Comportamento ingestivo de novilhas Nelore em pastejo no período seco suplementadas com sal mineral e tipos de ureia

Autores

  • Aléx Schio Resende Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Fabiano Ferreira da Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Evely Giovanna Leite Costa Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Robério Rodrigues Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Dicastro Dias de Souza Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Antonio Ferraz Porto Junior Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Bismarck Moreira Santiago Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Eli Santana de Oliveira Rodrigues Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Edvaldo Nascimento Costa Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia
  • Jemima Fialho Muricy Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n5p2195

Palavras-chave:

Consumo, Diferimento, Nitrogênio não proteico, Ruminante.

Resumo

Avaliou-se o comportamento ingestivo de novilhas Nelore, na fase de recria em pastejo de Brachiaria brizantha durante o período seco do ano, recebendo suplementos contendo sal mineral, ureia convencional e ureia de liberação lenta. Foram utilizadas 56 novilhas com aproximadamente 284,72 ± 27,48 kg de peso corporal médio, distribuídas em delineamento inteiramente casualisado sob quatro tratamentos, sendo: Sal mineral; Ureia – suplementação com 8,18% ureia convencional; Ureia mista - suplementação com 4,09% ureia convencional e 4,39% ureia de liberação lenta e Ureia lenta – suplementação com 8,78% ureia de liberação lenta. Animais suplementados com sal mineral apresentaram maior tempo de pastejo comparado aos que receberam suplemento ureia mista, ureia lenta e ureia. O consumo de matéria seca, fibra em detergente neutro e nutrientes digestíveis totais apresentou efeito similar, com maiores valores para as novilhas consumindo suplemento contendo ureia e ureia lenta comparado à ureia mista. Entretanto, quando se avalia a eficiência de consumo por hora, os animais que receberam suplemento ureia foram mais eficientes em relação aos demais tratamentos. O número de períodos em pastejo para as novilhas que receberam suplemento ureia lenta foi maior comparado com novilhas que receberam suplemento sal e ureia mista. O tempo de duração do período de pastejo e ruminação foram maiores para as novilhas que receberam suplemento sal e ureia mista do que àquelas que receberam ureia e ureia lenta. Recomenda-se utilizar suplementos no nível de 0,3% do peso corporal para novilhas de corte contendo ureia convencional.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Aléx Schio Resende, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Fabiano Ferreira da Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Prof. Dr., Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil. Bolsista de produtividade do CNPq.

Evely Giovanna Leite Costa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Robério Rodrigues Silva, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Prof. Dr., Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil. Bolsista de produtividade do CNPq.

Dicastro Dias de Souza, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Antonio Ferraz Porto Junior, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Bismarck Moreira Santiago, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Eli Santana de Oliveira Rodrigues, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Edvaldo Nascimento Costa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Jemima Fialho Muricy, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia

Discente de Graduação em Zootecnia, UESB, Itapetinga, BA, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-08-20

Como Citar

Resende, A. S., Silva, F. F. da, Costa, E. G. L., Silva, R. R., Souza, D. D. de, Porto Junior, A. F., Santiago, B. M., Rodrigues, E. S. de O., Costa, E. N., & Muricy, J. F. (2018). Comportamento ingestivo de novilhas Nelore em pastejo no período seco suplementadas com sal mineral e tipos de ureia. Semina: Ciências Agrárias, 39(5), 2195–2204. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n5p2195

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4