A Marinha Brasileira no inicio do século XX: tecnologia e política

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2014v7n13p84

Palavras-chave:

Marinha, Representações, Tecnologia e política

Resumo

Este artigo  analisa a literatura que aborda a questão da Marinha Brasileira ao final do século XIX e no início do XX. Tal literatura possui duas vertentes a monarquista e a republicana, ambas advogando medidas de reestruturação da Marinha. Por outro lado, o trabalho analisa ainda as medidas efetivamente tomadas ou não pelos sucessivos governos republicanos, até o ano de 1910, com o objetivo de promover as reformas necessárias à adequação da Marinha aos novos tempos, novas tecnologias e novas sociabilidades. O fim da escravidão, a Revolta da Armada, a corrida armamentista internacional e a que terminou por se estabelecer entre o Chile, a Argentina e o Brasil, na América do Sul, permitem compreender tanto as propostas aventadas como os limites das reformas encetadas.

Biografia do Autor

José Miguel Arias Neto, Universidade Estadual de Londrina - UEL / Universidade Estadual do Centro-Oeste - UNICENTRO

Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Estadual de Londrina. Professor da Universidade Estadual do Centro-Oeste.

Referências

FONTES
DOCUMENTOS OFICIAIS
BRASIL. Manifesto Inaugural de Francisco de Paula Rodrigues Alves, Presidente para o quatriênio 1902-1906. Rio de Janeiro, 1902.

BRASIL. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional em 03 de maio de 1895 pelo Presidente da República Prudente J. de Moraes Barros. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1895.

BRASIL. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional na abertura da terceira sessão da terceira legislatura pelo Presidente M. Ferraz de Campos Salles. Rio de Janeiro, 1899.

BRASIL. Mensagem apresentada ao Congresso Nacional na abertura da segunda sessão da quinta legislatura pelo Presidente Francisco de Paula Rodrigues Alves. Rio de Janeiro, 1904.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Almirante Elisário José Barbosa, Ministro da Marinha, em 1896. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1896.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Contra- Almirante Manoel José Alves Barbosa, Ministro de Estado dos Negócios da Marinha, em 1897. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1897.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Almirante Reformado Carlos Balthazar da Silveira, Ministro de Estado dos Negócios da Marinha, em 1899. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1899.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Contra-Almirante J. Pinto da Luz, Ministro de Estado dos Negócios da Marinha, em 1900. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1900.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Contra-Almirante Júlio Cesar de Noronha, Ministro de Estado dos Negócios da Marinha em 1903. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1903.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo Contra-Almirante Alexandrino Faria de Alencar, Ministro de Estado dos Negócios da Marinha, em 1907. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1907.

BRASIL. MINISTÉRIO DA MARINHA. Relatório apresentado ao Vice-Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil pelo ministro e secretário dos negócios da Marinha, Contra-Almirante José Gonçalves Duarte, em 1894. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1894.


LIVROS E ARTIGOS:
A ADMINISTRAÇÃO da Marinha: 1902-1906. Subsídios para a história marítima do Brasil. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação da Marinha, 1950, v. IX.

BARBOSA, Rui. Lição do Extremo Oriente. In Cartas de Inglaterra. 4 ed. São Paulo: Iracema, 1972, p. 111-92.

BATISTA, Homero. A Marinha nacional: trabalhos parlamentares. Rio de Janeiro: Jornal do Comércio, 1910.

DIAS, Arthur. O problema naval: condições atuais da Marinha de Guerra e seu papel nos destinos do país. Rio de Janeiro: Oficina da Estatística, 1899.

FIGUEIREDO, Afonso Celso de Assis (Visconde de Ouro Preto). A Armada Nacional. In FIGUEIREDO, Afonso Celso de Assis et alli. A década republicana. Rio de Janeiro: Companhia Typographica do Brazil, 1900, p.

FIGUEIREDO, Afonso Celso de Assis (Visconde de Ouro Preto). A marinha de outrora (subsídios para a História). Rio de Janeiro: Livraria Moderna, 1894.

FIGUEIREDO, Afonso Celso de Assis (Visconde de Ouro Preto). Advento da ditadura militar no Brasil. Paris: Imprimerie F. Pichon, 1891.

