Análise descritiva dos pacientes com sepse grave ou choque séptico e fatores de risco para mortalidade

Autores

  • Jessica Christiane Yoshihara Universidade Estadual de Londrina
  • Thábata Yaedu Okamoto Universidade Estadual de Londrina
  • Lucienne Tibery Queiroz Cardoso Universidade Estadual de Londrina
  • Claudia Maria Dantas de Maio Carrilho Universidade Estadual de Londrina
  • Ivanil Aparecida Moro Kauss Universidade Estadual de Londrina
  • Lais Magalhães Carvalho Universidade Estadual de Londrina
  • Luiz Fernando Tibery Queiroz Universidade Estadual de Londrina
  • Cintia Magalhães Carvalho Grion Universidade Estadual de Londrina
  • Ana Maria Bonametti Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.5433/1679-0367.2011v32n2p127

Palavras-chave:

Síndrome da resposta inflamatória sistêmica, Sepse, Mortalidade, Fatores de risco.

Resumo

O conhecimento dos fatores de risco para morte em pacientes graves com choque séptico e sepse grave pode auxiliar a identificar os pacientes que necessitam maior vigilância e possivelmente irão utilizar mais recursos para aumentar as chances de sua recuperação. Este estudo, realizado durante o período de junho a dezembro de 2008, tem como objetivo avaliar os fatores de risco para morte em pacientes com sepse grave e choque séptico internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina. Durante o período de estudo, foram analisados 54 pacientes, com média de idade de 59,03 ± 19,17 anos, que foram admitidos na UTI com diagnóstico inicial de sepse grave ou choque séptico, sendo 35 deles do sexo masculino. Apresentavam média do escore APACHE II de 26,22 ± 8,58 e média do escore SOFA de 9,46 ± 4,18 no primeiro dia de internação na UTI. A mortalidade geral foi de 61,1%. No modelo multivariado, os fatores associados com risco para
morte foram o sexo masculino como proteção e o escore APACHE II como risco.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Jessica Christiane Yoshihara, Universidade Estadual de Londrina

Aluno Bolsista do Programa de Iniciação Científica da Universidade Estadual de Londrina.

Thábata Yaedu Okamoto, Universidade Estadual de Londrina

Aluno Bolsista do Programa de Iniciação Científica da Universidade Estadual de Londrina.

Lucienne Tibery Queiroz Cardoso, Universidade Estadual de Londrina

Professor adjunto da disciplina de Medicina Intensiva, departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Londrina.?

Claudia Maria Dantas de Maio Carrilho, Universidade Estadual de Londrina

Professor assistente da disciplina de Medicina Intensiva, departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Londrina.

Ivanil Aparecida Moro Kauss, Universidade Estadual de Londrina

Mestre em Ciênicas da Saúde, Fisioterapeuta, Hospital Universitário, Universidade Estadual de Londrina.

Lais Magalhães Carvalho, Universidade Estadual de Londrina

Especialista em Fisioterapia Intensiva. Hospital Universitário, Universidade Estadual de Londrina.?

Luiz Fernando Tibery Queiroz, Universidade Estadual de Londrina

Especialista em Cirurgia Plástica, Médico, Hospital Universitário. Universidade Estadual de Londrina.

Cintia Magalhães Carvalho Grion, Universidade Estadual de Londrina

Professor adjunto da disciplina de Medicina Intensiva, departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Londrina.

Ana Maria Bonametti, Universidade Estadual de Londrina

Professor adjunto da disciplina de Moléstias Infecciosas, departamento de Clínica Médica, Universidade Estadual de Londrina.

Downloads

Publicado

2011-12-01

Como Citar

1.
Yoshihara JC, Okamoto TY, Cardoso LTQ, Carrilho CMD de M, Kauss IAM, Carvalho LM, Queiroz LFT, Grion CMC, Bonametti AM. Análise descritiva dos pacientes com sepse grave ou choque séptico e fatores de risco para mortalidade. Semin. Cienc. Biol. Saude [Internet]. 1º de dezembro de 2011 [citado 12º de junho de 2024];32(2):127-34. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/seminabio/article/view/3508

Edição

Seção

Artigos