Soroepidemiologia da leptospirose e toxoplasmose em equinos da região noroeste do Paraná

Autores

  • Filipe Corrêa Pacheco Universidade Paranaense
  • Maria Augusta Dorigan Bondezan Universidade Paranaense
  • Ulisses de Pádua Pereira Universidade Estadual de Londrina
  • Roberta Torres Chiderolli Universidade Estadual de Londrina
  • Lucienne Garcia Pretto-Giordano Universidade Estadual de Londrina http://orcid.org/0000-0001-7881-298X
  • Italmar Teodorico Navarro Universidade Estadual de Londrina
  • Juliana Silva de Oliveira Universidade Estadual de Londrina
  • Andressa Maria Rorato Nascimento de Matos Universidade Estadual de Londrina
  • Luciana Kazue Otutumi Universidade Paranaense
  • Daniela Dib Gonçalves Universidade Paranaense

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2019v40n2p701

Palavras-chave:

Carroceiros, Fatores de risco, Leptospira spp. Toxoplasma gondii, Zoonose.

Resumo

A leptospirose e a toxoplasmose são enfermidades de ampla distribuição geográfica e podem acometer o homem, animais domésticos e selvagens que causam elevados problemas para a saúde pública. O objetivo deste trabalho foi realizar a soroepidemiologia da leptospirose e toxoplasmose em equinos utilizados como tração animal de pequenas propriedades rurais do município de Umuarama, região noroeste do estado do Paraná, Brasil. Foram coletadas amostras de sangue de 312 equinos de 87 pequenas propriedades rurais. Para detectar a leptospirose e toxoplasmose os soros foram submetidos às técnicas de soroaglutinação microscópica (SAM) e imunofluorescencia indireta (IFI) respectivamente associada ao preenchimento de um questionário epidemiológico. Na SAM, 180 (57,69%) amostras foram consideradas reagentes apresentando títulos entre 100 e 12800, para um ou mais sorovares. Na IFI, 33 (10,57%) amostras foram consideradas reagentes com títulos de 64 a 1024. Em relação às variáveis analisadas, o contato com animais selvagens (p= 0,012) e troca de animais entre propriedades (p= 0,004) foram associados à infecção toxoplásmica. O estudo revela que os equinos da região noroeste do Paraná estão expostos a Leptospira spp. e ao Toxoplasma gondii, tendo uma implicação insignificante relacionado ao aspecto clínico destes animais, porém podendo ser considerados um problema para a saúde única, pois, os animais possivelmente estão eliminando leptospiras pela urina de forma intermitente no meio ambiente podendo infectar outros animais e também o homem. Quanto à presença de anticorpos anti T. gondii estes equinos fizeram papel de sentinelas da infecção. Medidas de saneamento aplicadas ao meio ambiente, estudos sorológicos dos rebanhos, controle de roedores e felídeos das propriedades e a divulgação de informações sobre estas enfermidades são relevantes para o controle no local de estudo.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Filipe Corrêa Pacheco, Universidade Paranaense

Discente, Curso de Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Paranaense, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil.

Maria Augusta Dorigan Bondezan, Universidade Paranaense

Discente, Curso de Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Paranaense, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil.

Ulisses de Pádua Pereira, Universidade Estadual de Londrina

Pesquisador, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Roberta Torres Chiderolli, Universidade Estadual de Londrina

Discente, Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Lucienne Garcia Pretto-Giordano, Universidade Estadual de Londrina

Pesquisador, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Italmar Teodorico Navarro, Universidade Estadual de Londrina

Pesquisador, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Estadual de Londrina, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Juliana Silva de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina

Residente, Laboratório de Zoonoses e Saúde Pública, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Andressa Maria Rorato Nascimento de Matos, Universidade Estadual de Londrina

Residente, Laboratório de Zoonoses e Saúde Pública, UEL, Londrina, PR, Brasil.

Luciana Kazue Otutumi, Universidade Paranaense

Pesquisadora, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal com Ênfase em Produtos Bioativos, Universidade Paranaense, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil.