MOTA, Arthur Silveira da ( Barão de Jaceguay). Organização naval. In De aspirante a almirante: minha fé de ofício documentada. 2 ed. Rio de Janeiro: Serviço de Documentação Geral da Marinha, 1985v. 2, p. 281-377.

NABUCO, Joaquim. A intervenção estrangeira na Revolta da Armada intervenção estrangeira durante a revolta da Armada de 1893. In SILVA, Leonardo Dantas. Nabuco e a República. Recife: Fundação Joaquim Nabuco/Massangana, 1990, p. 53-173.

PRADO, Eduardo. A ilusão americana. 2 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1894.

PRADO, Eduardo. Destinos políticos do Brasil. Revista de Portugal. Porto: Genelioux, v.6, p. 457-91,1889.

PRADO, Eduardo. Fastos da ditadura militar no Brasil. 4 ed. Pelotas: Typographia da Livraria Americana, 1891.



BIBLIOGRAFIA:

AMADO, Gilberto. Mocidade no Rio e primeira viagem à Europa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1956.

ASSIS, Machado, crônica. A semana.25/03/1894. Apud. SEVCENKO, Nicolau. A Capital irradiante. In NOVAIS, Fernando (Dir.). História da vida privada no Brasil: República – da belle époque à era do rádio São Paulo: Companhia das Letras, 1998, v.3.

BARRACLOUGH, Geoffrey. Introdução à História contemporânea. São Paulo: Círculo do Livro, s/d.

BARRETO, Paulo (João do Rio). A alma encantadora das ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

BENCHIMOL, Jaime Larry. A modernização do Rio de Janeiro. In DEL BRENNA, Giovanna Rosso (Org.). O Rio de Janeiro de Pereira Passos: uma cidade em questão II. Rio de Janeiro: Index, 1985.

CAMINHA, Herick M. Organização e administração do ministério da Marinha na República. Rio de Janeiro: Fundação Centro de Formação do Servidor Público; Serviço de Documentação Geral da Marinha, 1989.

CARONE, Edgar. A República Velha: instituições e classes sociais. 4 ed. Rio de Janeiro/São Paulo: DIFEL, 1978.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

CASTRO, Celso. Os militares e a República. Rio de Janeiro: Zahar, 1995.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

HOBSBAWM, Eric. A era dos impérios 1878-1914. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

JANOTTI, Maria de Lourdes M. O diálogo convergente: políticos e historiadores no início da República. In FREITAS, Marcos Cezar de (Org.). Historiografia brasileira em perspectiva. São Paulo: Contexto, 1998, p.119-43.

JANOTTI, Maria de Lourdes M. Os subversivos da República. São Paulo: Brasiliense, 1982.

MAGALHÃES JÚNIOR, R. Rui: o homem e o mito. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1964.

MAHAN, A . T. The influence of sea power upon history 1660-1783. Boston: 7th Ed, 1894.

MALAN, Pedro. O Brasil no contexto do capitalismo internacional 1889-1930. In FAUSTO, Bóris. ( Dir.). História geral da civilização brasileira: o Brasil republicano. 5 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989, t.3, v.2.

MARTINS FILHO, João Roberto. A Marinha brasileira na era dos encouraçados, 1895-1910. Rio de Janeiro: FGV, 2010.

MEIHY, José C. Sebe e BERTOLLI FILHO, Cláudio. História social da saúde: opinião pública versus poder, a campanha da vacina, 1904. Estudos CEDHAL, nº 5, São Paulo, 1990.

PANIKKAR, K.M. A dominação ocidental na Ásia. 3 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

SEVCENKO, Nicolau. A revolta da vacina: mentes insanas em corpos rebeldes. São Paulo: Scpione, 1993.

TOPLISS, David. The Brazilian dreadnoughts, 1904-1914. Warship international, v 25, nº 3, July/September, 1988.

VIDIGAL, Armando. Evolução do pensamento estratégico naval brasileiro. 3 ed. Rio de Janeiro: Biblioteca do Exército, 1985.

Downloads

Publicado

12-07-2014

Como Citar

ARIAS NETO, José Miguel. A Marinha Brasileira no inicio do século XX: tecnologia e política. Antíteses, [S. l.], v. 7, n. 13, p. 84–112, 2014. DOI: 10.5433/1984-3356.2014v7n13p84. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/19036. Acesso em: 19 jul. 2024.