Levantes religiosos e o combate ao diabo: concepções e práticas sociais no Norte da África entre os séculos IV e V

Autores

  • Juliana Marques Morais Universidade Estadual de Londrina - UEL

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n14p539

Palavras-chave:

Norte da África, Perseguição, Conflitos religiosos, Práticas sociais, Antiguidade tardia

Resumo

O objetivo desse trabalho é compreender como os cristãos do Norte da África se utilizaram da metáfora de “combate ao diabo” no contexto das disputas pelo poder nas cidades norte-africanas entre o final do século IV e início do século V. Procuramos compreender como os cristãos, que vivenciaram as perseguições empreendidas pelo governo romano, conceberam o martírio como um combate contra as forças demoníacas. Mas, também, como essas concepções foram reelaboradas em um processo de construção de uma memória cristã da violência, após a paz de Constantino. A partir da análise das Atas dos Mártires e dos escritos de Agostinho de Hipona buscamos identificar como o discurso em torno da memória cristã é construído, e em quais momentos específicos as memórias da violência são ativadas. Por fim, buscamos a partir de estudos específicos das ações violentas cometidas pelos grupos religiosos rivais, entender como grupos distintos se utilizaram da metáfora de combate ao diabo para justificar as práticas coletivas no contexto dos conflitos religiosos que se estenderam pelas cidades norte-africanas entre os séculos IV e V.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Juliana Marques Morais, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Graduada em História pela Universidade Estadual de Londrina. Mestra em História Social pela Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

19-12-2014

Como Citar

MORAIS, J. M. Levantes religiosos e o combate ao diabo: concepções e práticas sociais no Norte da África entre os séculos IV e V. Antíteses, [S. l.], v. 7, n. 14, p. 539–540, 2014. DOI: 10.5433/1984-3356.2014v7n14p539. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/20552. Acesso em: 18 maio. 2024.