Autocuidado de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2

Autores

  • Katyucia Oliveira Crispim de Souza Universidade Federal de Sergipe
  • Simonize Cunha Barreto de Mendonça Hospital Universitário de Sergipe
  • Liudimilla Miyar Otero Universidade Federal de Sergipe
  • Márcia Ferreira Cândido de Souza Hospital Universitário de Sergipe
  • Samuel de Oliveira Ribeiro Universidade Federal de Sergipe

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2019v40n1p75

Palavras-chave:

Autocuidado, Diabetes Mellitus tipo 2, Conhecimento

Resumo

Objetivo: Classificar o autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 atendidos em um centro ambulatorial de Aracaju/SE. Método: Estudo transversal e descritivo com abordagem quantitativa. Foi aplicado um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2 (INAAP-DM2), que contempla seis domínios, o quais avaliam diversos aspectos da doença e seu autocuidado, sendo calculado um escore geral por domínio, com as seguintes classificações: Totalmente Compensatório (escore 1 ou 2) – paciente é incapaz de engajar-se nas ações de autocuidado terapêutico; Parcialmente Compensatório (escore 3) - paciente é capaz de aprender, porém necessita do profissional e/ou familiar para desempenhar as ações de autocuidado e Apoio-Educação (escore 4 ou 5) - paciente é capaz de aprender e desempenhar sozinho as ações de autocuidado terapêutico. O teste t-Student foi aplicado para comparação entre médias de amostras independentes das variáveis sociodemográficas, com nível de significância de 5%. Resultados: Dos 73 entrevistados, 5 (6,8%) foram classificados como totalmente compensatórios, 66 (90,4%) como parcialmente compensatórios, e 2 (2,8%) como apoio-educação. Não houve diferença estatística significativa na correlação dos parâmetros sociodemográficos analisados. Conclusão: Os resultados reforçam a necessidade de melhoria nas ações de educação em saúde por parte dos profissionais de saúde, além de, melhorar a compreensão dos sentimentos e comportamentos da pessoa diabética, afim de promover a aceitação de sua condição crônica de saúde e, consequentemente, a adoção de hábitos saudáveis

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Katyucia Oliveira Crispim de Souza, Universidade Federal de Sergipe

Enfermeira. Pós-graduada em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá

Simonize Cunha Barreto de Mendonça, Hospital Universitário de Sergipe

Enfermeira. Doutoranda do Programa de pós-graduação em Ciências da Saúde da UFS

Liudimilla Miyar Otero, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Enfermagem Fundamental pela Universidade de São Paulo. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe

Márcia Ferreira Cândido de Souza, Hospital Universitário de Sergipe

Doutora outorado em Ciências da Saude pela Universidade Federal de Sergipe. Professora e Nutricionista do Hospital Universitário de Sergipe

Samuel de Oliveira Ribeiro, Universidade Federal de Sergipe

Especialista em Estatísticas econômicas e Sociais pelo Centro Interamericano de Eseñanza de Estadística. Professor Decano da Universidade Federal de Sergipe.

Referências

Shaw JE, Sicree RA, Zimmet PZ. Diabetes Atlas. Global estimates of the prevalence of diabetes for 2010 and 2030. Diabetes Research and Clinical Practice. 2010 Jan; 87(1): 4-14.

Whiting DR, Guariguata L, Weil C, Shaw J. Diabetes Atlas. IDF Diabetes Atlas: Global estimates of the prevalence of diabetes for 2011 and 2030. Diabetes Research and Clinical Practice. 2011 Dec; 94(3): 311-21.

International Diabetes Federation. IDF The IDF Diabetes Atlas. 7 ed. [Internet] 2015. [acesso em 21 set 8] Disponível em: http://www.idf.org/diabetesatlas/
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Vigitel Brasil 2014: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

American Association of Diabetes Educators (AADE). Guidelines for the Practice of Diabetes Self-Management Education and Training. Chicago: 2011.

Roxas RC, Nicodemus Jr N. Adherence to self-care behavior in patients diagnosed with type 2 diabetes mellitus in the outpatient department of the philippine general hospital. JAFES. 2013;28(2): 134-42.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.
Oliveira, JEP, Vencio, S, organizadores. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (2015-2016). São Paulo: A.C. Farmacêutica, 2016.

