Uso da água residuária da suinocultura como promotora da produtividade do capim-Braquiária

Autores

  • Bruno Grossi Costa Homem Universidade Federal de Lavras
  • Valdir Botega Tavares Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais
  • Onofre Barroca de Almeida Neto Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais
  • Marisa Senra Condé Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais
  • Igor Machado Ferreira Universidade Federal de Lavras
  • Mateus Diniz Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais
  • Márcio André Stefanelli Lara Universidade Federal de Lavras

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n4Supl1p2539

Palavras-chave:

Brachiaria, efluentes, fertirrigação, produção de forragem.

Resumo

Objetivou-se com este trabalho avaliar as respostas agronômicas da Brachiaria decumbens cv. Basilisk em função da aplicação de doses de água residuária da suinocultura (ARS). O experimento foi conduzido em casa de vegetação no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, Câmpus Rio Pomba. Vasos com volume de 6dm3 foram utilizados como unidades experimentais, utilizou-se o delineamento em blocos completos casualizados num esquema de parcela subdividida, com quatro repetições. Foram estudadas quatro doses de ARS (0, 225, 450 e 675mL vaso-1) parceladas durante quatro ciclos de rebrotação. A produção de matéria seca da parte aérea, a taxa de acúmulo de forragem, a proteína bruta e a produção de matéria seca de raízes aumentaram com as doses de ARS, com aumentos de cerca de 670, 742, 160 e 465% respectivamente da menor para a maior dose. Houve interação entre doses de ARS e ciclos de rebrotação para as variáveis, altura e densidade populacional de perfilhos, sendo que em todos os ciclos de rebrotação, responderam positivamente com o aumento das doses de ARS. A aplicação de ARS, portanto, é uma alternativa viável para aumento da produtividade da B. decumbens cv. Basilisk, recomenda-se o uso de ARS correspondente à dose de 675mL vaso-1 na manutenção das pastagens.

Biografia do Autor

Bruno Grossi Costa Homem, Universidade Federal de Lavras

Discente do Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, Dept° de Zootecnia, Universidade Federal de Lavras, UFLA, Lavras, MG, Brasil.

Valdir Botega Tavares, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais

Prof., Dept° de Zootecnia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais, IF Sudeste MG, Campus Rio Pomba, Rio Pomba, MG, Brasil.

Onofre Barroca de Almeida Neto, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais

Prof., Dept° de Educação, IF Sudeste MG, Campus Rio Pomba, Rio Pomba, MG, Brasil.

Marisa Senra Condé, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais

Zootecnista, IF Sudeste MG, Campus Rio Pomba, Rio Pomba, MG, Brasil.

Igor Machado Ferreira, Universidade Federal de Lavras

Discente do Curso de Graduação em Zootecnia, UFLA, Lavras, MG, Brasil.

Mateus Diniz Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais

Discente do Curso de Graduação em Zootecnia, IF Sudeste MG, Campus Rio Pomba, Rio Pomba, MG, Brasil.

Márcio André Stefanelli Lara, Universidade Federal de Lavras

Prof., Dept° de Zootecnia, Universidade Federal de Lavras, UFLA, Lavras, MG, Brasil.

Downloads

Publicado

2016-09-02

Como Citar

Homem, B. G. C., Tavares, V. B., Almeida Neto, O. B. de, Condé, M. S., Ferreira, I. M., Silva, M. D., & Lara, M. A. S. (2016). Uso da água residuária da suinocultura como promotora da produtividade do capim-Braquiária. Semina: Ciências Agrárias, 37(4Supl1), 2539–2548. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2016v37n4Supl1p2539

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)