), 2403–2410. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2012v33n6p2403

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 > >>