Stacciarini TSG, Haas VJ, Pace AE. Fatores associados à auto-aplicação da insulina nos usuários com diabetes mellitus acompanhados pela Estratégia Saúde da Família. Cad. Saúde Pública. 2008 Jun; 24(6): 1314-22.

Ortiz LGC, Cabriales ECG, González, JGG, Meza MVG. Condutas de autocuidado e indicadores de saúde em adultos com diabetes tipo 2. Rev. Latino-Am. Enf. 2010 jul/ago; 18(4): 1-7.

Curcio R, Lima MHM, Alexandre NMC. Instrumentos relacionados ao diabetes mellitus adaptados e validados para a cultura brasileira. Rev. Eletr. Enf. 2011 abr/jun; 13(2): 331-7.

Mendonça SCB, Zanetti ML, Sawada NO, Barreto IDCB, Andrade JS, Otero LM. Construção de um instrumento de avaliação do autocuidado dos pacientes com diabetes mellitus tipo 2. Rev Latino-Am. Enfermagem. 2017; 25e2890.

Iser BPM, Malta DC, Bernal RTI, Szwarcwald CL, Duncan BB, Schmidt MI. Factors associated with self-reported diabetes according to the 2013 National Health Survey. Rev Saude Publica. 2017 jun 1; 51(suppl 1):12s. doi: 10.1590/S1518-8787.2017051000011.

Botton A, Cúnico SD, Strey MN. Diferenças de gênero no acesso aos serviços de saúde. Problematizações necessárias. Mudanças - Psicologia da Saúde. 2017 jan/jun; 25(1): 67-72.

Collins GS, Mallett S, Omar O, Yu LM. Developing risk prediction models for type 2 diabetes: a systematic review of methodology and reporting. BMC Med. 2011 Sep 8; 9(103): 1-14. doi: 10.1186/1741-7015-9-103.

Torres HC, Pace AE, Stradioto MA. Análise sociodemográfica e clínica de indivíduos com diabetes tipo 2 e sua relação com o autocuidado. Cogitare Enferm. 2010 jan/mar; 15(1): 48-54.

Baquedano IR, dos Santos MA, Teixeira CR, Martins TA, Zanetti ML. [Factors related to self-care in diabetes mellitus patients attended at emergency service in Mexico]. Rev Esc Enferm USP. 2010 dec; 44(4): 1017-23. Portuguese. PubMed PMID: 21337785.

Rodrigues FFL, Santos MA, Teixeira, CRS, Gonela JT, Zanetti, ML. Relação entre conhecimento, atitude, escolaridade e tempo de doença em indivíduos com diabetes mellitus. Acta Paul. Enferm. 2012; 25(2): 284-90.

Cardoso MI, Moraes MAM, Pereira JG. Práticas de autocuidado desenvolvidas por diabéticos tipo 2 em uma unidade de saúde da família. Rev. Eletr. Gestão & Saúde. 2011; 2(1): 277-90.

Péres DS, Santos MA, Zanetti, ML, Ferronato, AA. Dificuldades dos pacientes diabéticos para o controle da doença: Sentimentos e Comportamentos. Rev Lat Am Enferm. 2007; 15(6): 1105-12.
Xavier ATF, Bittar DB, Ataíde MBC. Crenças no autocuidado em diabetes - implicações para a prática. Texto Contexto Enferm. 2009 Jan/mar;18(1):124-30.

Goddard M, Smith P. Equity of access to health care services: theory and evidence from the UK. Soc Sci Med. 2001 Nov; 53(9): 1149-62. Review. PubMed PMID: 11556606.

Assis MM, de Jesus WL. [Access to health services: approaches, concepts, policies and analysis model]. Cien Saude Colet. 2012 Nov; 17(11): 2865-75. Portuguese. PubMed PMID: 23175292.

Severo SB, Seminotti N. Integralidade e transdisciplinaridade em equipes multiprofissionais na saúde coletiva. Cien Saude Colet. 2010; 15(1): 1685-98.

