Produtividade de sementes de feijão-vagem produzidas sob sistemas convencional e orgânico

Autores

  • Ruanny Karen Vidal Pantoja Portal Universidade Federal do Pará http://orcid.org/0000-0002-9566-3741
  • Warley Marcos Nascimento Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
  • Valdivina Lúcia Vidal stação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER
  • Marcos Coelho Estação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER
  • Nei Peixoto Universidade Estadual de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n4p1389

Palavras-chave:

Phaseolus vulgaris L, Rendimento, Avaliação de genótipos, Agricultura convencional, Agricultura orgânica.

Resumo

Com o objetivo de estudar o rendimento de sementes de 18 linhagens e duas cultivares de crescimento indeterminado de feijão-vagem, dois experimentos foram conduzidos em 2016, na Estação Experimental de Anápolis, EMATER-Goiás, sendo um em sistema convencional e outro em orgânico. Utilizou-se o delineamento experimental de blocos casualizados, com vinte tratamentos e três repetições, avaliando, número médio de sementes por vagem (NSV), massa de 100 sementes (M100S) e produtividade (PROD). No sistema convencional a M100S teve amplitude de 19,3 a 25,0 gramas. As maiores produtividades foram alcançadas pelas linhagens UEG 0212, UEG 0212, UEG 0712e UEG 3014 superando as demais, inclusive, as testemunhas. No sistema orgânico, houve uma amplitude de 6,66 a 8,33 para NSV; para M100S a amplitude foi de 23 a 32 gramas. As linhagens UEG 0212, UEG 1012, UEG 2014 e UEG 3014, todas com vagens cilíndricas e sementes brancas podem ser indicadas como alternativa de plantio, pois superaram a cultivar Favorito e igualaram com Macarrão Bragança, enquanto que UEG 1112 e UEG 0714, com vagens cilíndricas e sementes creme, podem ser utilizadas como cultivares de dupla aptidão, vagens verdes e grãos secos, principalmente utilizando-se as vagens de final de ciclo que, em qualquer cultivar, apresentam defeitos que não são aceitos, como hortaliça, pelo mercado.

Biografia do Autor

Ruanny Karen Vidal Pantoja Portal, Universidade Federal do Pará

Discente, Curso de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Biotecnologia da Rede Bionorte, Universidade Federal do Pará, UFPA, Campus Belém, Belém, PA, Brasil.

Warley Marcos Nascimento, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Pesquisador, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, EMBRAPA Hortaliças, Brasília, DF, Brasil.

Valdivina Lúcia Vidal, stação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER

Pesquisador, Estação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER, Anápolis, GO.

Marcos Coelho, Estação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER

Pesquisador, Estação Experimental de Anápolis, Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária-EMATER, Anápolis, GO.

Nei Peixoto, Universidade Estadual de Goiás

Prof., Programa de Pós-Graduação em Produção Vegetal, Universidade Estadual de Goiás, UEG, Câmpus Ipameri, Ipameri, GO, Brasil.

Downloads

Publicado

2018-08-02

Como Citar

Portal, R. K. V. P., Nascimento, W. M., Vidal, V. L., Coelho, M., & Peixoto, N. (2018). Produtividade de sementes de feijão-vagem produzidas sob sistemas convencional e orgânico. Semina: Ciências Agrárias, 39(4), 1389–1396. https://doi.org/10.5433/1679-0359.2018v39n4p1389

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)