Fabricando a “alma da cidade” e a história da nação: embates e instabilidades nos processos de patrimonialização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n14p146

Palavras-chave:

Patrimônio cultural, Patrimonializçaão, Tombamento, Memória, Espaço urbano, Cine-Teatro Central

Resumo

Este texto tem por objetivo realizar uma reflexão sobre a patrimonialização de bens culturais no espaço urbano. É sobre a fabricação de um Cine-teatro situado na cidade de Juiz de Fora/MG como patrimônio cultural por meio dos processos de tombamento realizados em âmbito local e nacional. Procura-se, a partir deste estudo de caso, pensar sobre os discursos, embates, apropriações em torno da categoria “patrimônio” e, a partir daí, de que maneiras são elaboradas concepções de memória, história, passado e cultura por meio de nem sempre estáveis mecanismos de preservação.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniel Reis, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Naciona - IPHAN

Doutor em Antropologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Doutor em História Política e Bens Culturais pela Fundação Getúlio Vargas. Pesquisador do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Referências

ANDERSON, Benedict. Imagined communities. Londres: Verso, 1991.

AUSTIN, J.L.How to do things with words. Oxford University Press, 1976

CASTRO, Sônia Rabello de. O Estado na preservação de bens culturais – o tombamento. Rio de Janeiro: Renovar, 1991.

CHRISTO, Maraliz Vieira. A Europa dos Pobres. Juiz de Fora na Bélle-Époque mineira. Juiz de Fora: EDUFJF, 1994.

CHUVA, Márcia Romeiro. Os arquitetos da memória: a construção do patrimônio histórico e artístico nacional no Brasil (anos 30 e 40). Tese de Doutorado. Niterói, 1998.

CLIFFORD, James. Colecionando Arte e Cultura. IN: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Brasília: IPHAN, 1994.

DIVISAO DE PATRIMONIO CULTURAL DA PJF(org). Guia dos bens tombados em Juiz de Fora. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 2002.

FONSECA, Mª Cecília Londres. O patrimônio em processo: trajetórias da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/MINC-IPHAN,1997.

GONÇALVES, J. R. S. A retórica da perda: Os discursos do patrimônio cultural no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/IPHAN, 1996.

GONÇALVES, J. R. S. Ressonância, materialidade e subjetividade: as culturas como patrimônios. Horizontes Antropológicos (UFRGS. Impresso), Porto Alegre, v. 11, n.23, p. 15-36, 2005.

GONÇALVES, J. R. S. Os museus como representação do Brasil. In: Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Rio de Janeiro, 2006.

HEINICH, Natalie. La fabrique du patrimoine. De la cathédrale à la petite cuillère.Paris: Maison des Siences de l'Homme, 2009.

HEINICH, Natalie. La construction d'un regard collectif: le cas de l'inventaire du patrimoine. Gradhiva [em ligne]. 11, 2010. Acesso em 10 de maio de 2014. http://gradhiva.revues.org/1707.

JARDIM, Raquel. Os anos 40. A ficção e o real de uma época. Juiz de Fora: FUNA LFA Edições, 2003.

KARP, Ivan. Culture and representation In: KARP, Ivan e LAVINE, Steven (orgs). Exhibiting Cultures. The poetics and politics of museum display. Washington e Londres: Smithsonian Institution Press, 1991. Pp. 11-24.

KOPTOFF, Igor. The Cultural biography of things: commodization as process. In: APPADURAI, Arjun (org.) The social life of things: commodities in cultural perspective. Cambridge University Express, 1986.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas: Editora Unicamp, 1990.

MAUSS, M. Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify, 2003.

O LINCE. Nas paredes e nos painéis o talento Romano de Bigi. O lince. Juiz de Fora: n° 510 ago/set 1976.

OLIVEIRA, Almir de. Os períodos históricos de Juiz de Fora. In: Testemunho. Juiz de Fora: Instituto Cultural Santo Tomás de Aquino, 1998.

NORA, P. Entre memória e história: a problemárica dos luares. In: Projeto História, nº 10, São Paulo, 1993.

PASSAGLIA, Luis Alberto do Prado. A preservação do patrimônio histórico de Juiz de Fora. Juiz de Fora: IPLAN/PJF, 1982. p.27.

POMIAN, K. Colections: une tipologie historique. In: Des Sainte reliques à l’art moderne. Venise-Chicago XIIIe – Xxe siécle. Paris: Editions Gallimard, 2003.

STEWART, Susan. On Longing. Narratives of miniature, the gigantic, the souvenir, the collection. Baltimore: The John Hopkins University Press, 1984.

TAMASO, Izabela. Preservação dos Patrimônios Culturais: direitos antinomicos, situações ambíguas. IN: Anuário Antropológico 98. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1998:11-50.

THOMAS, Nicholas. Entangled objects: Exchange, material culture, and colonialism in the pacific. Harvard University Press, Cambridge, 1991.

VALE, Vanda Arantes. Juiz de Fora “Manchester Mineira”. Cambridge. III Encontro da Associação de Estudos Brasilianistas, 1996.

WEINER, A. Inalienable Possessions. The Paradox of Keeping-While-Giving. Berkley: Califórnia Press, 1992.

Downloads

Publicado

19-12-2014

Como Citar

REIS, D. Fabricando a “alma da cidade” e a história da nação: embates e instabilidades nos processos de patrimonialização. Antíteses, [S. l.], v. 7, n. 14, p. 146–170, 2014. DOI: 10.5433/1984-3356.2014v7n14p146. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/19159. Acesso em: 30 maio. 2024.