Especificidade de ativos e estruturas de governança na bovinocultura de corte no Paraná.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/2317-627X.2021v9n2p97

Palavras-chave:

Coordenação, Economia dos Custos de Transação, Carnes especiais.

Resumo

Apesar do destaque econômico da pecuária bovina de corte brasileira, ela apresenta problemas históricos de coordenação. Coexistem ao menos três diferentes subsistemas, aqui denominados convencional, diferenciado e altamente diferenciado, nos quais diferem quanto aos investimentos em diferenciação. De acordo com a Economia dos Custos de Transação, esses subsistemas podem envolver especificidade de ativos, demandando estruturas de governança complexas. Nesse sentido, o objetivo foi comparar, com foco na especificidade de ativos, como as transações estão organizadas no sistema convencional, diferenciado e altamente diferenciado da pecuária bovina de corte no Paraná, Brasil. A pesquisa é de natureza qualitativa e descritiva, em que 24 entrevistas semiestruturadas foram realizadas com integrantes dos três sistemas. Os resultados mostram que o sistema convencional possui baixa especificidade de ativos e é governando pelo mecanismo de mercado. O sistema diferenciado envolve especificidade de ativos e as transações são organizadas por formas híbridas. O sistema altamente diferenciado possui elevada especificidade de ativo e por isso tende a integração vertical. Conclui-se que a escolha pela estrutura de governança seguiu um continuum que foi da estrutura de mercado spot à integração vertical, à medida em que a especificidade de ativos se elevou. Apesar disso, permanecem falhas nessas cadeias, comprometendo sua continuidade.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Rejane Heloise dos Santos, Universidade Estadual do Paraná - UFPR

Doutoranda em Administração pela Universidade Estadual de Maringá.

Amanda Ferreira Guimarães, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutorado Sanduíche realizado na École dIngénieurs de Purpan, Toulouse, França. Doutoranda em Administração pela Universidade Estadual de Maringá. 

Sandra Mara de Alencar Schiavi, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutora em Engenharia de Produção pela UFSCar.  Professora da Universidade Estadual de Maringá (UEM) 

José Paulo Souza, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina. Pós-doutorado em Administração, pela Universidade de São Paulo. Pofessor da Universidade Estadual de Maringá. 

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS CRIADORES DE BOVINOS DA RAÇA WAGYU. Sobre a raça Wagyu. Disponível em: http://www.wagyu.org.br/sobre-a-raca-wagyu/. Acesso em 1 mar. 2019.

ATLAS.TI. Atlas.ti qualitative data analysis. Disponível em: https://atlasti.com/product/what-is-atlas-ti/. Acesso em: 04 ago. 2020.

AZEVEDO, P. F. Nova Economia Institucional: referencial geral e aplicações para a agricultura. Agricultura em São Paulo, São Paulo, v. 47, n. 1, p. 33-52, 2000.

BÁNKUTI, S. M. S. Differentiated Agri-food Systems (DAS): Organizational arrangements for small and mid-sized farmers. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL EM AGRONEGÓCIO E DESENVOLVIMENTO, 2016, Tupã, SP. Anais [...]. Tupã: UNESP, 2016.

BARCELLOS, J. O. J. et al. Bovinocultura de corte frente a agriculturização no Sul do Brasil. In: CICLO DE ATUALIZAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA, 11., 2004, Lages, SC. Anais... Lages: Centro Agroveterinário de Lages, 2004. p. 13-30.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BUAINAIN, A.M. BATALHA, M.O. Cadeia produtiva da carne bovina. Série Agronegócios. vol. 8. Brasília: IICA: MAPA/SPA, 2007.

CALEMAN, S. M. Q.; SPROESSER, R. L.; ZYLBERSZTAJN, D. Custos de mensuração e governança no agronegócio: um estudo de casos múltiplos no Sistema Agroindustrial da Carne Bovina. Organizações Rurais e Agroindustriais, v. 10, p. 359-375, 2008.

CALEMAN, S. M. Q.; ZYLBERSZTAJN, D. Failures in incentive transmission along Brazil`s quality beef chain. Journal on Chain and Network Science, v. 11, p. 251-262, 2011.

CALEMAN, S. M. Q., ZYLBERSZTAJN, D. Falta de garantias e falhas de coordenação: evidências do sistema agroindustrial da carne bovina. Revista de Economia e Sociologia Rural, v. 50, n. 2, 2012.

CALEMAN, S. M. Q.; ZYLBERSZTAJN, D. Garantias, coordenação e conflito: evidências do sistema agroindustrial da carne bovina para a compreensão das falhas de coordenação. In: CONGRESSO DA SOBER. 48., 2010, Campo Grande. Anais [...]. Campo Grande: SOBER, 2010.

CEPEA. PIB do agronegócio brasileiro. Disponível em: https://www.cepea.esalq.usp.br/br/pib-do-agronegocio-brasileiro.aspx. Acesso em: 04 ago. 2020.

COASE, R. H. The nature of firm. London: Economica, 1937. v. 4, p. 386-405,

EMATER. Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural. Projeto Bovinocultura de Corte - Resumo Executivo. Disponível em: http://www.emater.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=63. Acesso em: 12 fev. 2019.

FARINA, E. M. M. Q. Competitividade e coordenação de sistemas agroindustriais: um ensaio conceitual. Revista Gestão e Produção, v.6, n.3, p.147-161, dez., 1999.

FARINA, E. M. M. Q. Consolidation, multinationalisation, and competition in Brazil: impacts on horticulture and dairy products systems. Development Policy Review, v. 20, n. 4, 2002.

