Prevalência e fatores associados ao aleitamento materno no Brasil entre os anos 1998 e 2013: revisão sistemática

Autores

  • Roberta Tognollo Borotta Uema Universidade Estadual de Maringá
  • Sarah Nancy Deggau Hegeto de Souza Universidade Estadual de Londrina.
  • Débora Falleiros de Mello Universidade de São Paulo.
  • Verusca Kelly Capellini UNIP.

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2015v36n1Suplp349

Palavras-chave:

Aleitamento materno, Estudos transversais, Revisão

Resumo

O estudo teve como objetivo comparar as prevalências e os fatores determinantes do aleitamento materno em diferentes cidades e estados brasileiros, a partir de pesquisas que utilizaram metodologia semelhante à proposta pelo Projeto Amamentação e Municípios. Para tal, realizou-se revisão sistemática e a busca dos artigos nas bases de dados Lilacs, Scielo, Cochrane, Bdenf, Medline e PubMed, por meio dos descritores aleitamento materno/breastfeeding, prevalência/prevalence, indicadores/indicators, estudos transversais/cross-sectional studies, inquéritos nutricionais/nutrition surveys, inquéritos alimentares/diet surveys e Brasil/Brazil, no período de 1998 a 2013. Selecionou-se 27 artigos, dos quais 08 apresentaram a prevalência do aleitamento materno entre menores de um ano, 11 em até quatro meses, 10 de seis meses, 07 em menores de quatro e seis meses e 04 artigos de tendências temporais do aleitamento materno. Os artigos analisaram a associação entre aleitamento materno e variáveis maternas, como idade, escolaridade, ocupação, paridade, tipo de parto, número de consultas no pré-natal, renda, e licença maternidade. Com relação às variáveis do lactente, o uso de chupeta, peso ao nascer, nascimento em instituições que participavam da Iniciativa Hospital Amigo da Criança, uso de mamadeira, introdução de outro leite e chá, mamar nas primeiras 24 horas de vida e sexo, foram as mais estudadas. Os resultados indicam a necessidade de avaliação e compreensão sobre a eficácia das ações existentes, bem como a criação de estratégias de incentivo e apoio ao aleitamento materno, principalmente às mães primíparas, adolescentes, trabalhadoras e com dificuldades de manejo no início da amamentação.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Roberta Tognollo Borotta Uema, Universidade Estadual de Maringá

Enfermeira. Mestranda no programa de pós-graduação em enfermagem da Universidade Estadual de Maringá.

Sarah Nancy Deggau Hegeto de Souza, Universidade Estadual de Londrina.

Enfermeira. Doutora em Ciências. Docente Adjunto do Departamento de Enfermagem. Universidade Estadual de Londrina.

 

Débora Falleiros de Mello, Universidade de São Paulo.

Enfermeira. Professora Associada do Departamento de Enfermagem Materno Infantil e Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto. 

Verusca Kelly Capellini, UNIP.

Enfermeira da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo. Especialista em Enfermagem Neonatal. Mestre em Ciências. Docente da UNIP Campus Assis-SP.

Downloads

Publicado

2015-03-09

Como Citar

1.
Uema RTB, Souza SNDH de, Mello DF de, Capellini VK. Prevalência e fatores associados ao aleitamento materno no Brasil entre os anos 1998 e 2013: revisão sistemática. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 9º de março de 2015 [citado 25º de fevereiro de 2024];36(1Supl):349-62. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/19269