Daniela Dib Gonçalves, Universidade Paranaense

Pesquisadora, Programa de Pós-Graduação em Ciência Animal com Ênfase em Produtos Bioativos, Universidade Paranaense, UNIPAR, Umuarama, PR, Brasil.

Referências

ADLER, B.; MOCTEZUMA, A. P. Leptospira and leptospirosis. Veterinary Microbiology, Amsterdam, v. 140, n. 3, p. 287-296, 2010.

ALMEIDA, L. P.; SILVA MARTINS, L. F. da; BROD, C. S.; GERMANO, P. M. L. Levantamento soroepidemiológico de leptospirose em trabalhadores do serviço de saneamento ambiental em localidade urbana da região sul do Brasil. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 28, n. 1, p. 76- 81, 1994.

ALVARADO-ESQUIVEL, C.; RODRÍGUEZ-PEÑA, S.; VILLENA, I.; DUBEY, J. P. Seroprevalence of Toxoplasma gondii infection in domestic horses in Durango State, Mexico. Journal of Parasitology, Indianapolis, v. 98, n. 5, p. 944-945, 2012.

BARBETTA, P. A. Estatística aplicada às ciências sociais. 3. ed. Florianópolis: UFSC, l999. 283 p.

BATISTA, J. S.; PAIVA, C. C. P. L.; SILVA, J. B.; COSTA, A. M.; CAVALCANTE, P. H.; PRAÇA, L. M.; OLINDA, R. G.; PAIVA, K. A. R. Avaliação de cinco casos de abortamento associado à leptospirose em éguas no Rio Grande do Norte. Revista Brasileira de Ciência Veterinária, Niterói, v. 22, n. 3-4, p. 165-170, 2015.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Produção da Pecuária Municipal. Rio de Janeiro: Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, 2013. v. 41, p. 1-108. Disponível em: https://goo.gl/ok9WYM. Acesso em: 11 nov. 2016.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Revisão do Estudo do Complexo do Agronegócio do Cavalo. Brasília: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, 2016. Disponível em: https://goo.gl/K71uUo. Acesso em: 11 nov. 2016.

CAMARGO, M. E. Introdução às técnicas de imunofluorescência. Revista Brasileira de Patologia Clínica, São Paulo, v. 10, n. 4, p. 143-171, 1974.

CAMOSSI, L. G.; SILVA, A. V.; LANGONI, H. Inquérito sorológico para toxoplasmose em equinos na região de Botucatu-SP. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, Belo Horizonte, v. 62, n. 2, p. 484-488, 2010.

CAÑÓN-FRANCO, W. A.; ARAÚJO, F. A. P.; GENNARI, S. M. Toxoplasma gondii in small neotropical wild felids. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, São Paulo, v. 50, n. 1, p. 50-67, 2013.

DIAS, H. L. T.; SANTOS, W. R. R.; SANTOS, C. V.; LIMA, P. D. L. de; NEGAO, A. M. G.; VASCONCELLOS, S. A. Inquérito sorológico para leptospirose em condutores de carroças e equídeos de tração em Belém, Pará. Revista de Ciências Agrárias, Belém, v. 58, n. 4, p. 396-401, 2015.

ELLIS, W. A. Animal leptospirosis. Current Topics in Microbiology and Immunology, Londres, v. 387, n. 1, p. 99-137, 2015.

FAINE, S.; ADLER, B.; BOLIN, C.; PEROLAT, P. Leptospira and Leptospirosis. 2th ed. Melbourne: MedSci, 1999. 272 p.

FIALHO, C. G.; TEIXEIRA, M. C.; ARAUJO, F. A. P. Toxoplasmose animal no Brasil. Acta Scientiae Veterinariae, Porto Alegre, v. 37, n. 1, p. 1-23, 2009.

FINGER, M. A.; BARROS-FILHO, I. R.; LEUTENEGGER, C.; ULLMANN, L. S.; LANGONI, H.; KIKUTI, M.; DORNBUSH, P. T.; DECONTO, I.; BIONDO, A. W. Serological and molecular survey of Leptospira spp. among cart horses from an endemic area of human leptospirosis in Curitiba, Southern Brazil. Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, São Paulo, v. 56, n. 6, p. 473-476, 2014.

