Hamlet acabará Narciso? Associação Brasileira de Escritores 1941-1945

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5433/1984-3356.2013v6n11p100

Palavras-chave:

Intelectuais, Política, Cultura, Getúlio Vargas, Estado Novo, História, História do Brasil

Resumo

Este artigo tem como objetivo pensar a criação da Sociedade Brasileira de Escritores, em São Paulo, em 1942 e sua transformação em Associação Brasileira de Escritores, no mesmo ano. A partir de então, com sede no Rio de Janeiro, várias seções estaduais foram sendo criadas. Funcionando em pleno Estado Novo, só realizou seu primeiro Congresso Nacional, em São Paulo, em janeiro de 1945, mesmo assim com pouquíssima cobertura da grande imprensa. Foi considerado um dos eventos mais importantes contra o Estado Novo e conseguiu reunir nomes importantes e consagrados do mundo editorial nacional. Assim, a proposta é recuperar a trajetória dessa efêmera organização de escritores, assim como os sujeitos ai envolvidos e os projetos em disputa.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Ana Paula Palamartchuk, Universidade Federal de Alagoas - UFAL

Doutora em História pela Universidade Estadual de Campinas. Professora da Universidade Federal de Alagoas.

Referências

AMADO, Jorge. Navegação de cabotagem, Rio de Janeiro, Editora Record, 1992

CANÇADO, José Maria. Os sapatos de orfeu. São Paulo: Scritta, 1991.

CORREIO da Manhã, 1944

DECLARAÇÃO de Princípios. Diretrizes, Rio de Janeiro, n. 102, junho de 1942.

DULLES, John F. Dulles. o comunismo no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985.

FUNDO AGÊNCIA NACIONAL. (Série Administração). lDG-512J.

FUNDO ASTROJILDO PEREIRA. Coleção fotográfica. ASMOB: CEDEM: UNESP,

FUNDO Gabinete Civil da Presidência da República/AN. (Série: Ministério da Educação e Saúde Pública/ Departamento de Educação).

GATTAI, Zélia. Um chapéu para viagem. Rio de Janeiro: Record, 1982.

GOMES, Ângela M. de C. História e historiadores: política cultural no Estado Novo. Rio de Janeiro; Fundação Getúlio Vargas, 1998.

GOULART, Silvana. Sob a verdade oficial: ideologia, propaganda e censura no Estado Novo. São Paulo: Marco Zero, 1990.

HAUSSEN, Dóris Fagundes Haussen. Rádio e política. Porto Alegre: Edipucrs, 1997.

LAHUERTA, Milton. Elitismo, autonomia, populismo: os intelectuais na transição dos anos 40. 1992. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

LENHARO, Alcir. Estado Novo, Estado Velho: novas direções historiográficas. In: MUSEU PAULISTA, São Paulo, 1986. Anais ... São Paulo: Editora, 1986.

LOTTMAN, Herbert Lottman. A Rive Gauche: escritores, artistas e políticos em Paris: 1930 a 1950. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

MANIFESTO de 1942. Literatura, Rio de Janeiro, n. 4, junho de 1947.

MILLIET, Sérgio. Discurso de abertura. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ESCRITORES, 1., 1945, São Paulo. Anais... São Paulo: ABDE, 1945.

MOTTA, Carlos Guilherme. Ideologia da cultura brasileira (1933-1974). São Paulo: Editora Ática, 1994.

O ESTADO de São Paulo, 1945.

Downloads

Publicado

01-06-2013

Como Citar

PALAMARTCHUK, A. P. Hamlet acabará Narciso? Associação Brasileira de Escritores 1941-1945. Antíteses, [S. l.], v. 6, n. 11, p. 100–126, 2013. DOI: 10.5433/1984-3356.2013v6n11p100. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/15592. Acesso em: 19 jun. 2024.