“Todo artista tem de ir aonde o povo está”. O movimento político das Diretas Já no Brasil - 1983-1984

Autores

  • Vicente Saul Moreira dos Santos Fundação Getúlio Vargas - FGV

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2015v8n15espp294

Palavras-chave:

Regime militar, Memória, Imprensa, Redemocratização, Diretas-Já

Resumo

Inicialmente, este artigo tece comentários sobre a relação entre História do Tempo Presente e História Política, com objetivo de inserir o movimento político das Diretas Já, transcorrido no Brasil entre 1983 e 1984. O apoio à emenda Dante de Oliveira que propunha eleição direta para presidente ao sucessor do general João Batista Figueiredo tornou-se uma das principais manifestações políticas da história republicana brasileira. Partindo do pressuposto de ter sido um evento da conjuntura do final da ditadura militar, da luta por democracia e cidadania no país. As articulações políticas, a importância do retorno maciço da população como ator político, as manifestações em várias cidades e o papel da mídia foram elementos contemplados. Por fim, pretendem-se retomar questões acerca de memória e história de tal evento a partir da cobertura mídia impressa em 1994, dez anos após as manifestações que levaram milhões as ruas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Vicente Saul Moreira dos Santos, Fundação Getúlio Vargas - FGV

Mestre em História das Ciências pela Casa de Oswaldo Cruz - Fundação Oswaldo Cruz. Doutor em História, Política e Bens Culturais pela Fundação Getúlio Vargas.

Referências

ABREU, Alzira Alves de et al. (Coord.). Dicionário histórico biográfico brasileiro: (1930-1995). (CD-ROM). 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2001.

A FORÇA da indireta. VEJA, São Paulo, n. 804, p. 22, 1 fev. 1984.

AGULHON, Maurice. Mariana, objecto de “cultura”? In: RIOUX, Jean Pierre; SIRINELLI, Jean François (Org.). Para uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998. p. 111-122.

A SUCESSÃO à deriva. Veja, São Paulo, n. 800, p. 16, 4 jan. 1984.

BECKER, Jean-Jacques. Opinião pública. In: RÉMOND, René. (Org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: UFRJ, FGV, 1996. p. 178 -190.

BERSTEIN, Serge. Cultura política. In: RIOUX, Jean Pierre; SIRINELLI, Jean François (Org.). Para uma história cultural. Lisboa: Estampa, 1998. p. 349-363.

BORGES, Vavy Pacheco. História e política: laços permanentes. Revista Brasileira de História, São Paulo, n. 23-24, p. 7-18, 1995.

BRASIL. Constituição (1967). Constituição da República Federativa de 1967. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao67.htm. Acesso em: 12 ago. 2014.

BRASIL. Lei n. 6767, de 20 de dezembro de 1979. Modifica dispositivos da Lei nº 5.682, de 21 de julho de 1971 (Lei Orgânica dos Partidos Políticos). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/leis/1970-1979/L6767.htm. Acesso em: 12 ago. 2014.

CARTA ao leitor. VEJA, São Paulo, n. 802, p. 19, 18 jan. 1984.

CARTA ao leitor. VEJA, São Paulo, n. 805, p. 19, 18 jan. 1984.

CARVALHO, José Murilo de. Entre Maria e Marianne: a figura feminina como símbolo da república brasileira. In: CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da república no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

CASTRO, Tarso de. Folha de São Paulo, São Paulo, 30 jan. 1984.

CHARTIER, Roger. A visão do historiador modernista. In: AMADO, Janaina; FERREIRA, Marieta de Moraes. (Org.). Usos & abusos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1996. p. 215-218.

CONTI, Mario Sergio. Notícias do planalto: a imprensa e Fernando Collor. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

CORRÊA, Marcos Sá. A velhice aos 20 anos. VEJA, São Paulo, p. 20-24, n. 813, 4 abr. 1984.

DARNTON, Robert; DUHAMEL, Olivier. (Org.). Democracia. Rio de Janeiro: Record, 2001.

FERNANDES, Florestan. Que tipo de república? 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1986.

FERREIRA, Marieta de Moraes. A nova “velha história” o retorno da história política. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, p. 265-271, 1992.

FERREIRA, Marieta de Moraes. História oral: um inventário das diferenças. In: FERREIRA, Marieta de Moraes. (Coord.). Entrevistas: abordagens e usos da história oral. Rio de Janeiro: Fundação Getulio Vargas, 1994. p. 1-13.

FICO, Carlos. Reinventando o otimismo: ditadura, propaganda e imaginário social no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997.

FICO, Carlos; ARAUJO, Maria Paula. 1968: 40 anos depois: história e memória. Rio de Janeiro: Sette Letras, 2008.

