O samba tinha mais vida: memória de músicos e integrantes das comunidades do samba em Florianópolis/SC

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2018v11n21p413

Palavras-chave:

História do tempo presente, Memória, Música popular, Identidade cultural

Resumo

Este artigo tem como objetivo analisar os discursos em torno da identidade cultural através das manifestações da música popular em Florianópolis, Santa Catarina, a partir de entrevistas com músicos e participantes das comunidades do samba, enfatizando, principalmente, a questão das formas musicais e melódicas que compunham em meados do século XX. Pautadas na valorização dos antigos instrumentos, na forma como eram confeccionados, nos formatos dos conjuntos, grupos e nos gêneros musicais, estas memórias nos conduzem e nos auxiliam para uma reflexão historiográfica sobre experiências musicais enquanto formas de lazer, de afirmação e representação cultural, aqui se entendendo como linguagens e representações de mundo, tal como esta se configura nos pressupostos teóricos da Historia do Tempo Presente. A música, nesse sentido, se torna um dos agentes formadores dos discursos em torno da identidade cultural das populações que compõe as regiões periféricas urbanas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lisandra Barbosa Macedo Pinheiro, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutoranda em História na Universidade do Estado de Santa Catarina.

Referências

ARAUJO, Hermetes Reis. A invenção do litoral: reformas urbanas e reajustamento social em Florianópolis na Primeira República. 1989. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 1989.

BIOGRAFIA de escola de samba Estácio de Sá. Disponível em:
<http://www.letras.com.br/biografia/escola-de-samba-estacio-de-sa>. Acesso em: 12 jun. 2017.

BLUMENBERG, Abelardo Henrique. Quem vem lá?: a história da copa Lord. Florianópolis: Garapuvu, 2005.

FROTA, Wander Nunes. Auxílio luxuoso: samba símbolo nacional, geração Noel Rosa e indústria cultural. São Paulo: Annablume, 2003.

GOMES, Tiago de Melo. Um espelho no palco: identidades sociais e massificação da cultura no teatro de revista dos anos 20. São Paulo: UNICAMP, 2004.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. Tradução de Laís Teles Benoir. São Paulo: Centauro, 2004.

IPHAN. Samba de roda do recôncavo baiano. Brasília: IPHAN, 2006. Disponível em:
<http://portal.iphan.gov.br/uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_ m.pdf>. Acesso em: 15 jan. 2018.

JORNAL A GAZETA, Florianópolis, 18 jan. 1940a. JORNAL A GAZETA, Florianópolis, 19 jan. 1940b.
LOPES, Nei. Sambe-a-bá: o samba que não se aprende na escola. Rio de Janeiro: Casa da Palavra; Folha Seca, 2003.

MOURA, Roberto. Tia Ciata e a pequena África no Rio de Janeiro. Brasília: FUNARTE, 1983.

NAPOLITANO, Marcos. A síncope das ideias: a questão da tradição na música popular brasileira. São Paulo: Ed. Fundação Perseu Abramo, 2007.

ORTIZ, Renato. Mundialização e cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994. RAMOS, Átila. Carnaval da ilha. Florianópolis: Papa Livro, 1997.

RAMOS, Guerreiro. O problema do negro na sociologia brasileira. Cadernos de Nosso Tempo, São Paulo, v. 2, n. 2, p. 189-220, jan./jun. 1954. Disponível em:
<http://www.schwartzman.org.br/simon/negritude.htm#romero>. Acesso em: 7 jun. 2018.

SANDRONI, Carlos. Feitiço decente: as transformações do samba no Rio de Janeiro (1917-1933). Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

SODRÉ, Muniz. Samba, o dono do corpo. 2. ed. Rio de Janeiro: Mauad, 1998.

THOMPSON, Alistair; FRISCH, Michael; HAMILTON, Paula. Os debates sobre a memória e história: alguns aspectos internacionais. In: AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta de Moraes (Org.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 65-91.

TRAMONTE, Cristina. O samba comquista passagem: as estratégias e a ação educativa das escolas de samba de Florianópolis. Florianópolis: Diálogo, 1996

VIANNA, Hermano. O mistério do samba. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1995.

Downloads

Publicado

24-07-2018

Como Citar

PINHEIRO, L. B. M. O samba tinha mais vida: memória de músicos e integrantes das comunidades do samba em Florianópolis/SC. Antíteses, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 413–429, 2018. DOI: 10.5433/1984-3356.2018v11n21p413. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/32641. Acesso em: 30 maio. 2024.