Vírus da estomatite vesicular (sorotipo indiana 2) como modelo experimental para o estudo de encefalite aguda – aspectos morfológicos

Autores

  • Gisele Fabrino Machado Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Leila Maria Cardao Chimelli Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Florêncio Figueiredo Cavalcanti Neto Universidade Federal de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2003v24n1p11

Palavras-chave:

Vírus da Estomatite Vesicular, Encefalite Aguda, Modelo Experimental, Camundongo.

Resumo

O vírus da estomatite vesicular (VEV) é um Vesiculovírus da família Rhabdoviridae que infecta mamíferos e causa lesões vesiculares semelhantes às observadas na febre aftosa. A encefalite experimental pode ser induzida em roedores e os sintomas são semelhantes aos observados na raiva; entretanto, as lesões observadas no encéfalo dos animais são diferentes. Corpúsculos de inclusão não são observados, há necrose especialmente da região do bulbo olfatório e em alguns casos, ventriculite. Observamos que o padrão temporal de disseminação do VEV e os aspectos morfológicos das lesões são similares aos descritos na literatura. O vírus parece se disseminar através dos ventrículos cerebrais, multiplicando-se em células do epêndima e em neurônios, além de utilizar o transporte retrógado e anterógrado. Constatamos que devido à facilidade de manipulação do vírus, este modelo experimental tem sido utilizado em inúmeros trabalhos de pesquisa em diversas áreas. Se por um lado, os relatos sobre a patogenia da infecção são numerosos, por outro lado, ainda existem muitas lacunas que envolvem, por exemplo, aspectos sobre a transmissão do vírus, a recuperação dos animais infectados e a participação de células gliais durante a fase aguda e a fase de recuperação dos animais.

 

 

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Gisele Fabrino Machado, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro-RJ

Leila Maria Cardao Chimelli, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Departamento de Patologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro-RJ

Florêncio Figueiredo Cavalcanti Neto, Universidade Federal de Brasília

Departamento de Patologia da Universidade Federal de Brasília-DF.

Downloads

Publicado

2004-07-15

Como Citar

1.
Machado GF, Chimelli LMC, Cavalcanti Neto FF. Vírus da estomatite vesicular (sorotipo indiana 2) como modelo experimental para o estudo de encefalite aguda – aspectos morfológicos. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 15º de julho de 2004 [citado 16º de junho de 2024];24(1):11-20. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/3653

Edição

Seção

Artigos