FINGER, M. A.; VILLALOBO, E. M. C.; LARA, M. C. C. S. H.; CUNHA, E. M. S.; BARROS-FILHO, I. R.; DECONTO, I.; DORNBUSH, P. T.; ULLMANN, L. S.; BIONDO, A. W. Detection of anti-Toxoplasma gondii antibodies in carthorses in the metropolitan region of Curitiba, Paraná, Brazil. Revista Brasileira de Parasitologia Veterinária, Jaboticabal, v. 22, n. 1, p. 179-181, 2013.

GENNARI, S. M.; ESMERINI, P. O.; LOPES, M. G.; SOARES, H. S.; VITALIANO, S. N.; CABRAL, A. D.; PENA, H. F. J.; HORTA, M. C.; CAVALCANTE, P. H.; FORTES, K. P.; VILLALOBOS, E. M. C. Occurrence of antibodies against Toxoplasma gondii and its isolation and genotyping in donkeys, mules, and horses in Brazil. Veterinary Parasitology, Indianapolis, v. 209, n. 1, p. 129-132, 2015.

GOMES, A. H. B.; OLIVEIRA, F. C. S.; CAVALCANTI, L. A.; CONCEICAO, I. R.; SANTOS, G. R.; RAMALHO, E. J.; VIEGAS, S. A. R. A. Ocorrência de aglutininas anti-Leptospiraem soro de equinos no estado da Bahia. Revista Brasileira Saúde Produção Animal, Salvador, v. 8, n. 3, p. 144-151, 2007.

LASKOSKI, L. M.; MURARO, L. S.; DITTRICH, R. L.; ABREU, R. A.; KOCH, M. O.; SILVA, F. T.; HAGI, R. H. Occurrence of anti-Neospora caninum and anti-Toxoplasma gondii antibodies in horses in the Pantanal of Mato Grosso, Brazil. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 36, n. 2, p. 895-900, 2015.

LASTA, C. S.; OLIVEIRA, S. T.; MERINI, L. P.; DASSO, M. G.; PEDRALLI, V.; GONZALEZ, F. H. D. Pesquisa de aglutininas anti-Leptospira em soros de equinos de tração em Porto Alegre, Brasil. Revista Brasileira de Ciência Veterinária, Niterói, v. 20, n. 1, p. 23-25, 2013.

LINHARES, G. F. C.; GIRIO, R. J. S.; LINHARES, D. C. L.; MONDEIRO, L. C.; OLIVEIRA, A. P. Á. Sorovares de Leptospira interrogans e respectivas prevalências em cavalos da microrregião de Goiânia, GO. Ciência Animal Brasileira, Goiânia, v. 6, n. 4, p. 255-259, 2005.

MOURA, A. B.; MATIELLO, J. P.; SILVA, M. O.; SOUSA, A. P.; SARTOR, A. A. Toxoplasma gondii in horses from the coastal and mountain mesoregions of the state of Santa Catarina, Brazil. Semina: Ciências Agrárias, Londrina, v. 37, n. 1, p. 203-212, 2016.

MYERS, D. Leptospirosis: manual de métodos para el diagnostico de laboratório. Centro Panamericano de Zoonoses. Buenos Aires: Organização Mundial da Saúde, 1985. 46 p. (Nota Técnica, 30).

PAPINI, R. A.; PAPINI, R. A.; BUZZONE, G.; NARDONI, S.; ROCCHIGIANI, G.; MANCIANTI, F. Seroprevalence and genotyping of Toxoplasma gondii in horses slaughtered for human consumption in Italy. Journal of Equine Veterinary Science, Nova Iorque, v. 35, n. 8, p. 657-661, 2015.

PINNA, M. H.; VARGES, R.; LILENBAUM, W. Aplicação de um programa integrado de controle da leptospirose em equinos no Rio de Janeiro, Brasil. Revista Brasileira de Ciência Veterinária, Niterói, v. 15, n. 2, p. 63-66, 2008.