FERREIRA, G. C.; PADULA, A. D. Gerenciamento de cadeia de suprimentos: Novas formas de organização na cadeia da carne bovina do Rio Grande do Sul. Revista Administração Contemporânea, v. 6, n. 2, p. 167-184, 2002.

GASKELL, G. Entrevistas individuais e grupais. In: BAUER, M. W.; GASKELL, G. (ed.). Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. Petrópolis: Vozes, 2002. 64-89.

GODOY, A. S. Introdução à Pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, v. 35, n. 2, p.57-63, mar./abr., 1995.

HOOKS, T. et al. A co-operative business approach in values-based supply chain: a case study of beef co-operative. Journal of Co-operative Organization and Management, v. 5, n. 2, p. 65-72, 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. População. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/cartograma/mapa.php?lang=&coduf=41&codmun=410690&idtema=121&codv=v01&search=parana|curitiba|sintese-das-informacoes-2012. Acesso em: 02 fev. 2017.

LEONELLI, F. C. V.; OLIVEIRA, I. R. C. Percepção dos consumidores sobre os açougues gourmet: um estudo multicaso. Organizações Rurais & Agroindustriais, v. 18, n. 1, p. 79-91, 2016.

MÉNARD, C. The economics of hybrid organizations. Journal of Institutional and Theoretical Economics, v. 160, n.3, p-345-376. 2004.

MINAYO, M. C. S. O desafio da pesquisa social. In: DESLANDES, S. F.; GOMES, R.; MINAYO, M. C. de S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009.

MAPA. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Circular nº 11/2015 CGI/DIPOA/SDA/MAPA. Brasília, 2015. Disponível em: https://www.cnabrasil.org.br/assets/arquivos/Ofi%CC%81cio-Circular-11_2015-CGI_DIPOA__SDA-Rotulagem_Bovinos_Registro-de-produtos-com-indicacao-raca.pdf. Acesso em: 04 ago. 2020.

OLIVEIRA, T. E. et al., Alianças mercadológicas e estratégias de diferenciação na cadeia da carne bovina no Brasil. Revista Ibero-Americana de Estratégia, v. 14, n. 2, abr./jun., 2015.

OLIVEIRA, G. M. et al. Information asymmetry: the case of cattle supply transaction in Brazil. Britisih Food Journal, v. 121, n. 8, 2019.

SAES, M. S. M. Estratégias de diferenciação e apropriação de quase-renda na agricultura: a produção de pequena escala. São Paulo: Annablume, Fapesp, 2009.

SILVA, C. A.; BATALHA, M. O. Estudo sobre a eficiência econômica e competitividade da cadeia agroindustrial da pecuária de corte no Brasil/IEL, CNA E SEBRAE. Brasília: IEL, 2000.

SILVEIRA, R. L. F. et al. Formas plurais de governança: uma análise das transações de suprimento entre frigoríficos e pecuaristas. Revista de Economia e Sociologia Rural, Brasília, v. 52, n. 4, p. 761-782, 2014.

TOSI, M. Cresce a procura pelo Wagyu, o boi que bebe cerveja e não tem carne de segunda. Gazeta do Povo, 13 nov. 2017. Disponível em: https://www.gazetadopovo.com.br/agronegocio/pecuaria/bovinos/cresce-a-procura-pelo-wagyu-o-boi-que-bebe-cerveja-e-nao-tem-carne-de-segunda-eyp8tnmm7cr3jz1w781an318v/. Acesso em: 04 ago. 2020.

TÓTH, J. Value creation and capturing: the case of the Hungarian agri-food SMEs. In: 89TH AGRICULTURAL ECONOMICS SOCIETY CONFERENCE, April 13-15, 2015, Warwick University, Coventry, UK. Disponível em: http://purl.umn.edu/204229. Acesso em: 17 fev. 2016.

USDA. United States Department of Agriculture. Foreign Agricultural Services. Disponível em: http://apps.fas.usda.gov/psdonline/psdQuery.aspx. Acesso em: 04 ago. 2020.

VIANA, J. G. A.; SILVEIRA, V. C. P. A relação entre o preço pago pelo consumidor de carne bovina em Santa Maria e o recebido pelo produtor de gado de corte no Rio Grande do Sul, Brasil. Ciência Rural, v. 37, n. 4, p. 1122-1127, ago., 2007.

WILLIAMSON, O. E. Comparative economic organization: the analysis of discrete structural alternatives. Administrative Science Quarterly, v.36, p.269-96, 1991.

WILLIAMSON, O. E. The economic institutions of capitalism. New York: Free Press, 1985.

WILLIAMSON, O. E. The New Institutional Economics: Taking Stock, Looking Ahead. Journal of Economic Literature, v.38, p.595-613, 2000.

ZANELLA, T. Bovinos da raça Wagyu? Uma raça ainda desconhecida no Brasil. Revista Grupo Cultivar, 02 abr. 2008.

ZYLBERSZTAJN, D.; MACHADO FILHO, C. A. P. Competitiveness of meat agri-food chain in Brazil. Supply Chain Management: An International Journal, v. 8, n. 2, p.155 -165, 2003.

Downloads

Publicado

01-06-2021

Como Citar

Santos, R. H. dos, Guimarães, A. F., Schiavi, S. M. de A., & Souza, J. P. (2021). Especificidade de ativos e estruturas de governança na bovinocultura de corte no Paraná. Economia & Região, 9(2), 97–114. https://doi.org/10.5433/2317-627X.2021v9n2p97

Edição

Seção

Artigos