Frequência de enteroparasitas e condições socioeconômicas de escolares da cidade de São Marcos-RS

Autores

  • Scheila Cristina Rech Faculdade da Serra Gaúcha.
  • Natália Inês Cavagnolli Faculdade da Serra Gaúcha
  • Patrícia Kelly Wilmsen Dalla Santa Spada Faculdade da Serra Gaúcha
  • Adriana Dalpicolli Rodrigues Universidade de Caxias do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2016v37n1p25

Palavras-chave:

Estudantes, Infecções por protozoários, Perfis sanitários.

Resumo

Resumo: O presente estudo teve o objetivo de avaliar a frequência de parasitas intestinais em escolares do ensino fundamental do município de São Marcos-RS, no período de março a outubro de 2015. Aplicou-se um questionário sobre conhecimentos e meios de transmissão de parasitoses e sobre condições de saneamento básico da cidade; e foram analisadas amostras de fezes, processadas por sedimentação espontânea, de estudantes da pré-escola a oitava série, de nove escolas da cidade. Dos 190 escolares que participaram do estudo, a predominância foi do sexo feminino (51,58%) e a idade média foi de 7,99±3,23 anos. Das amostras analisadas 5,79% eram positivas para parasitas, sendo 3,16% de cistos de Entamoeba coli, 1,58% Endolimax nana e 1,05% Giardia lamblia. Sobre os conhecimentos relacionado a parasitas, 73,16% relataram saber da existência dos parasitas e o que eles causam no indivíduo e 68,42% conhecem os meios de transmissão, porém 41,58% consideram insuficientes as informações disponíveis para a população. Referente às condições sanitárias as quais estão expostos, 94,21% consomem água potável e 64,74% afirmaram ter coleta e tratamento de esgoto. O presente estudo teve baixa frequência de parasitoses, isso pode ser explicado pelo conhecimento dos responsáveis, pelas condições sanitárias favoráveis, e pelo alto percentual (78,95%) de escolares que já fizeram uso de antiparasitários.

Biografia do Autor

Scheila Cristina Rech, Faculdade da Serra Gaúcha.

Acadêmica do curso de Biomedicina da Faculdade da Serra Gaúcha.

Natália Inês Cavagnolli, Faculdade da Serra Gaúcha

Biomédica pela Faculdade da Serra Gaúcha, mestranda em Biotecnologia pela Universidade de Caxias do Sul. Analista no Laboratório Lavin.

Patrícia Kelly Wilmsen Dalla Santa Spada, Faculdade da Serra Gaúcha

Bióloga, mestre e doutora em Biotecnologia pela Universidade de Caxias do Sul. Docente da Faculdade da Serra Gaúcha.

Adriana Dalpicolli Rodrigues, Universidade de Caxias do Sul

Biomédica pela Universidade Feevale, mestre em Biotecnologia pela Universidade de Caxias do Sul. Pesquisadora no Laboratório Alfa LTDA.

Downloads

Publicado

2016-11-24

Como Citar

1.
Rech SC, Cavagnolli NI, Spada PKWDS, Rodrigues AD. Frequência de enteroparasitas e condições socioeconômicas de escolares da cidade de São Marcos-RS. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 24º de novembro de 2016 [citado 3º de junho de 2023];37(1):25-32. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/24061

Edição

Seção

Artigos