RIZZO, H.; GAETA, N. C.; HORA, J. H. C.; CARVALHO, J. S.; PINHEIRO-JUNIOR, J. W.; GENNARI, S. M.; PENA, H. F. J.; VILLASLOBO, E. M. C.; GREGORY, L. Fatores de risco para a infecção de Toxoplasma gondii em ovinos da região nordeste do Brasil. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, São Paulo, v. 54, n. 2, p. 139-146, 2017.

RODRIGUEZ, G.; PINEROS, R.; PRADA, G.; DIAZ, C.; VENEGAS, C.; SALAZAR, C.; TRUJILLO, C.; NOSSA, L. C. Molecular determination of Leptospira spp. in semen and pre-ejaculatory fluid, and serological study of Creole horses in the department of Cundinamarca (Colombia). Revista de Medicina Veterinária, Bogotá, v. 34, p. 93-100, 2017. Supplement 1.

SILVA, F. J.; SANTOS, C. E. P.; SILVA, T. R.; SILVA, G. C. P.; LOFFER, S. G.; BRIHUEGA, B.; ALARCON, M. F. F.; CURCI, V. C. M.; MATHIAS, L. A. Pesquisa de leptospiras e de anticorpos contra leptospiras em animais e humanos de propriedades rurais nos biomas brasileiros Pantanal e Caatinga. Brazilian Journal of Veterinary Research and Animal Science, São Paulo, v. 52, n. 3, p. 234-248, 2015.

VALENÇA, S. R. F. A.; VALENÇA, R. M. B.; PINHEIRO-JUNIOR, J. W.; ALBUQUERQUE, P. P. F.; SOUZA NETO, O. L.; MOTA, R. A. Risk factors of occurrence of Toxoplasma gondii among horses in the state of Alagoas, Brazil. Acta Parasitologica, Oxford, v. 60, n. 4, p. 707-711, 2015.

VASCONCELLOS, S. A.; BARBARINI, O.; UMEHARA, O.; MORAIS, Z. M.; CORTEZ, A.; PINHEIRO, S. R.; FERREIRA NETO, J. S. Leptospirose bovina. Níveis de ocorrência e sorotipos predominantes em rebanhos dos Estados de Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul no período de janeiro a abril de 1996. Arquivos do Instituto Biológico, São Paulo, v. 64, n. 2, p. 7-15, 1997.

VASCONCELOS, C. G. C. Zoonoses ocupacionais: Inquérito soro-epidemiológico em estudantes de medicina veterinária e análise de risco para leptospirose, brucelose e toxoplasmose. 2003. Tese (Doutorado em Doenças Tropicais) - Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista-UNESP, Botucatu.

VENTURI, S. S.; SILVA, A. F.; TEIXEIRA, E. F.; OLIVEIRA, F. C.; CONSALTER, A.; PADILHA, F. G.; FONSECA, A. B.; FERREIRA, A. M. R. Characterization of the zoonotic potential of Toxoplasma gondii in horses from Rio de Janeiro State. Acta Tropica, Basel, v. 171, n. 1, p. 159-162, 2017.

WITKOWSKI, L.; CYWINSKA, A.; TRELA, K. P.; CRISMAN, M.; KITA, J. Multiple etiologies of equine recurrent uveitis - a natural model for human autoimmune uveitis: A brief review. Comparative Immunology, Microbiology and Infectious Diseases, Oxford, v. 44, n. 1, p. 14-20, 2016

Downloads

Publicado

2019-04-15

Como Citar

Pacheco, F. C., Bondezan, M. A. D., Pereira, U. de P., Chiderolli, R. T., Pretto-Giordano, L. G., Navarro, I. T., Oliveira, J. S. de, Matos, A. M. R. N. de, Otutumi, L. K., & Gonçalves, D. D. (2019). Soroepidemiologia da leptospirose e toxoplasmose em equinos da região noroeste do Paraná. Semina: Ciências Agrárias, 40(2), 701–712. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2019v40n2p701

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9