Imprensa de nicho e música jovem no Brasil:O Mundo é dos Brotos e Revista do Rock (1960-1965)

Autores

  • Marcelo Garson Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2017v10n19p185

Palavras-chave:

Musica jovem, Rock and roll, Juventude, Rock brasileiro, Música popular

Resumo

O objetivo deste artigo é mostrar como, entre 1960 e 1965, a imprensa foi fundamental para dar corpo e substancia à ideia de música jovem no Brasil. Veículos como A Revista do Rádio – em especial a sessão O mundo é dos Brotos, de Carlos Imperial –e também de publicações especializadas, como A Revista do Rock, ajudaram a definir os códigos sonoros, visuais e morais que nortearam um novo nicho profissional de música popular que congregou cantores estreantes, empresários e audiência. Através de diversas estratégias, esse tipo de mídia, portanto, conformou não só simbólica, como também materialmente a entrada de um novo nicho de mercado no mapa musical brasileiro.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Marcelo Garson, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Mestre em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense. Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo. Pós-doutorando em Comunicação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

AGUILLAR, Antônio. Histórias da Jovem Guarda. São Paulo: Globo, 2005.

ARAUJO, Paulo César de. Roberto Carlos em detalhes. Rio de Janeiro: Ed. Planeta, 2006.

BOURDIEU, Pierre. The forms of capital. In: RICHARDSON, J. Handbook of theory and research for the sociology of education. Nova York: Greenwood, 1985.

CALABRE, Lia. No Tempo do Rádio. Radiodifusão e Cotidiano no Brasil. 1923-1960. 2002. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal Fluminense, Niteroi, 2002.

CARLOS, Erasmo. Minha Fama de mau. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

DELMONT, Matthew F. The Nicest Kids in Town. American bandstand, rock´n ´roll, and the struggle for civil rights in 1950s Philadelphia. California: University of California Press, 2012.

ELIAS, Norbert; SCOTSON, John. Os Estabelecidos e os Outsiders. Sociologia das relações de poder a partir de uma pequena comunidade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2000.

FRITH, Simon. Sound Effects: Youth, Leisure and the Politics of Rock 'n' Roll. London: Pantheon Books, 1981.

FRITH, Simon. Music and Identity. In: HALL, Stuart; DU GAY, Paul. Questions of Cultural Identity. London: Sage Publications, 1996, p.108-127.

FRITH, Simon. Performing rites: on the value of popular music. Cambridge, Massachussets: Harvard University Press, 1998.

MONTEIRO, Denílson. Dez! Nota Dez! Eu sou Carlos Imperial. São Paulo: Matrix, 2008.

MOTA, Nelson. Noites Tropicais. São Paulo: Objetiva, 2000.

ORTIZ, Renato. A moderna tradição brasileira. São Paulo: Ática, 1988.

PARANHOS, Adalberto. A invenção do Brasil como terra do samba: os sambistas e sua afirmação social. História, São Paulo, v. 22, n. 1, p.81-113, 2003.

TINHORÃO, José Ramos. Música Popular: Do Gramofone ao Rádio e TV. São Paulo: Ed. Ática, 1978.

WARD, Brian. Just My Soul Responding:Rhythm and Blues, Black Consciousness, and Race Relations. Berkeley: University of California, 1998.

Downloads

Publicado

28-07-2017

Como Citar

GARSON, M. Imprensa de nicho e música jovem no Brasil:O Mundo é dos Brotos e Revista do Rock (1960-1965). Antíteses, [S. l.], v. 10, n. 19, p. 185–210, 2017. DOI: 10.5433/1984-3356.2017v10n19p185. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/27953. Acesso em: 19 maio. 2024.