Tradição e experiência: uma inversão cultural do pensável pelas práticas

Autores

  • Jonathan M. Menezes Universidade Estadual de Londrina - UEL

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2010v3n5p367

Palavras-chave:

Metamorfoses do sagrado, Experiência, Tradição, Protestantismo, Londrina/Pr, Brasil

Resumo

O estudo do protestantismo é algo que tem fascinado a muitos pesquisadores nos últimos anos. A multiplicidade que o constitui, as combinações que ele engloba e as metamorfoses pelas quais têm passado são o cerne temático desse artigo. Como amostra de uma parcela dessa realidade, esse estudo envolve tanto um diálogo com alguns teóricos da história e da s0ciologia que se ocuparam desse campo, como uma abordagem a histórias e experiências de praticantes de uma comunidade religiosa em Londrina, no Paraná. A partir dessa fusão de olhares, postulou-se que o sagrado que se manifesta nesse âmbito não é fruto de mera repetição de modelos, mas de recriações, reinvenções da tradição, a partir da experiência singular de fé das pessoas em seus contextos particulares de vida. Em virtude disso, tanto nos discursos como nas práticas religiosas ocorreram rupturas, que ora penderam para uma flexibilização, ora para um reforço de trincheiras religiosas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jonathan M. Menezes, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Mestre em História Social pela Universidade Estadual de Londrina. Professor da Faculdade Teológica Sul Americana, Londrina.

Referências

ALVES, Rubem. Protestantismo e repressão. São Paulo: Ática, 1979.

BAUDRILLARD, Jean. À sombra das maiorias silenciosas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

BAUMAN, Zygmunt. A sociedade individualizada. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Tradição e autonomia no mundo pós-moderno. In: Em busca da política. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000. p. 136-146.

BURKE, Peter. A história cultural. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

CERTEAU, Michel de. A escrita da história. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

CUNHA, Magali do Nascimento. Explosão gospel: um olhar das ciências humanas sobre o cenário evangélico no Brasil. Rio de Janeiro: Mauad X: Instituto Mysterium, 2007.

DUPRONT, Alphonse. A religião: antropologia religiosa. In: LE GOFF, Jacques; NORA, Pierre. História: novas abordagens. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1976. p. 83-105.

FERREIRA, Marieta de Morais; AMADO, Janaína. Usos e abusos da História Oral. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

GEERTZ, Clifford. Religião: um beliscão do destino. In: Nova luz sobre a antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.

HOBSBAWN, Eric; RANGER, Terence. A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1984.

MEIHY, José Carlos Sebe Bom. Manual de história oral. São Paulo: Loyola, 2002.

MENDONÇA, Antônio G.; VELASQUES FILHO, Prócoro. Introdução ao protestantismo no Brasil. 2. ed. São Paulo: Loyola, 2002.

MENEZES, Jonathan M. As metamorfoses do sagrado no protestantismo brasileiro: o caso da Igreja Presbiteriana Independente Filadélfia. Londrina (1972-2008). Dissertação (Mestrado em História Social) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2009.

OLIVA, Alfredo dos Santos. A história do Diabo no Brasil. São Paulo: Fonte Editorial, 2007.

PROENÇA, Wander de Lara. Sindicato de Mágicos: uma história cultural da Igreja Universal do Reino de Deus (1977-2006). Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, Assis, 2006.

Downloads

Publicado

14-07-2010

Como Citar

MENEZES, J. M. Tradição e experiência: uma inversão cultural do pensável pelas práticas. Antíteses, [S. l.], v. 3, n. 5, p. 367–392, 2010. DOI: 10.5433/1984-3356.2010v3n5p367. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/3742. Acesso em: 21 maio. 2024.