FISHLOW, Albert. Uma história de dois presidentes: a economia política da gestão da crise. In: STEPAN, Alfred. (Org.). Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. p. 137-197.

FRIAS FILHO, Otávio. A “Folha” e as diretas. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, v. 1, n. 2, p. 31-36, jul./set., 1984. Entrevista concedida a Edison Nunes, Hamilton Cardoso e Marília Garcia.

GUIMARÃES, Ulysses. A restauração imediata do direito popular ao autogoverno – Sim. Folha de São Paulo, 25 de abril de 1984.

KOTSCHO, Ricardo. Explode um novo Brasil: diário da campanha das diretas. São Paulo: Brasiliense, 1984.

KUSHNIR, Beatriz. Nem bandidos, nem heróis: os militantes judeus de esquerda mortos sob tortura no Brasil (1969-1975). In: KUSHNIR, Beatriz. (Org.). Perfis cruzados: trajetórias e militância política no Brasil. Rio de Janeiro: Imago, 2002. p. 215-241.

LAMOUNIER, Bolivar. Apontamentos sobre a questão democrática brasileira. In: ROUQUIÉ, Alain et al. (Org.). Como renascem as democracias. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 118-145.

LAMOUNIER, Bolivar. O Brasil autoritário revisitado: o impacto das eleições sobre a abertura. In: STEPAN, Alfred. (Org.). Democratizando o Brasil. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. p. 83-134.

LATTMAN-WELTMAN, Fernando; RAMOS, Plínio de Abreu; CARNEIRO, José Allan Dias. A imprensa faz e desfaz um presidente: o papel da imprensa na ascensão e queda do fenômeno Collor. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

LEONELLI, Domingos; OLIVEIRA, Dante de. Diretas já: 15 meses que abalaram a ditadura. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2004.

LEMOS, Renato. Magalhães, Antônio Carlos (verbete biográfico). ABREU, Alzira Alves de et al. (Coord.). Dicionário histórico biográfico brasileiro: (1930-1995). (CD-ROM). 2. ed. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2001.

LIMA, Venício Abreu de. Mídia: teoria e política. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2001.

MEYER, Marlyse; MONTE, Maria Lucia. Festa na política. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, São Paulo, v. 1, n. 3, p. 85-89, 1984.

MONTORO, André Franco. Dez anos do comício da Sé. Folha de São Paulo, São Paulo, 25 jan. 1994. Caderno Opinião, p. 1-3.

NAPOLITANO, Marcos. Representações políticas no movimento ‘diretas já’. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n. 29, p. 207-219, 1995.

NOVAES, Luiz A. Governadores oposicionistas oficializam campanha. Folha de São Paulo, São Paulo, 27 nov. 1983. Caderno Política, n. 1, p. 6.

O COMEÇO em Curitiba. VEJA, São Paulo, n. 802, p. 20, 18 jan. 1984.

O GRITO da Candelária. VEJA, São Paulo, n. 815, p. 22-31, 18 abr., 1984.

O GRITO dos mineiros. VEJA, São Paulo, n. 808, p. 20, 29 fev. 1984.

PEREIRA, Moacir. O golpe do silêncio. São Paulo: Global, 1984.

PINHEIRO, Paulo Sérgio. As diretas e o eterno regresso da conciliação. Folha de São Paulo, São Paulo, 24 abr. 1994.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Ditadura militar, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2000.

RÉMOND, René. (Org.). Por uma história política. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, FGV, 1996.

ROSANVALLON, Pierre. Por uma história conceitual do político. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 15, n. 30, p. 9-22, 1995.

SIERRA, Roland M. A festa foi dos jovens. Folha de São Paulo, São Paulo, 17 abr. 1984. Caderno Política, p. 6.

SIRINELLI, Jean-François. Ideologia, tempo e história. In: CHAVEAU, Agnes & Tétard, Philippe (Org.). Questões para a história do presente. Bauru: Editora da Universidade do Sagrado Coração, 1999, p. 73-92.

SKIDMORE, Thomas. Brasil: de Castelo a Tancredo. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1994.

TOSI, Alberto. A massa na praça: mobilização e conflito na campanha das ‘diretas já’. Comunicação & Política, Rio de Janeiro, v. 1, n. 3, p. 163-178, abr./jun. 1995.

Downloads

Publicado

22-11-2015

Como Citar

SANTOS, V. S. M. dos. “Todo artista tem de ir aonde o povo está”. O movimento político das Diretas Já no Brasil - 1983-1984. Antíteses, [S. l.], v. 8, n. 15esp, p. 294–315, 2015. DOI: 10.5433/1984-3356.2015v8n15espp294. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/21060. Acesso em: 18 maio. 2024.