Fertonani HP, Pires DE, Biff D, Scherer MD. The health care model: concepts and challenges for primary health care in Brazil. Cien Saude Colet. 2015 Jun; 20(6): 1869-78. doi: 10.1590/1413-81232015206.13272014.

Silva PA, Silva GML, Rodrigues JD, Moura PV, Caminha IO, Ferreira DKS. Atuação em equipes multiprofissionais de saúde: uma revisão sistemática. ConScientia e Saúde. 2013; 12(1): 153-60.

Francioni FF, Silva DGV. O processo de viver saudável de pessoas com diabetes mellitus através de um grupo de convivência. Texto Contexto Enferm. 2007 jan/mar; 16(1): 105-11.

Gil GP, Haddad MCL, Guariente MHDM. Conhecimento sobre diabetes mellitus de pacientes atendidos em programa ambulatorial interdisciplinar de um hospital universitário público. Semin.: Ciênc Biol Saúde. 2008 jul./dez; 29(2): 141-54.

Kisokanth G, Prathapan S, Indrakumar J, Joseph J. Factors influencing self-management of Diabetes Mellitus; a review article. J of Diabetol. 2013; 3(1): 1-7.

Anjos VA, Montanha D. Diabetes mellitus: conhecimento da doença e ações para prevenção do pé diabético. Rev UNILUS Ensino e Pesquisa. 2016 jan/mar; 13(30): 32-40.

Iquize RCC, Theodoro FCET, Carvalho KA, Oliveira MA, Barros JF, Silva A. Práticas educativas no paciente diabético e perspectiva do profissional de saúde: uma revisão sistemática. J Bras Nefrol. 2017; 39(2): 196-204. doi: 10.5935/0101-2800.20170034.

Grillo MFF, Neumann CR, Scain SF, Rozeno RF, Gross JL, Leitão CB. Efeito de diferentes modalidades de educação para o autocuidado a pacientes com diabetes. Rev. Assoc. Med. Bras. 2013 jul/ago; 59(4): 400-5.

Otero LM, Zanetti ML, Ogrizio MD. Conhecimento do paciente diabético acerca de sua doença antes e depois da implantação de um programa de educação em diabetes. Rev Lat Am Enferm. 2008;16(2): 231-37.

Gomides DS, Villas-Boas LCG, Coelho ACM, Pace, AE. Autocuidado das pessoas com diabetes mellitus que possuem complicações em membros inferiores. Acta Paul Enferm. 2013;26(3): 289-93.

Oliveira Neto M, Pereira MS, Pinto, MAH, Agostinho LMA. Avaliação do autocuidado para a prevenção do pé diabético e exame clínico dos pés em um centro de referência em diabetes mellitus. J. Health Biol Sci. 2017;5(3): 265-71.

Carvalho RP, Carvalho CP, Martins DA. Aplicação dos cuidados com os pés entre portadores de diabetes mellitus. Cogitare Enferm 2010 jan/mar; 15(1): 106-9.

Ridder D, Geenen R, Kuijer R, Van Middendorp HV. Psychological adjustment to chronic disease. Lancet. 2008;372(9634): 246-55.
Faria HT, Rodrigues FF, Zanetti ML, Araújo MF, Damasceno MM. Fatores associados à adesão ao tratamento de pacientes com diabetes mellitus. Acta Paul Enferm. 2013; 26(3): 231-7.

Luna NSA, Baeza MR, Castell EC, Santos FC, David HL, Castillo MMA. Intervención educativa: implementación de la agencia de autocuidado y adherencia terapéutica desde la perspectiva del paciente diabético. Revista Enfermagem UERJ. 2013;21(3): 289-94.

Bertolin DC, Pace AM, Cesarino CB, Ribeiro RC, Ribeiro RM. Adaptação psicológica e aceitação do diabetes mellitus tipo 2. Acta Paul Enferm. 2015;28(5): 440-6.

Downloads

Publicado

2019-09-05

Como Citar

1.
Souza KOC de, Mendonça SCB de, Otero LM, Souza MFC de, Ribeiro S de O. Autocuidado de pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 5º de setembro de 2019 [citado 12º de junho de 2024];40(1):75-88. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/34370

Edição

Seção

Artigos