A "Revolução" é uma árvore de vida secular: O Jornal do Brasil e a invenção da democracia e da legalidade do golpe civil-militar e do governo militar (1964-1968)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n14p528

Palavras-chave:

Jornal do Brasil, Golpe civil-militar, Governo militar, Legalidade, Democracia

Resumo

A pesquisa vigente pretende analisar os editoriais produzidos pelo Jornal do Brasil, representante da grande imprensa, durante o golpe civil-militar até 1968, com o objetivo de compreender as justificativas em torno do golpe civil-militar e do governo militar diante das mudanças que ocorrem no discurso desse periódico diante dos eventos do cotidiano político. Ao considerar que o Jornal do Brasil defendeu a intervenção no governo constitucional de Goulart conjectura-se que ele continua a apoiar o governo militar. O periódico destaca que a democracia deveria ser preservada por meio das instituições democráticas e da legalidade junto com o poder militar. Mesmo destacando que a democracia não existia o JB afirmava que o governo militar possuía a intenção de restabelecê-la. Ele afirma que a continuidade da legalidade e do funcionamento das instituições democráticas garantiria o retorno democrático. A opinião editorial se desloca entre o adesismo e a crítica, contudo se apresenta sempre disposta a orientar as ações políticas do governo. Portanto, o Jornal do Brasil colaborou com a tentativa do grupo militar de legitimar-se para a sociedade por meio da sustentação do discurso democrático e legalista. Mas em muitos momentos o JB apontou farsas políticas do governo militar como a Constituição de 1967, as eleições indiretas, o imobilismo governamental, assim como, acentuou que as promessas reformistas de 1964 não foram cumpridas. Estas reformas que visavam beneficiar o grupo empresarial que o JB integrava e representava. Ou seja, ele defende o discurso democrático, mas elabora a concepção de que um regime arbitrário pudesse aperfeiçoar a democracia e o desenvolvimento capitalista.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Dayane Cristina Guarnieri, Universidade Estadual de Londrina - UEL

Especialista em História Social pela Universidade Estadual de Londrina. Mestranda em História Social na Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

19-12-2014

Como Citar

GUARNIERI, D. C. A "Revolução" é uma árvore de vida secular: O Jornal do Brasil e a invenção da democracia e da legalidade do golpe civil-militar e do governo militar (1964-1968). Antíteses, [S. l.], v. 7, n. 14, p. 528–529, 2014. DOI: 10.5433/1984-3356.2014v7n14p528. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/20550. Acesso em: 18 maio. 2024.